Cecil Thiré

Biografia

FOTO Cecil ThireCecil Aldary Thiré, em arte conhecido como Cecil Thiré é um consagrado ator, roteirista e diretor de teatro, tv e cinema brasileiro nascido no Rio de Janeiro (RJ) no dia 28 de maio de 1943. Atua em cinema, teatro e televisão e é professor de interpretação. Filho único do cineasta e artista plástico Carlos Arthur Thiré e da consagrada atriz Tônia Carrero, é pai dos Miguel Thiré, Carlos Thiré e Luísa Thiré.

Recebeu seu nome, Cecil, em homenagem ao diretor e produtor norte-americano Cecil B. DeMille. É neto do professor Cecil Thiré, companheiro de Malba Tahan na escrita de livros de matemática, ambos professores do Colégio Pedro II.

Foi uma criança muito fechada e quieta, pois sofria com a ausência da mãe, envolvida com sua carreira de atriz. Aos 9 anos, faz figuração no filme Tico-Tico no Fubá, em que sua mãe é estrela. O seu talento precoce e o ambiente em que vive, não poderiam direcionar-lhe para outro lado, se não o artístico.

Aos 17 anos, estudou interpretação teatral com Adolfo Celi. Sua estreia em 1964, na peça Descalços no Parque, de Neil Simon. Trabalhou intensamente em teatro na década de 1960. Mas, carregando o peso de ser apenas o filho de Tônia Carrero, precisou fazer oito anos de análise para superar este estigma e conviver bem com a profissão. A partir de então, trabalhou diversas vezes ao lado da mãe.

Como ator, estreou oficialmente em cinema no episódio Zé da Cachorra, integrante do filme Cinco Vezes Favela (1962); a seguir atuou em Os Fuzis (1964), Luz del Fuego (1982), O Quatrilho (1995).

Aos 19 anos, dirigiu seu primeiro filme, o curtametragem Os Mendigos. Em 1967, trabalhou na direção do longa metragem O Diabo mora no Sangue (1968) e, depois, O Ibrahim do subúrbio. Como ator, esteve no elenco de mais de vinte filmes, tendo começado aos nove anos, numa pequena aparição em Tico-tico no Fubá, estrelado por Tônia Carrero.

Sua estreia na televisão aconteceu em 1967, na novela Angústia de Amar. Entre tantas outras, destacam-se Escalada (1975), Sol de Verão (1982), O Espigão, Escalada, Sol de Verão, Champagne, Top Model. Os pontos altos de sua carreira televisiva acontecerem nas novelas Roda de Fogo (1985), no papel de Mário Liberato, o vilão gay da trama; A Próxima Vítima (1995), onde viveu Adalberto Vasconcelos, o grande assassino da trama; Zazá (1997), A Padroeira (2001), Celebridade (2004); além da minissérie JK (2006), no papel do general Henrique Lott, e os históricos humorísticos Planeta dos Homens (1976), Viva o Gordo (1981) e Balança Mas Não Cai (1983).

Iniciou-se na direção teatral em 1971, em Casa de Bonecas, de Henrik Ibsen. Em 1975, dirigiu A noite dos campeões, de Jason Miller, e ganhou o Prêmio Moliére. Seguiu ininterruptamente com trabalhos no teatro como ator e diretor, às vezes como ambos, como em A Noite dos Campeões e Constantina.

Em 1984, afastou-se dos palcos, para se dedicar ao ensino de teatro, retornando dez anos depois, em três montagens consecutivas. Em sua carreira foram mais de quarenta peças como ator e outro tanto como diretor.

Paralelamente, trabalhou intensamente na televisão, atuando em mais de vinte novelas e minisséries, estando ainda por mais de oito anos em programas humorísticos.

Como diretor, na televisão, mantém a mesma competência, o que se evidencia nas novelas Sassaricando (1987) e Araponga (1990). Em 2006, saiu da Globo, onde participava como ator do humorístico Zorra Total. Neste mesmo ano, assinou contrato com a TV Record para participar da novela Cidadão Brasileiro (2006), de Lauro César Muniz. Participou da novela Vidas Opostas (2007), de Marcílio Moraes. Atualmente tem um contratado de longo prazo pela emissora para atuar como ator e diretor.

