Dona Flor e seus Dois Maridos (1976)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sinopse

Na madruga de domingo de Carnaval em 1943, em Salvador, um grupo de foliões está sentado na calçada de um bar cantando e bebendo. Olham para uma mulata e vão até ela, e começam a dançar. Após um tempo um deles cai morto no chão, é Vadinho (José Wilker), um mulherengo e jogador inveterado, morre repentinamente e sua mulher, Dona Flor (Sônia Braga), fica inconsolável, pois apesar dele ter vários defeitos era um excelente amante. Após o enterro, Flor, a viúva, relembra seu casamento.

Vadinho se mostra um típico malandro com compulsão pelo jogo. Sai todos os dias com amigos para jogar e beber, e quase sempre chega em casa bêbado na manhã seguinte. Algumas vezes Flor o encontra jogado na calçada. Pede dinheiro emprestado para todo mundo e adquire muitas dívidas, e certa vez chega a bater em Flor pelo fato de ela se negar a lhe emprestar algum. Além disso tem muitas amantes. Apesar de não ser um marido exemplar, Flor gosta muito dele e sente muito sua falta quando ele morre.

Com o tempo, Flor vai deixando o sofrimento de lado e vai retomando a sua rotina, começa a se vestir melhor e a sair mais de casa. Um dia recebe uma carta e acaba descobrindo que o farmacêutico Teodoro Madureira (Mauro Mendonça), que é exatamente o oposto do primeiro marido e está apaixonado por ela. Assim, Flor decide se casar com ele, passando a ter uma vida estável e tranqüila, mas algumas vezes se sente agoniada e tediosa.

De tanto chamar pelo primeiro marido, um dia ela começa a receber visitas do fantasma de Vadinho que, nu na sua cama, se insinua para ela. No início, Flor resiste e até decide recorrer a um pai-de-santo para mandar Vadinho embora, mas ela se arrepende logo em seguida e o chama de volta desesperada. A partir daí Vadinho passa a dividir as atenções de sua viúva com Dr. Teodoro.

Elenco

Sônia Braga …. Dona Flor (Florípides) Guimarães
José Wilker …. Valdomiro ‘Vadinho’ Santos Guimarães
Mauro Mendonça …. Dr. Teodoro Madureira
Marta Moyano …. Amália
Eliane Rogério …. Tavinha
Betty Faria …. Leniza Mayer the Famous Singer
Fernanda de Jesus
Nelson Xavier …. Mirandão
Sue Ribeiro …. Magnólia
Orlanita Ribeiro …. Mulher
Ivanilda Ribeiro …. Sofia
Dinorah Brillanti …. Rozilda
Sílvia Cadaval …. Jacy
Marta Anderson …. Mirabel
Joaquim Menezes …. Comendador
Wilson Mello …. Vivaldo
Cláudio Mamberti …. Bicha Castelo
Heleno Lopes …. Croupier
Nilda Spencer …. Dinorah
Mercedes Ruehl …. American girl do Cassino
Mara Rúbia …. Claudete
Dita Côrte-Real …. Inácia
Lourdes Coimbra …. Dionísia
Mário Gusmão …. Arigof
João Gama …. Moreira
Zé Anão …. Anão
Hélio Ary …. Venceslau Diniz
Manfredo Colassanti …. Pelanchi
Francisco Dantas …. Dr. Argemiro
Nelson Dantas …. Clodoaldo, o poeta
Jurandyr Ferreira …. Emílio Veiga
Antonio Ganzarolli …. Dedinho
José Tadeu Ribeiro …. Pai Gerônimo
Rui Resende …. Cazuza
Lícia Magna …. Filó
Haydil Linhares …. Norminha
Betty Lago …. Zizi
Antônio Victor …. Antiógenes
Francisco Santos …. Venâncio
Alvaro Freire …. Prof. Silvério
Arthur Costa Filho …. Carlinhos
Miguelão …. Paranaguá Ventura
Gigi …. Comadre Velório

