Bonitinha, mas Ordinária (1981)

Sinopse

Edgar é um rapaz de Minas, filho de um homem paupérrimo, fato esse que o constrange. Procurado por Peixoto, genro do milionário Werneck, recebe uma proposta: a de se casar com Maria Cecília, cunhada de Peixoto, menina riquíssima que foi currada por cinco negros nas matas do Alto da Boa Vista. Pelo dinheiro, Edgar aceita. Visitando Werneck, Edgar combina o casamento e conhece a futura sogra, senhora alienada do mundo. Edgar e Maria Cecília ficam noivos, mas ele tem dúvidas, pois namora Ritinha. Num de seus encontros, Maria Cecília descreve a sua curra no local do acontecimento. Peixoto mais tarde confirma todos os detalhes da descrição. Já de casamento marcado, Edgar e Ritinha se despedem num cemitério. Ritinha confessa então ser prostituta pois precisava sustentar a mãe e as irmãs. Edgar sai desesperado e vai à casa de Maria Cecília onde Peixoto, após uma briga com a cunhada, conta que a curra foi paga por ela mesma e que ele apenas a levara ao local combinado. Edgar, estupefato, descobre ainda que Peixoto é amante de Maria Cecília. Edgar sai correndo e procura Ritinha no bordel, arrebatando-a de lá.

Elenco

Santos, Lucélia
Wilker, José
Vera Fischer
Kroeber, Carlos
Moraes, Milton (Peixoto)
Delacy, Monah
Pires, Miriam
Oiticica, Sônia
Lopes, Xuxa
Nogueira, Eduardo
Rolim, Sávio
Jotta Barroso
Grey, Wilson
Silva, Adalberto
Mariano, Procópio
Couto, Newton
Meireles, Lu
Ohana, Cláudia
Fischer, Miriam
Bonaki, Catalina
Pesce, Petty
Moura, Nelson
Banzo
Bento, Zaqueu
Ventura, Edson
Siqueira, Gilson
Gonçalves, Walmir
Paulo, José
Kler, Cristina
Coutinho, Cid
Coura, Jefferson
Santamaria, Carlos

Participação especial:
Morineau, Henriette
Correa, Rubens

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Bonitinha, mas Ordinária (1981) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Braz Chediak
Argumento: Nelson Rodrigues
Roteiro: Pereira, Gilvan; Aguiar, Sindoval; Laclette, Jorge; Comparatto, Doc
Diálogos: Nelson Rodrigues
Estória Baseada na peça Bonitinha, mas ordinária ou Otto Lara Rezende de Nelson Rodrigues;
Produção: Rovai, Pedro Carlos
Co-produção: Rodrigues Filho, Nelson
Direção de produção: Oliosi, José; Cozzeti, Angela; Acerbi, Luiz Carlos
Assistência de produção: Oliveira, Adaury; Paulino, Jorge; Natorf, Joni; Gomes, Carmen; Antonucci, Luciano
Assistência de direção: Rodrigues Filho, Nelson
Diretor assistente: Aguiar, Sindoval
Continuidade: Valadão, Stella; Monteiro, Juliana
Direção de fotografia: Silva, Hélio
Câmera: Silva, Hélio
Assistência de câmera: Gervásio, Caio; Rozemberg, Irudy
Efeitos especiais de fotografia: César, Antônio
Fotografia de cena: Laclette, Renato; Jassouroun, Tereza; Cláudia, Maria
Eletricista: Beto; Baiano; Medeiros, Ruy
Maquinista: Paquetá
Técnico de som: Viana, Aloisio
Montagem: Valverde, Rafael
Figurinos: Massari, Marina
Cenografia: Maia, Arthur; Bernasconi, Nayá
Letreiros: Pimenta, Fernando; Rubene, Sonia
Maquiagem: Rubem, Sonia
Guarda-roupeira: Mery
Produção de figurinos: Massari, Marina; Sparta
Música: Neschling, John
Companhia Produtora: Sincrocine Ltda.
Companhias Distribuidoras: U.C.B. – União Cinematográfica Brasileira S.A. | W.V. Filmes | Condor Filmes

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
CB/Ficha Filmográfica
Guia de Filmes, 1981
Concine/80
O Globo, 23.01.1981

Fontes consultadas:
O Estado de S. Paulo, 01.03.1981 e 07.03.1981
Folha da Tarde, 01.01.1980 p.14 e 11.01.1980 p.14
Jornal do Brasil, 04.01.1981 p.5; 24.01.1981 p.8 e 11.02.1981 p.3
Cartaz

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.