Foi responsável pela criação e implantação, em 1986, da Casa da Interpretação, na Casa das Artes no bairro carioca de Laranjeiras, além de ter sido o fundador da Oficina de Atores da Rede Globo. Ministra regularmente cursos de interpretação nessas e em outras instituições, tendo colaborado na formação de atores em várias cidades do país.

Desde a década de 1990, participa do espetáculo A Paixão de Cristo, apresentado no município de Angra dos Reis (RJ) e nos Arcos da Lapa, no centro do Rio de Janeiro, no papel de Pôncio Pilatos.

Do seu primeiro casamento com a produtora musical Norma Pesce, teve três filhos, todos ligados à carreira artística, Carlos Thiré (1975), Luísa Thiré (1973) e Miguel Thiré (1982). Da sua união com a modelo Carolina Cavalcanti teve mais um filho, João, nascido em 1989. Desde 2006, está casado com a diretora teatral Nancy Galvão.

Em 2009, a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, por meio da Coleção Aplauso, lançou sua biografia, Cecil Thiré: mestre do seu ofício, de autoria de Tânia Carvalho.

Em 2014, retornou a Globo atuando Seu Afonso Aurélio na novela Alto Astral.

Cecil Thiré é proprietário de um sítio em Piraí (RJ), onde cria gado, e de um restaurante no balneário de Rio das Ostras (RJ).

Filmografia

:: Filmografia como Ator ::

2015 :: Há Muitas Noites na Noite
2009 :: Destino
2009 :: Bela Noite para Voar
2006 :: Didi, o Caçador de Tesouros
2003 :: Noite de Sol (CM)
2002 :: Harmada
2001 :: Sonhos Tropicais
1999 :: Cronicamente Inviável
1998 :: Caminho dos Sonhos (Um Sonho no Caroço do Abacate)
1998 :: Caminho dos Sonhos
1996 :: Mil e Uma
1995 :: O Quatrilho
1992 :: O Destino de Sarah (Inacabado)
1992 :: Oswaldianas (Episódio: Daisy das Almas do Outro Mundo)
1991 :: Caccia Allo Scorpione D’oro (Operação Golden Scorpion) (Itália)
1991 :: Forever
1991 :: Manobra Radical
1991 :: Forever (Per Sempre) (Brasil/Itália)
1988 :: A Bela Palomera (Fabula de La Bella Palomera) (Brasil/Espanha)
1982 :: Luz del Fuego
1980 :: À Procura do Público (CM)
1979 :: Muito Prazer
1977 :: O Ibrahim do Subúrbio (Episódio: Ibrahim do Subúrbio)
1975 :: Eu Dou o que Ela Gosta
1974 :: Cultura e Opulência do Brasil (CM) (narração, juntamente com Nelson Dantas)
1974 :: Ainda Agarro esta Vizinha
1974 :: Como nos livrar do saco
1969 :: O Bravo Guerreiro
1965 :: Arrastão (Les Amants de la Mer) (França/Brasil)
1965 :: Arrastão
1965 :: Society em baby-doll
1965 :: Crônica da Cidade Amada (Episódio: Aventura Carioca)
1964 :: Os Fuzis
1964 :: Os Mendigos
1963 :: Marafa (Inacabado)
1962 :: Cinco vezes Favela (Episódios: Zé da cachorra e Pedreira de São Diego)
1952 :: Tico-Tico no Fubá (participação não creditada)

:: Filmografia como Diretor ::

1977 :: O Ibraim do subúrbio (Episódio: Ibrahim do Subúrbio)
1968 :: O Diabo mora no Sangue

:: Filmografia como Roteirista ::

1977 :: O Ibraim do subúrbio
1975 :: Eu Dou o que ela Gosta
1972 :: A Viúva Virgem

:: Filmografia como Locutor (Narrador) ::

1978 :: Festa no País nas Geraes (CM) (narração)
1974 :: Modinha (CM) (narração)
1973 :: O Jangadeiro (CM) (narração)
1973 :: Feiras do Nordeste (CM) (narração)
1973 :: Caulos, um Desenhista de Humor (CM) (narração)
1973 :: Salas de Aula do Brasil (CM) (narração)
1972 :: Bandeiras e Futebol (CM) (narração)

:: Filmografia como Assistente de Direção ::

1964 :: Os Fuzis
1964 :: Os Mendigos

Bibliografia

Livros:

CARVALHO, Tânia. Cecil Thiré: mestre do seu ofício. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Cecil Thiré. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/cecil-thire/

Print Friendly, PDF & Email

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.