Romances Arquivo

  • <strong>O Matador</strong> é um romance policial escrito por <strong>Patrícia Melo</strong>. O livro foi adaptado para o cinema em 2003, com o lançamento do filme <strong>O Homem do Ano</strong>.

    LIVRO – O Matador

    O Matador é um romance policial escrito por Patrícia Melo. O livro foi adaptado para o cinema em 2003, com o lançamento do filme O Homem do Ano.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">O jovem Jacques é o professor de um pequeno povoado. Seu pai, um jovem forasteiro francês, que abandonou o filho e a esposa. Um dia, ao visitar a cidade vizinha para ir à primeira vez a um bordel, Jacques tem uma grande surpresa, e a explicação de tudo pode estar muito perto dele. Uma história comovente e cheia de magia.</p>

    LIVRO – Um Pai de Cinema

    O jovem Jacques é o professor de um pequeno povoado. Seu pai, um jovem forasteiro francês, que abandonou o filho e a esposa. Um dia, ao visitar a cidade vizinha para ir à primeira vez a um bordel, Jacques tem uma grande surpresa, e a explicação de tudo pode estar muito perto dele. Uma história comovente e cheia de magia.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">Livro ganhador do <em>Prêmio de Ficção</em> do <em>Friends of American Writers</em> e adaptado para o cinema, <strong>Entre irmãs</strong> é uma história de amor e lealdade, um romance arrebatador sobre a saga de uma família e de um país em transição. Trata-se de um impressionante romance seduz pela contundente constituição dos personagens e pelos detalhes vívidos. Um livro ideal para os fãs de <strong>Isabel Allende</strong>.</p>

    LIVRO – Entre Irmãs

    Livro ganhador do Prêmio de Ficção do Friends of American Writers e adaptado para o cinema, Entre irmãs é uma história de amor e lealdade, um romance arrebatador sobre a saga de uma família e de um país em transição. Trata-se de um impressionante romance seduz pela contundente constituição dos personagens e pelos detalhes vívidos. Um livro ideal para os fãs de Isabel Allende.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">Um violino Stradivarius desaparecido, algumas orelhas cortadas e seus respectivos cadáveres trazem o famoso Sherlock Holmes ao Brasil, por recomendação de sua não menos famosa amiga Sarah Bernhardt. Porém aquilo que parecia um pequeno e discreto caso imperial transforma-se numa saga cheia de perigos, tais como feijoadas, vatapás, mulatas, intelectuais de botequim, pais-de-santo e cannabis sativa. Sem falar, é claro, dos crimes do primeiro serial killer da história, que executa seu sinistro plano nota a nota, com notável afinação e precisão de corte.</p>

    LIVRO – O Xangô de Baker Street

    Um violino Stradivarius desaparecido, algumas orelhas cortadas e seus respectivos cadáveres trazem o famoso Sherlock Holmes ao Brasil, por recomendação de sua não menos famosa amiga Sarah Bernhardt. Porém aquilo que parecia um pequeno e discreto caso imperial transforma-se numa saga cheia de perigos, tais como feijoadas, vatapás, mulatas, intelectuais de botequim, pais-de-santo e cannabis sativa. Sem falar, é claro, dos crimes do primeiro serial killer da história, que executa seu sinistro plano nota a nota, com notável afinação e precisão de corte.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">Livro que deu origem ao filme <strong>Lúcio Flávio, o passageiro da agonia</strong> (1977), dirigido por <strong>Hector Babenco</strong>.</p>

    LIVRO – Lúcio Flávio, o passageiro da agonia

    Livro que deu origem ao filme Lúcio Flávio, o passageiro da agonia (1977), dirigido por Hector Babenco.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">Em 2017, <strong>Drauzio Varella</strong> encerra sua trilogia literária sobre o sistema carcerário brasileiro com <strong>Prisioneiras</strong>. Alçando as mulheres encarceradas a protagonistas, o médico rememora os últimos onze anos de atendimento na <em>Penitenciária Feminina da Capital</em>, que abriga mais de duas mil detentas. São histórias de mulheres que não raro entram para o crime por conta de seus parceiros - inclusive tentando levar drogas aos companheiros nas penitenciárias masculinas em dias de visita -, mas que são esquecidas quando estão atrás das grades. As famílias conseguem tolerar um encarcerado, mas não uma mãe, irmã, filha ou esposa na cadeia. No ambiente carcerário feminino, há elementos comuns às penitenciárias masculinas. Assim como no Carandiru, um código de leis não escrito rege as prisioneiras; o <em>Primeiro Comando da Capital (PCC)</em> está presente e mostra sua força através das mulheres que integram a facção; e a relação entre aquelas que habitam as cadeias não é menos complexa. As casas de detenção femininas, no entanto, guardam suas particularidades - diferenças às quais o médico paulistano dedica atenção especial em sua narrativa. Desde a dinâmica dos atendimentos e a escassez de visitas até os relacionamentos entre as presas, fica nítido que a realidade das prisões escapa ao imaginário de quem vive fora delas. Prisioneiras é um relato franco, sem julgamentos morais, que não perde o senso crítico em relação às mazelas da sociedade brasileira.</p>

