Adelia Sampaio

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Biografia

Adelia Sampaio é uma cineasta, roteirista e produtora de cinema brasileira nascida em Belo Horizonte (MG) em 1944. Aos 12 anos de idade, mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro. No cinema, também trabalhou como Diretora de Produção e Produção Executiva.

Adélia Sampaio é uma das poucas mulheres que chegaram à direção de longas de ficção nos anos 1980, ou seja, antes do Cinema da Retomada – período a partir dos anos 90, em que houve um boom de mulheres cineastas.

A História do cinema brasileiro é rica de conteúdo, de luta e de muita criatividade. Nesse contexto, a figura da mulher tem o protagonismo incontestável, não somente diante das câmeras, mas também por trás dela.

A paulista Cléo de Verberena deu o primeiro passo, em 1930, ao ser a primeira mulher brasileira a dirigir um filme de longa metragem: O Mistério do Dominó Negro. Mas sem dúvida alguma, quem fez história foi Gilda de Abreu ao dirigir, em 1946, o clássico O Ébrio. Filme que até o meado dos anos 70 era a maior bilheteria do cinema brasileiro.

Depois, uma legião de mulheres cineastas surgiu para história do cinema brasileiro: Carmen Santos, Zélia Costa, Helena Solberg, Ana Carolina, Lenita Perroy, Suzana Amaral, Tereza Trautman, Adélia Sampaio, entre outras.

O começo da carreira cinematográfica foi na Difilm, em 1967, distribuidora de nomes ligados ao Cinema Novo, como Luiz Carlos Barreto e Joaquim Pedro de Andrade. Adélia Sampaio era a telefonista da Difilm, e, paralelamente, organizava sessões em 16mm para cineclubistas. Na época, inclusive, foi vítima da ditadura militar – seu marido, jornalista, foi preso político, e ela mesmo chegou a ser presa e a apanhar dos agressores.

Adélia Sampaio foi levada para a Difilm pela irmã, Eliana Cobbett, à época casada com cineasta William Cobbett. Quando saíram da Difilm, juntas fizeram parceria na produção e produziram filmes do cineasta – O monstro de santa teresa (1975); e O grande palhaço (1980). Nessas produções, Adélia atuou em várias frentes, foi produtora, produtora executiva, continuísta, maquiadora.

Ainda nos anos 1970, Adélia Sampaio trabalha na produção de três filmes importantes. O primeiro foi O segredo da rosa, dirigido por Vanja Orico, em 1974 – neste filme fez a produção executiva e foi uma dos roteiristas. Já em 1977, produziu o último filme de Luiz de Barros, o lendário Lulu de Barros: Ele, ela, quem? (1977). E por fim, produziu com Geraldo Santos Pereira, o filme O seminarista, em 1977, dirigido por ele.

Na década de 1980, Adélia Sampaio dá salto em sua carreira. Depois de produzir o importante Parceiros da aventura (1980), de José Medeiros, e Um menino… uma mulher (1980), de Roberto Mauro, e dirigir vários curtas, ela parte para a direção de longas.

Os curtas dirigidos por Adélia Sampaio nos anos 1970 e 1980 são Denúncia vazia (1979), Agora um deus dança em mim, Adulto não brinca e Na poeira das ruas.

Em 1984, Adélia Sampaio dirige Amor Maldito, filme com temática homossexual feminina baseado em história real. Aliás, Adélia Sampaio é nome pioneiro na direção de longas dirigidos por mulheres focados no tema. O longa tem como protagonistas as atrizes Monique Lafond e Wilma Dias – esta última, precocemente falecida em 1991.

Em 1987, Adélia Sampaio dirigiu o documentário Fugindo do passado: um drink para tetéia e história banal, sobre memórias da ditadura. Em 2004, co-dirige, com Paulo Markum, para a televisão, AI-5 – o dia que não existiu.

===========

Os historiógrafos, pesquisadores e estudiosos do cinema brasileiro teimam em omitir, dos compêndios da história cinema brasileiro, o nome dessa que foi primeira cineasta negra do nosso cinema.

Certa figura de nome Dandara, que dirigiu ninguém sabe o quê, exibido em lugar algum, usa as páginas sociais se proclamando a primeira cineasta negra brasileira. Conversa fiada!

Essa missão foi confiada a Adélia Sampaio, que em 1984 dirigiu o longa Amor Maldito. Nos anos 80 e 90, Adélia foi uma das mais atuantes Diretoras de Produção e Produtoras executivas dos principais filmes brasileiros, dessas décadas.

Adélia Sampaio, inclusive, teve também o privilégio de ser a produtora de Ele, Ela, Quem?, último filme dirigido pelo lendário cineasta Luis de Barros, que não assumia a negritude, mas era mulato. Mas essa é uma outra história.

Aos historiadores, pesquisadores e estudiosos do cinema brasileiro deixo aqui uma dica: quando forem escrever sobre a mulher, diretora de cinema brasileiro, por favor, façam uma pesquisa séria; certamente encontrarão o nome da Adélia Sampaio. E por favor, não omitam que ela é negra!

Nas suas pesquisas e levantamentos não precisam se aprofundar muito para, também, tomarem conhecimento da existência da Sabrina Fidalgo (que acabei de saber ser filha do lendário Ubirajara fidalgo e da bela Alzira Fidalgo) que, em 2008, dirigiu o belo e delicioso Black Berlim.

Fica aqui a minha contribuição para que se corrija uma danosa omissão e uma folclórica inverdade. Inverdade que tem causado uma grande injustiça e um grande erro para a história da cinematografia brasileira.

A primeira cineasta negra do cinema brasileiro é a Adélia Sampaio. Isso é histórico!

E olha que eu e a Adélia Sampaio, por incompatibilidade de gênios, nunca sentamos à mesma mesa; sempre nos recusamos a tomar cafezinho no mesmo balcão do bar no Beco, na Cinelândia. Também, não trocávamos uma única palavra, sequer, um com o outro quando nos encontrávamos em algum evento de cinema.

Mas nunca deixei de reconhecer o valor profissional e humano dessa mulher pioneira.

(Texto: Flávio Leandro – Cineasta, Professor de Produção Audiovisual, Professor de Produção Teatral)

Filmografia

:: Filmografia como Diretora ::

2004 :: AI-5 – o dia que não existiu (co-direção com Paulo Markum) (TV)
1987 :: Fugindo do passado: um drink para tetéia e história banal
1984 :: Amor Maldito
1979 :: Denúncia Vazia
19 :: Agora um Deus Dança em Mim
19 :: Adulto não Brinca
19 :: Na Poeira das Ruas

Bibliografia

Internet:

ASSISTE BRASIL. O racismo apaga, a gente reescreve: conheça a mulher negra que fez história no cinema nacional. Disponível no endereço: http://www.assistebrasil.com.br/2016/03/o-racismo-apaga-a-gente-reescreve-conheca-a-mulher-negra-que-fez-historia-no-cinema-nacional/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Adelia Sampaio. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/adelia-sampaio/
MULHERES DO CINEMA BRASILEIRO. Adelia Sampaio. Disponível no endereço: http://www.mulheresdocinemabrasileiro.com/site/mulheres/visualiza/419/Adelia-Sampaio/

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.