Alain Fresnot

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Biografia

Alain Fresnot é um cineasta, roteirista, montador e produtor de cinema nascido em Paris, na França, no dia 06 de junho de 1951. Com uma sólida produção e experiência no setor audiovisual, tem se destacado nos últimos anos, inclusive com uma certa participação na política cinematográfica.

Nascido francês, de origem judaica, migrou para o Brasil com a família aos oito anos de idade para Campinas (SP), onde seu pai instala uma pequena fábrica. Já em São Paulo, frequentou o Foto-Cine Clube Bandeirante e, entre os 15 e 16 anos, o Curso Livre de Cinema da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) e o Curso Superior de Cinema da Faculdade São Luiz.

Faz pequenos filmes em Super-8 e a continuidade para o longa As Amorosas (1968). Aluno da turma de 1971 a 1974 da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), filma curricularmente os curtas-metragens Pêndulo e Doces e Salgados (1974).

Como diretor, dsadsdairigiu a comédia Ed Mort (1996) e produziu os premiados longas-metragens Kenoma, de Eliane Caffé (1998), Através da janela, de Tata Amaral (2000), e Castelo Rá-tim-bum, de Cao Hamburger (2000), além do documentário Saudade do futuro, de Marie-Clémence e César Paes (2001).

Alain Fresnot formou-se em cinema pela ECA da USP em 1976, mas um ano antes já havia fundado a produtora A. F. Cinema e Vídeo. Sua estréia foi como continuísta de As amorosas (1968), de Walter Hugo Khouri. A partir daí, montou, produziu e dirigiu vários filmes curtos, como Pêndulo (1974), Nitrato (1975), Capoeira (1979) e Amor que fica (1986). Foi assistente de direção de Leon Hirszman em Eles não usam black tie (1981), co-roteirista, assistente de direção e montador de Doramundo (1978), montador de O homem que virou suco (1979) ambos de João Batista de Andrade, e montador de Janete, de Chico Botelho (1982) e de A marvada carne, de André Klotzel (1984), trabalho que lhe rendeu prêmio no Festival de Gramado. A comédia Lua cheia (1988) foi sua estréia na direção de longas, e conquistou o Sol de Ouro do RioCine Festival.

Alain Fresnot foi ainda vice-presidente da Associação Paulista de Cineastas e presidente da Comissão Estadual de Cinema de SP. Em 2003 lançou seu mais ambicioso projeto como diretor, o longa Desmundo, uma adaptação do romance de época homônimo de Ana Miranda.

Em 2008, concluiu as filmagens de seu novo longa-metragem de ficção, Família vende tudo, e trabalha nos projetos O princesa de corfu, Xique no Úrtimo e Raul, o início, o fim e o meio (2012).

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

201 :: Uma noite não é nada (Em Produção)
201 :: O princesa de corfu (Em Produção)
201 :: Xique no Úrtimo (Em Produção)
2011 :: Família vende tudo
2002 :: Desmundo
1996 :: Ed Mort
1989 :: Lua cheia
1986 :: Amor que fica
1979 :: Capoeira
1976 :: Trem Frantasma
1975 :: Nitrato
1974 :: Pêndulo

:: Filmografia como Roteirista ::

1978 :: Doramundo

:: Filmografia como Produtor ::

2016 :: Moto anjos, de Joe Tripician
2012 :: Raul, o início, o fim e o meio
2001 :: Saudade do futuro
2000 :: Através da janela
2000 :: Castelo Rá-tim-bum
1998 :: Kenoma
1996 :: Ed Mort
1979 :: Capoeira
1975 :: Nitrato
1974 :: Pêndulo

:: Filmografia como Montador ::

1984 :: A marvada carne
1982 :: Janete
1979 :: Trabalhadores Presente!
1979 :: O homem que virou suco
1979 :: Capoeira
1978 :: Doramundo
1975 :: Nitrato
1974 :: Pêndulo

:: Filmografia como Assistente de Direção ::

1981 :: Eles não usam black tie
1978 :: Doramundo

:: Filmografia como Assistente de Montagem ::

1978 :: Doramundo

Publicações

FRESNOT, Alain. Alain Fresnot: um cineasta sem alma. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

ALMEIDA, Paulo Sérgio; OLIVEIRA, José Maria de. (org.). Quem é Quem no Cinema. Rio de Janeiro: Iluminuras, 2003.
FRESNOT, Alain. Alain Fresnot: um cineasta sem alma. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.
NAGIB, Lúcia. O Cinema da Retomada: depoimentos de 90 cineastas dos anos 90. São Paulo: Editora 34, 2002. p. 201-208.
PERAÇOLI, Fabio; CANNITO, Newton. Entrevista com Alain Fresnot. Novo Cinema, São Paulo, ano 1, n. 6, mai. 1997. p. 8-9.
TEATRO do Ornitorrinco. São Paulo: Imprensa Oficial, 2009. 792.0981 To253

Revistas:

BERNARDET, Jean-Claude. Trem fantasma. São Paulo: Dinafilme, 1977. Press-release do filme, doc. 615/3 do acervo da Cinemateca Brasileira.
LEAL, Hermes. Alain Fresnot: não vivemos em Hollywood. In: Revista de Cinema, São Paulo, ano 2, n. 14, jun. 2001, p. 10-18.

Internet:

ALAIN Fresnot. In: ENCICLOPEDIA ITAÚ CULTURAL DE ARTE E CULTURA BRASILEIRAS. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa108143/alain-fresnot. Acesso em: 06 de Mai. 2017.

FILMEB. http://www.filmeb.com.br/

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.