    LIVRO – As Prisioneiras

    Em 2017, Drauzio Varella encerra sua trilogia literária sobre o sistema carcerário brasileiro com Prisioneiras. Alçando as mulheres encarceradas a protagonistas, o médico rememora os últimos onze anos de atendimento na Penitenciária Feminina da Capital, que abriga mais de duas mil detentas. São histórias de mulheres que não raro entram para o crime por conta de seus parceiros - inclusive tentando levar drogas aos companheiros nas penitenciárias masculinas em dias de visita -, mas que são esquecidas quando estão atrás das grades. As famílias conseguem tolerar um encarcerado, mas não uma mãe, irmã, filha ou esposa na cadeia. No ambiente carcerário feminino, há elementos comuns às penitenciárias masculinas. Assim como no Carandiru, um código de leis não escrito rege as prisioneiras; o Primeiro Comando da Capital (PCC) está presente e mostra sua força através das mulheres que integram a facção; e a relação entre aquelas que habitam as cadeias não é menos complexa. As casas de detenção femininas, no entanto, guardam suas particularidades - diferenças às quais o médico paulistano dedica atenção especial em sua narrativa. Desde a dinâmica dos atendimentos e a escassez de visitas até os relacionamentos entre as presas, fica nítido que a realidade das prisões escapa ao imaginário de quem vive fora delas. Prisioneiras é um relato franco, sem julgamentos morais, que não perde o senso crítico em relação às mazelas da sociedade brasileira.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">O médico <strong>Drauzio Varella</strong> relata dez anos de atendimento voluntário na <em>Casa de Detenção de São Paulo</em>, considerado até então o maior presídio do Brasil, e mostra como um código penal não-escrito organizava o comportamento da população carcerária. Lançado em 1999 e transformado em filme em 2003 pelas mãos do cineasta <strong>Hector Babenco</strong>, <strong>Estação Carandiru</strong> recebeu o <em>Prêmio Jabuti 2000</em> de livro do ano e, desde então, já vendeu centenas de milhares de exemplares.</p>

    LIVRO – Estação Carandiru

    O médico Drauzio Varella relata dez anos de atendimento voluntário na Casa de Detenção de São Paulo, considerado até então o maior presídio do Brasil, e mostra como um código penal não-escrito organizava o comportamento da população carcerária. Lançado em 1999 e transformado em filme em 2003 pelas mãos do cineasta Hector Babenco, Estação Carandiru recebeu o Prêmio Jabuti 2000 de livro do ano e, desde então, já vendeu centenas de milhares de exemplares.

    Continue Lendo...

  • Sinopse Dados Técnicos Sinopse O livro foi adaptado para o cinema no filme Jorge, um brasileiro (1989), dirigido pelo cineasta Paulo Thiago. Dados Técnicos >> Dados Técnicos Título: Jorge, um […]

    LIVRO – Jorge, um brasileiro

    Sinopse Dados Técnicos Sinopse O livro foi adaptado para o cinema no filme Jorge, um brasileiro (1989), dirigido pelo cineasta Paulo Thiago. Dados Técnicos >> Dados Técnicos Título: Jorge, um […]

    Continue Lendo...

  • Sinopse Dados Técnicos Sinopse No início de 1922, Lima Barreto anunciava na imprensa do Rio de Janeiro que seu novo romance, intitulado Clara dos Anjos, já estava bem adiantado, e […]

    LIVRO – Clara dos Anjos (Ed. 2012)

    Sinopse Dados Técnicos Sinopse No início de 1922, Lima Barreto anunciava na imprensa do Rio de Janeiro que seu novo romance, intitulado Clara dos Anjos, já estava bem adiantado, e […]

    Continue Lendo...

