Blá Blá Blá (1968)

Sinopse

O sentido do poder e da palavra em crise situam o homem que os manipula numa idêntica crise pessoal, humana. A farsa do discurso de intenção humanista é total e absoluta. Um ditador num momento de uma grave crise nacional, institucional, confrontado na cidade e no campo por revoltas e guerrilha, na busca de uma paz ilusória, faz um longo pronunciamento pela televisão. Mas a realidade impõe-se à sua ficção e o controle da situação escapa-lhe das mãos. Sobra-lhe uma patética confissão antes de ser tirado do ar.

Blá Blá Blá, dirigido por Andréa Tonacci, recebeu o prêmio de Melhor Filme de Curta-metragem no Festival de Brasília de 1968.

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Blá Blá Blá (1968) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Andréa Tonacci

Ficção, 26 min, 1968, 14 anos.

Bibliografia

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Blá Blá Blá (1968). Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/bla-bla-bla/

Print Friendly, PDF & Email

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.