Destino em apuros (1953)

Sinopse

Figura humana, como outra qualquer, com a diferença de possuir hábitos um tanto esquisitos. Por exemplo: morar no 40º andar de um edifício de 3 ou 4 pavimentos. Um belo dia como todos os mortais, comete ele um engano, confundindo duas vidas, e, como não podia deixar de acontecer, surgem daí grandes complicações.

Foi o primeiro longa metragem produzido inteiramente com cenas coloridas, e foi o responsável por introduzir os filmes coloridos no Brasil.

Elenco

Beatriz Consuelo
Hélio Souto
Paulo Autran
Armando Couto
Waldemar Seyssel
Jaime Barcellos
Lídia Vaini
Paulo Goulart
Elísio de Albuquerque

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Destino em Apuros (1953) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Ernesto Remani
Argumento: Mário Civelli
Roteiro: Jacques Maret
Diálogos: Sérgio Brito
Autoria do texto de locução: Mário Civelli
Assistência de direção: Claudio Barsotti
Direção de Produção: Mário Civelli
Assistência de produção: Eduardo Tanon e Glauco Mirko Laurelli
Gerente de produção: Saul Lachtermarcher e Rafael Oliveira
Direção de fotografia: H.B. Corell
Cinegrafista: H.B. Corell
Direção de som: George Montiel
Montagem: Gino Talamo e Francisco Mignone
Cenografia: Franco Cenni
Direção musical: Francisco Mignone
Companhia Produtora: Multifilmes S.A.
Companhia Distribuidora: U.C.B. – União Cinematográfica Brasileira S.A.

Canção
Intérprete: Barroso, Inesita;
Intérprete: Ruschel, Paulo;
Intérprete: Teles, Luís

Prêmios

Prêmio Saci, 1953, SP, de Melhor Fotografia em Anscolor para Corell, H. B…
Prêmio O Índio, 1953, da Revista Jornal de Cinema, RJ, de Menção Especial.

Bibliografia

Fontes utilizadas:
JN/Imigrantes – Americanos II
AV/ICB
FCB/FF
JCB/Chan
CS/FF

Fontes consultadas:
ACPJ/I
ALSN/DFB-LM

Observações:
AV/ICB informa que trata-se do primeiro filme brasileiro de longa-metragem inteiramente colorido.
A pré-estréia foi em benefício da Campanha de Fundos para Assistência Social.
“O argumento tinha nítida conotação com um dos filmes americanos de René Clair ‘O tempo é uma ilusão’. Para efetivar os recursos existentes nos seus galpões de filmagem, inaugurados próximos à cidade de Mairiporã, a história acrescentava ballets, ambientes amplos e requintados, para ressaltar a fotografia em cores (…). Infelizmente, o filme resultou abaixo da crítica (…).” (Máximo Barro; cit. in. ALSN/DFB-LM)

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.