5ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Evento

A cidade de Ouro Preto (MG) recebeu uma extensa programação de filmes, debates, seminários, oficinas e manifestações artísticas dos mais diversos tipos. Trata-se da CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto, que pelo quinto ano consecutivo chegou à histórica cidade mineira com a proposta, inédita no Brasil, de discutir a preservação e memória do patrimônio cinematográfico brasileiro.

Este ano, o principal destaque fica por conta da homenagem aos 80 anos da “Cinédia”, estúdio pioneiro na busca por uma indústria cinematográfica brasileira, e, em plena Copa do Mundo, ao “Canal 100”, cine-jornal surgido no final da década de 50 que, nas palavras de Nelson Rodrigues, “inventou uma nova distância entre o torcedor e o craque, entre o torcedor e o jogo. Tudo o que o futebol brasileiro possa ter de lírico, dramático, patético, delirante…”

Dentro da homenagem à Cinédia, serão exibidas cinco de suas produções mais significativas, todas restauradas: Mulher (1931), Ganga Bruta (1933, até hoje um dos maiores clássicos do cinema brasileiro, considerado por Glauber Rocha pedra angular do Cinema Novo), Alô Alô Carnaval (1936, o mais famoso musical brasileiro, que catapultou Carmem Miranda para o sucesso em Hollywood), Bonequinha de Seda (1936) e, por fim, Lábios Sem Beijos (1930), que marcará a estreia mundial de um novo cine-concerto do grupo francês DoubleCadence. Os músicos, que estiveram no Brasil ano passado dentro da programação do Ano da França no Brasil, irão executar uma trilha ao vivo para a versão restaurada do filme dirigido por Humberto Mauro, a primeira produção da Cinédia e um dos últimos filmes mudos brasileiros.

Já o mítico e saudoso Canal 100 estará representado pelo longa Brasil Bom de Bola, que retrata a Seleção tricampeã de 1970, no México, e por uma seleção dos melhores momentos desse cine-jornal que, entre 1959 e 1986, produziu um dos mais importantes acervo cinematográficos sobre o futebol brasileiro da época. Em plena Copa do Mundo da África, essa sessão especial ocorrerá como aquecimento para a transmissão ao vivo de “BRASIL x COSTA DO MARFIM”, no Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto.

A extensa programação deste ano contará com nada menos que 65 filmes – 15 longas, 7 médias e 43 curtas – exibidos em 32 sessões gratuitas. Os grandes destaques ficam por conta dos longas Uma Noite em 67, de Renato Terra e Ricardo Calil (grande destaque da última edição do festival “É Tudo Verdade”, com seu retrato sobre o festival que revolucionou a música popular brasileira); e a pré-estreia mundial do documentário As Cartas Psicografadas de Chico Xavier, de Cristiana Grumbach, realizado pela diretora do premiado “Morro da Conceição” sobre pessoas que receberam cartas psicografadas por Chico Xavier.

Por fim, o “5º Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros” reunirá mais de 70 representantes de mais de 50 arquivos e acervos do Brasil, discutindo em seminários e debates alguns dos temas mais atuais e polêmicos em torno da preservação audiovisual, como os direitos autorais, as políticas públicas de preservação de imagens em movimento no Brasil e a preservação audiovisual na era digital.

A CineOP tem o grande diferencial de ser o único evento no circuito de festivais que tem a preservação como protagonista e está, em conjunto com os representantes dos arquivos e acervos audiovisuais do Brasil, construindo o Plano Nacional de Preservação. Estamos tratando de políticas públicas para o setor mais esquecido da cadeia produtiva do audiovisual, assunto que precisa atrair o interesse de produtores e cineastas no Brasil, afirma Raquel Hallak, coordenadora geral do evento.

A programação é oferecida gratuitamente ao público. Inclui exibições de filmes em pré-estreias e retrospectivas, homenagens, Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros debates, Seminário, oficinas, cortejo, exposição, shows, atrações artísticas, que ocuparão três espaços ouro-pretanos – o Centro de Artes e Convenções, a Praça Tiradentes e o precioso Cine Vila Rica, fundado em 1957, e ainda hoje uma referência entre as salas de exibição que resistiram ao tempo no interior de Minas Gerais.

Bibliografia

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Disponível no endereço: 5ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.