Fêmeas Violentadas – Tortura Cruel (1980)

Sinopse

Salu, ao sair da prisão vagueia pela pequena cidade onde mora. Vive com a mãe, já velha e doente, e duas irmãs – uma quer ser cantora e a menor cuida da mãe. Salu é arrancado de seus pensamentos para socorrer uma mulher que está sendo violentada por uma quadrilha num matagal. Recebe como recompensa um lugar para trabalhar numa construção civil – empresa do marido – mas não é aceito por ser reconhecido como ex-presidiário. A amante – uma prostituta – tenta convencê-la a voltar a assaltar, como única alternativa. Salu, com os últimos trocados joga na loteria esportiva. A polícia prende logo que surgem novos assaltos. É torturado para que confesse até que os verdadeiros criminosos são presos. Ganha na loteca. Junto com a amante faz uma orgia numa boate reservada, ao mesmo tempo sua casa é invadida e suas irmãs violentadas. Acidentalmente os maníacos matam sua mãe. O milionário Salu resolve fazer justiça. Identifica os bandidos e mata-os um a um. Após a vingança a polícia chega e o prende. Do outro lado da cidade sua irmã estréia na TV realizando um sonho.

Elenco

Tony Vieira
Lima, Ariadne de
Moreno, Maristella
Daniela
Rajá de Aragão
Soares, Francisco A.
Campos, Péricles
Carvalho, Eudes
Mariano, Iragildo
Mathias, Marthus
Ramos, Cleusa
Amaral, Leda
Pini, Noele
Camargo, Wilma
Anselmo, Leide
Alves, Lucia
Eduardo, Carlos
Castro, Jaime

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Fêmeas Violentadas – Tortura Cruel (1980) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Tony Vieira
Argumento: Mauri de Queiróz
Roteiro: Mauri de Queiróz
Assistência de direção: Rajá de Aragão
Produção: Mauri de Queiróz
Direção de produção: Jakoska, Tony
Produção executiva: Mariano, Iragildo
Assistência de produção: Moreira Jr., Oswaldo
Direção de fotografia: Henrique Borges
Assistência de câmera: Jordão
Eletricista: Lopes, José; Almeida, Carlito de; Souza, Paulo
Técnico de som: Perez, Júlio
Montagem: Dias, Waldir
Cenografia: Tony Vieira
Música: Mauri de Queiróz
Companhia Produtora: M.Q. – Mauri de Oliveira Queiroz Produtora e Distribuidora de Filmes
Companhia(s) distribuidora(s): Central; Wilson B. Lins Filmes

Bibliografia

Fontes utilizadas:
Guia de Filmes, 1980
O Estado de S. Paulo, 15.03.1981 p.48
Fontes consultadas:
Cartaz
LFM/DCB
Jornal do Brasil, 15.12.1981 p.4

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Fêmeas Violentadas – Tortura Cruel. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/femeas-violentadas-tortura-cruel/

Observações:
Guia de Filmes indica: montagem de Walter Wani.
LFM/DCB informa que Tony Vieira é pseudônimo de Mauri de Oliveira Queiróz.
Censura 18 anos.

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.