  • Sinopse Dados Técnicos Sinopse . Dados Técnicos >> Dados Técnicos Título: Clara dos Anjos Coleção: A Obra-Prima de cada Autor Autor: Lima Barreto Editora: Martin Claret Ano da Edição: 2011 […]

    LIVRO – Clara dos Anjos (Ed. 2011)

    Sinopse Dados Técnicos Sinopse . Dados Técnicos >> Dados Técnicos Título: Clara dos Anjos Coleção: A Obra-Prima de cada Autor Autor: Lima Barreto Editora: Martin Claret Ano da Edição: 2011 […]

    Continue Lendo...

  • Filho de uma escrava liberta e um tipógrafo, <strong>Lima Barreto</strong> nunca teve em vida o reconhecimento que a sua obra merecia. Isso talvez se justifique, ao menos em parte, pela repercussão de <strong>Recordações do Escrivão Isaías Caminha</strong> na sociedade carioca. Ao ambientar o personagem numa redação de jornal, <strong>Lima Barreto</strong> trata de maneira impiedosa a classe jornalística, que respondeu aos insultos banindo o autor da imprensa carioca. E, embora tenha sido publicada em 1909, em meio ao otimismo pós-Lei Áurea, a história de Isaías mostra um cotidiano bastante cruel para os negros. O jovem é culto e inteligente mas isso não basta para que ele seja inserido na sociedade, pois será esmagado pelo preconceito racial.

    LIVRO – Recordações do Escrivão Isaías Caminha (Ed. 2010)

    Filho de uma escrava liberta e um tipógrafo, Lima Barreto nunca teve em vida o reconhecimento que a sua obra merecia. Isso talvez se justifique, ao menos em parte, pela repercussão de Recordações do Escrivão Isaías Caminha na sociedade carioca. Ao ambientar o personagem numa redação de jornal, Lima Barreto trata de maneira impiedosa a classe jornalística, que respondeu aos insultos banindo o autor da imprensa carioca. E, embora tenha sido publicada em 1909, em meio ao otimismo pós-Lei Áurea, a história de Isaías mostra um cotidiano bastante cruel para os negros. O jovem é culto e inteligente mas isso não basta para que ele seja inserido na sociedade, pois será esmagado pelo preconceito racial.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;"><strong>Raduan Nassar</strong> escreveu apenas dois livros e alguns contos, reunidos posteriormente, antes de abandonar a escrita há mais de trinta anos. Com esta breve porém decisiva obra, firmou-se como um dos maiores escritores de língua portuguesa e, mais de quatro décadas após sua estreia na literatura com <strong>Lavoura arcaica</strong>, romance publicado em 1975, continua sendo lido e estudado no Brasil e fora dele. Às edições nacionais seguiram-se estrangeiras e o reconhecimento da crítica internacional. Tendo sua obra traduzida para dez idiomas, e adaptada para o cinema mais de uma vez, <strong>Raduan Nassar</strong> foi nomeado para diversos prêmios. Esta edição, revisada pelo autor, traz, além de <strong>Lavoura arcaica</strong>, <strong>Um copo de cólera</strong> e <strong>Menina a caminho</strong>, dois contos e um ensaio inéditos no Brasil, e conta também com extensa fortuna crítica e outros aparatos textuais que cobrem a vasta recepção a estes clássicos da ficção contemporânea.</p>

    LIVRO – Raduan Nassar: Obra Completa

    Raduan Nassar escreveu apenas dois livros e alguns contos, reunidos posteriormente, antes de abandonar a escrita há mais de trinta anos. Com esta breve porém decisiva obra, firmou-se como um dos maiores escritores de língua portuguesa e, mais de quatro décadas após sua estreia na literatura com Lavoura arcaica, romance publicado em 1975, continua sendo lido e estudado no Brasil e fora dele. Às edições nacionais seguiram-se estrangeiras e o reconhecimento da crítica internacional. Tendo sua obra traduzida para dez idiomas, e adaptada para o cinema mais de uma vez, Raduan Nassar foi nomeado para diversos prêmios. Esta edição, revisada pelo autor, traz, além de Lavoura arcaica, Um copo de cólera e Menina a caminho, dois contos e um ensaio inéditos no Brasil, e conta também com extensa fortuna crítica e outros aparatos textuais que cobrem a vasta recepção a estes clássicos da ficção contemporânea.

    Continue Lendo...