Bruno Garcia

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Biografia

Bruno Garcia da Silva, em arte Bruno Garcia, nasceu em Recife, Pernambuco, no dia 29 de novembro de 1970. Em 1982, estreou como ator profissional e, a partir daí, não parou mais de fazer arte.

Em 1990, depois de ter feito diversas peças de teatro e inúmeros comerciais para a televisão, trabalhado com freqüência com João Falcão e Adriana Falcão, mudou-se para o Rio de Janeiro onde vive até hoje.

Após fazer espetáculos como A Ver Estrelas, na primeira montagem paulistana do clássico de João Falcão (onde foi agraciado com os prêmios Mambembe e APCA de 1995) e O Burguês Ridículo também com direção de João Falcão, em parceria com Guel Arraes, (onde atuou ao lado de Marco Nanini), fez também filmes, como That’s a Lero-Lero, de Lírio Ferreira e Amim Steple (com o qual recebeu o Candango de melhor ator do Festival de Cinema de Brasília de 1995) e Castro Alves – Retrato Falado do Poeta, de Silvio Tendler, além de ter participado de especiais para a TV Globo, como a microssérie Luna Caliente, com direção de Jorge Furtado, a minissérie Dona Flor, dirigida por Mauro Mendonça Filho, e também episódios da Comédia da Vida Privada, Mulher, entre outros.

Recentemente, Bruno Garcia pôde ser visto na televisão, em três episódios de Brava Gente, da TV Globo (O Santo e a Porca, com direção de Maurício Faria e em O Tocador de Tuba, dirigido por José Alvarenga), além da minissérie Os Maias, também da TV Globo (sob direção de Luiz Antônio Carvalho). Nos cinemas, esteve em cartaz com o Auto da Compadecida, primeiro longa-metragem de Guel Arraes. No teatro, por Lisbela e o Prisioneiro, do mesmo diretor, foi agraciado com o Prêmio Qualidade do Brasil de Melhor ator de comédia teatral/2001 e indicado ao Prêmio Governo do Estado do Rio de Janeiro como melhor ator.

Como diretor, Bruno Garcia fez vídeos e atuou em publicidade, onde se especializou em fazer chamadas para peças de Teatro, dentre as quais, a da montagem de A Ver Estrelas em São Paulo, 1995, onde utilizou uma câmera Super-8 para captar as imagens em película. No Teatro, dirigiu Mênon (adaptação de um dos diálogos de Platão, um texto clássico da Filosofia) que consumiu quatro anos de estudo e que, após algumas leituras dramatizadas, esteve em cartaz no Teatro do Museu da República em 1999. Em dezembro do mesmo ano, a convite de uma comissão de psicanalistas que assistiram ao espetáculo, Mênon participou da abertura das 1as Jornadas de Formações Clínicas do Campo Lacaniano, congresso que reuniu psicanalistas de vários países do mundo e que aconteceu no Salão Dourado do Hotel Glória, no Rio de Janeiro. Em março de 2000, Mênon participou do FRINGE, mostra paralela do Festival de Teatro de Curitiba, onde mereceu o seguinte destaque d’ O Estadão: “Uma boa surpresa desta edição foi à alta média de qualidade da mostra paralela, o Fringe (…) Merece destaque à ousadia, bem-sucedida, do diretor Bruno Garcia e dos atores Fernando Salis e Rosely Franco que levaram à cena ‘Mênon’, um dos diálogos de Platão, uma discussão sobre o que é a sabedoria e se ela pode ser ensinada”.

Fez ainda no Rio de Janeiro o espetáculo Polaróides Explícitas, com direção de Ary Coslov, e Desejos, Bazófias e Quedas, com direção de Hamilton Vaz Pereira.

Em 2002, o ator esteve em cartaz com o espetáculo Homem Objeto ao lado de Lucio Mauro Filho e Aramis Trindade, com direção de João Falcão, além do quadro homônimo no Fantástico, co-dirigido por João Falcão e Guel Arraes, com grande elenco. Neste mesmo ano, Bruno fez participação na novela Coração de Estudante, da Rede Globo.

Em 2003 estreou no fantástico o quadro Homem Objeto, que deu origem ao sitcom da Rede Globo, Sexo Frágil com direção de João Falcão. No cinema, participou dos longas: Dom, com Maria Fernanda Cândido e Marcos Palmeira, sob a direção de Moacyr Góes, e Lisbela e o Prisioneiro, de Guel Arraes. Neste mesmo ano fez ainda a novela Kubanacan da Rede Globo.

Em 2004, depois que acabaram as gravações da segunda temporada do programa Sexo Frágil (Rede Globo), Bruno começou a viajar pelas capitais brasileiras com o espetáculo Homem Objeto. Gravou participações nos programas, A Grande Família, Sitcom.br, A Diarista, Sob Nova Direção, Fazendo História (no Fantástico). Além disso, estreou o espetáculo A Maldição do Vale Negro.

Em 2005, filmou Sal de Prata, direção de Jorge Furtado. Na Tv fez uma participação nos capítulos finais da novela Começar de Novo. Ainda neste mesmo ano, depois de 24 anos de carreira, Bruno Garcia estreou como protagonista na novela Bang Bang, onde viveu o personagem Ben Silver.

Em 2006, fez participação no quadro do Fantástico 7 Pecados, com direção de João Falcão. Rodou o longa Saneamento Básico – O Filme, de Jorge Furtado. Foi um dos protagonistas, vivendo o personagem Juan, na novela Pé na Jaca da Tv Globo.

Em 2007, Bruno dirigiu o espetáculo Apareceu a Margarida, que ficou em cartaz no Teatro Cândido Mendes, no Rio de Janeiro. Filmou o longa Romance, de Guel Arraes.

Em 2008, viveu o personagem Pedro na minissérie Queridos Amigos. Fez uma participação no programa Casos e Acasos, no episódio O ex, a promoção e o vizinho. No cinema, estreou o longa Cleópatra. Viveu o personagem Glavão na novela Três Irmãs, da TV Globo.

No ano de 2009, estreou o espetáculo A Comédia dos Erros em São Paulo, e voltou a dirigir a peça Apareceu a Margarida. Gravou o quadro Domingo é dia de para o programa Fantástico da TV Globo. Viveu o personagem Daniel Jr. na minissérie Cinquentinha, de Aguinaldo Silva.

Em 2010, filmou o longa De Pernas pro ar, de Roberto Santucci. Em abril, estréia no programa Emergência da TV Globo.

Filmografia

2016 :: Uma loucura de mulher
2016 :: O Caseiro
2012 :: De pernas pro ar 2
2010 :: De pernas pro ar
2009 :: O Bem Amado
2008 :: Romance
2007 :: Cleópatra
2007 :: Saneamento Básico – O Filme
2005 :: Sal de Prata
2003 :: Dom
2003 :: Lisbela e o Prisioneiro
2003 :: Bala na marca do Pênalt
2001 :: Oswaldo Cruz, O médico do Brasil
2001 :: Ismael e Adalgisa
1999 :: O Auto da Compadecida
1999 :: Castro Alves – Retrato falado do Poeta
1998 :: Ilusionistas Rumo ao Terceiro Milênio (vídeo documentário)
1995 :: That’s a Lero-Lero
1994 :: Geraldo Voador
1987 :: Andy Warhol está Morto
1988 :: Batom

Bibliografia
Fontes de Referência

Internet:

BLOG OFICIAL BRUNO GARCIA. http://brunogarciainfo.blogspot.com/

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.