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Dona Flor e seus Dois Maridos (1976) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Bruno Barreto
Roteiro: Anisio Medeiros, Bruno Barreto, Leopoldo Serran e Murilo Salles e Eduardo Coutinho
Adaptação: Eduardo Coutinho e Leopoldo Serran
Estória: Baseada no romance Dona Flor e seus dois maridos, de Jorge Amado
Assistência de direção: Jorge Duran e Emiliano Ribeiro
Continuidade: Silvia de Souza Moreiras
Produção: Luiz Carlos Barreto e Newton Rique
Direção de produção: Ivan de Souza e José Carlos Escalero
Produção executiva: Paulo Cezar Sesso
Produtor associado: Paulo Cezar Sesso e Nelson Porto
Assistência de produção: Tharya Costalonga Gomes, Osmar Costa, José Eduardo Moraes, Antonio Olavo dos Santos Filho e Fábio Barreto
Coordenação de produção: Lucy Barreto
Transporte: Medeiros, Reinaldo; Carvalho, Antonio; Roberto, Paulo; Ribeiro, Oswaldo; Kalili
Direção de fotografia: Murilo Salles
Assistência de câmera: Antonio Luiz Mendes, Moreiras, Antonio; Dutra; Medeiros, Newton
Fotografia de cena: Leonardo Gandelman
Eletricista: Jadeyr Guimarães, Ademar da Silva, Regis Galvão e Haroldo Telles
Maquinista: Moacyr Estevão e José Pinheiro
Direção de som: Vitor Raposeiro e Roberto Melo
Técnico de som: Antônio Cezar da Silva Santos
Som direto: Walter Goulart
Efeitos especiais de som: Geraldo José
Ruídos de sala: Walter Goulart
Som guia: Antonio Cezar
Técnico de mixagem: Vitor Rapozeiro
Técnico de dublagem: Roberto Melo
Montagem: Raimundo Higino
Assistente de montagem: Sergio Santos da Silva Lima
Figurinos: Anísio Medeiros
Guarda-roupa: Antonia Machado Fonseca e Edméia Nobre Rodrigues Saldanha
Cenografia: Anísio Medeiros
Títulos de apresentação: Cyro Del Nero e Rudi Bohm
Assistencia de cenografia: Paulo Sergio de Jesus Chada
Contra-regra/acessórios de cenografia: Henrique Almeida e Osmar Costa
Cabelereiro: Jaque Jorge de Jordão Monteiro
Maquiagem: Jaque Jorge de Jordão Monteiro
Assistência de maquiagem: Gisélia Alves
Arranjos musicais: Francis Hime
Música original: Francis Hime
Música-tema: Chico Buarque de Holanda
Companhia Produtora: Produções Cinematográficas L. C. Barreto Ltda.
Companhias Produtoras Associadas: Triângulo Filmes | Companhia Serrador
Companhia Distribuidora: Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.
Financimento/patrocínio: Banco Nacional | Banco Econômico S.A. | Banco América do Sul

Canção
Título: Que será, que será?
Autor da canção: Holanda, Chico Buarque de
Intérprete: Simone

Prêmios

Prêmio Especial do Júri no Festival de Taormina, 1977 – IT..
Melhor Ator para Mendonça, Mauro, Melhor Trilha Sonora para Hime, Francis e Prêmio Especial de Melhor Cenografia para Medeiros, Anísio no Festival de Gramado, 5, 1977, RS..
Melhor Ator para Mendonça, Mauro no Prêmio Air France de Cinema, 10, 1976, RJ..
Prêmio Coruja de Ouro, 1977, do INC – Instituto Nacional de Cinema..
Prêmio Adicional de Qualidade, 1976 – INC

Bibliografia

Livros:

AMADO, Jorge. Dona Flor e seus dois maridos. : , .

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
Press-release
Guia de Filmes, 64
Embrafilme/FIFLM
CB/FIBRA
O Estado de S. Paulo, 21.11.1976, p. 42
CCSP/LMP
Correio Braziliense, 29.07.1978
Folha de S. Paulo, 23.02.1978, p. 41
Jornal do Brasil, 16.07.1977, coluna de Zózimo B. do Amaral
Embrafilme/Catálogo 1986

Fontes consultadas:
ACPJ/II
MA/CFCCM
ALSN/DFB-LM
Jornal do Brasil, 23.08.1997, Caderno B, p. 3

Observações:
MA/CFCCM informa que o filme figurou em 3º lugar na lista “As 10 maiores rendas de filmes nacionais em 1976”; figurou em 3§ lugar na lista As 10 maiores rendas do filme nacional no período de 06 anos (de julho de 1970 a dezembro de 1976); figurou em 1º lugar na lista As 10 maiores rendas do filme nacional no período de julho de 1970 a junho de 1977, com renda de Cr$ 65.567.483,10 e com 7.591.693 espectadores.
Jornal do Brasil de 20.10.1997 indica que o filme voltará às telas do Rio de Janeiro, com as cenas cortadas pela censura na versão original, em comemoração aos 20 anos de lançamento.
ACPJ/II indica as canções: Maria Bonita de Agostinho Lara; Noite cheia de estrelas de Cândido Neves; Quindins de Yayá de Ary Barroso; Viúva alegre, de Franz Lehar e acrescenta ao elenco Maria João; Bete Faria; Olívia Nogueira; Silvia Falkemburg e Miguel Carrano.
ALSN/DFB-LM indica: produtor: Carlos Luiz Barreto; câmera Murillo Sales; títulos Rudi Bohn; companhia produtora Companhia Serrador. Grafa os nomes dos atores Dinorah Brilhante, , Marta Anderson, Haidée Linhares, Marta Moyano, Antônio Ganzarolli, Beth Lago.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.