Besouro (2009)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly

Sinopse

Besouro é um filme brasileiro que conta a vida de Besouro Mangangá (Ailton Carmo), um capoeirista brasileiro da década de 1920, a quem eram atribuídos feitos heróicos e lendários. Besouro é o nome do maior capoeirista de todos os tempos. Um menino que, ao se identificar com o inseto que desafia as leis da Física, desafia ele mesmo as leis cruéis do preconceito e da opressão. Um mito, um super-herói.

A escravidão foi abolida. Mas o preconceito fez com que os negros fossem tratados como escravos para ganhar um pouco de dinheiro para sobreviver. A palavra capoeirista assombrava homens e mulheres, mas o velho escravo Tio Alípio nutria grande admiração pelo filho de João Grosso e Maria Haifa. Era o menino Manoel Henrique que, desde cedo aprendeu, com o Mestre Alípio, os segredos da Capoeira na Rua do Trapiche de Baixo, em Santo Amaro da Purificação, sendo batizado com Besouro Mangangá por causa da sua flexibilidade e facilidade de desaparecer quando a hora era para tal. Mestre Alípio foi jurado de morte por ensinar capoeira. Mas Besouro tinha a responsabilidade de protegê-lo. Um dia, quando Besouro estava em uma roda de capoeira, um policial matou o mestre Alípio. Em uma feira onde escravos trabalhavam, Besouro começou a ver uma entidade (Exu) que o manda ajoelhar. Na tentativa de lutar capoeira com a entidade, besouro destrói toda a feira. O feitor e seus homens perseguem Besouro, que pula na água. Dona Zulmira, sua mentora espiritual e conselheira, entrega-lhe um colar(patuá) para fechar o corpo, protegendo-o dos ataques dos inimigos. Ou seja, a única coisa que pode matá-lo agora é a faca de ticum. Besouro começa a incendiar as plantações do coronel. Quero Quero, amigo de infância de Besouro, começa a se voltar contra ele, já que ele estava destruindo tudo que os escravos estavam fazendo. A namorada de Quero Quero, Dinorá, então termina o namoro com ele. Dinorá se encontra com Besouro e faz amor com ele. Quero Quero, revoltado, luta com Besouro na mata, e Besouro vence. Quero Quero então mata o feitor e o coloca na frente da casa grande incriminando o Besouro. Os homens do coronel caçam Besouro. Besouro elimina todos, mas o coronel o mata com a faca de ticum. O coronel tenta estuprar Dinorá que o massacra com capoeira. O filho de Besouro com Dinorá também recebe o nome de Besouro. O filme acaba com Besouro Jr. sorrindo com cara de mal para o coronel que passa de cavalo.

O filme estreou nos cinemas do Brasil no dia 30 de outubro de 2009. É dirigido por João Daniel Tikhomiroff.

Huen Chiu Ku, coreógrafo de Kill Bill, é o responsável pelas cenas de luta.

Elenco

Sérgio Laurentino (Exu)
Aílton Carmo (Besouro)
Anderson Grillo (Quero-Quero)
Sérgio Pererê (orixá Ossaim)
Adriana Alves (Oxum)
Jessica Barbosa (Orixá Iansã/Dinorá)
Zebrinha (Orixá Ogum)
Macalé dos Santos (Mestre Alípio)
Flávio Rocha (Coronel Venâncio)
Seu João
Irandhir Santos (Noca de Antônia)
Geisa Costa (Dona Zulmira)
Miguel Lunardi
Antônio Fábio (Serafim)
Nilton Júnior (Cobra Criada)
Denise Correia
Servílio de Holanda (CGenival)
Leno Sacramento (Chico Canoa)

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Besouro que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: João Daniel Tikhomiroff
Direção de Fotografia: Breno Cunha
Produtor: Vicente Amorim
Produtor associado: Daniel Filho
Produtor Executivo: Caique Martins Ferreira
Produtora Delegada: Eliane Ferreira
Coordenador das cenas de ação: Dee Dee
Preparação de elenco: Fátima Toledo
Figurinista: Bia Salgado
Maquiador: Martin Macias
Diretor de Arte: Claudio Amaral Peixoto
Documentário e making of: Kátia Lund
Montagem: Gustavo Giani
Fotógrafo: Christian Cravo
Direção musical: Rica Amabis
Música-tema: Gilberto Gil
Trilha sonora: Pupillo, Tejo Damasceno e Rica Amabis
Empresa Produtora: Mixer
Empresa CoProdutora: Miravista | Globo Filmes | Teleimage
Empresa Distribuição: Buena Vista International

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.