Aitaré da Praia (1925)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Filme

Sinopse

Aitaré, pescador, namora Cora, uma moça da localidade. Numa festa em casa do Capitão Afonso, Cora e Aitaré dançam e o namoro deles é reprovado pelas fofoqueiras do local. Durante o baile, Aitaré briga com Zeno, marginal que vive pela praia. Em casa, Cora conta o acontecido a sua mãe, D. Guilhermina. Esta reprova o namoro da filha e revela que Aitaré é o último de uma raça que foi a nossa maior inimiga…, o último descendente de uma raça que há cem anos passados imperou com todo o despotismo neste recanto. Cora argumenta sobre o caráter de Aitaré, mas a mãe reprova o namoro. Cora encontra-se com Aitaré, reafirmando seu amor por ele.

Num dia que prenuncia tempestade, Aitaré tenta convencer José Amaro, seu amigo, a acompanhá-lo numa jangada mar adentro a fim de não perder as covas e armadilhas de peixes que preparara. José Amaro se nega. Zeno, que passava pela praia, é chamado por Aitaré. Perguntado, confessa que deseja a morte de Aitaré. Este então pede-lhe que o ajude a partir. Zeno o atende e Aitaré parte. Cai uma tempestade e D. Guilhermina abriga Zeno em sua casa. Em conversa Zeno conta que Aitaré foi à pesca. Cora sobressalta-se. Passada a chuva, Cora e Zé Amaro esperam por Aitaré na praia. Ele vem chegando na sua jangada trazendo dois náufragos: o rico Coronel Felipe Rosa e sua filha Glória. Em terra, Cora cuida de Glória. Hóspedes de Aitaré, eles passam a observar a vida dos pescadores enquanto aguardam um meio de voltar à cidade.

Glória assiste ao namoro de Aitaré e Cora. Com a chegada de um barco ela e o pai retornam à cidade. Zeno comunica a Cora que Aitaré acompanhou Glória e Felipe. O que acontecera na verdade: Aitaré fora a Goiana para arranjar condução e neste interim chega uma embarcação que se dispôe a tirar o Coronel e sua filha da aldeia. Glória parte deixando um bilhete com José Amaro e saudações a Cora. José Amaro procura Cora para relatar o ocorrido, mas ela se recusa a ouví-lo. Cora, D. Guilhermina e Mário, irmão de Cora, partem. Em seu regresso, Aitaré é informado por José Amaro que seus hóspedes já haviam partido, assim como Cora. Ele decide deixar a aldeia. Ao fazer a viagem de despedida em sua jangada, luta com Zeno e leva a melhor: Zeno cai no mar. Aitaré parte.

Chegando a Recife ele procura a casa do Coronel Felipe. Cinco anos mais tarde, passeando com Glória por uma rua da cidade, Aitaré encontra-se com Cora numa loja, acompanhada do irmão. Eles hesitam em se reconhecer. Arthur, sobrinho do Coronel Felipe ama Glória, que ama Aitaré. Cora, D. Guilhermina e Mário também estão em Recife. Cora apronta-se para uma festa. Aitaré e Cora reencontram-se. Glória aceita a proposta de casamento feita por Arthur.

Elenco

Severo, Ary (Aitaré)
Steves, Almery (Cora)
Fernandes, Rilda (Glória)
Campos, Antonio (Artur, primo de Glória)
Soares, Jota (Traíra)
Cláudio José (Zeno)
Cardoso, Mario Freitas (Zé Amaro)
Temporal, Rosa (Dona Guilhermina, mãe de Cora)
Coutinho, Queiroz (Coronel Felipe Rosas, pai de Glória)
Severo, Tito (Mário, irmão de Cora)
Marques, Luis (Capitão Afonso)
Souza, Valderez de
Tavares, Adelmar

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Aitaré da Praia (1925) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Gentil Roiz
Argumento: Ary Severo
Roteiro: Ary Severo
Operador: Edison Chagas
Produção: Joaquim Tavares
Companhia Produtora: Aurora Filme

Bibliografia

Fontes utilizadas:
Material examinado
CB/Descrição plano a plano
MAM/Ciclo de Recife
LRB/CPe
CB/Jornada 1

Fontes consultadas:
AV/ICB
ACPJ/I
CS/FCB
Selecta
Cinearte

Livros:

BALADI, Mauro. Dicionário de Cinema Brasileiro: filmes de longa-metragem produzidos entre 1909 e 2012. São Paulo: Martins Fortes, 2013.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Aitaré da Praia. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/aitare-da-praia/

Observações:
Metragem do material examinado: 481m, em 16mm.
Fotografia: Selecta, 24.03.1926.
Comentário em Selecta 23.01.1926, p. 14.
Uma cartela do filme informa que este é o terceiro trabalho da produtora.
As fontes consultadas acrescentam ao elenco .
ACPJ/I informa que co-dirigiu a fita, argumento de , história de e roteiro de . Esta mesma fonte inclui no elenco e .
Em 1927 algumas cenas foram refilmadas e o filme, relançado. Ver o mesmo título em 1927.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.