Fernanda Montenegro

Biografia

Arlette Pinheiro Esteves da Silva, em arte conhecida comno Fernanda Montenegro, é uma atriz brasileira de cinema, teatro e televisão, nascida na cidade do Rio de Janeiro (RJ) no dia 16 de outubro de 1929. Uma das grandes atrizes brasileiras, é a única atriz brasileira já indicada ao Oscar de Melhor Atriz, sendo nomeada por seu trabalho em Central do Brasil em 1998.

Filha de Carmen Nieddu Pinheiro da Silva e Victorino Pinheiro Esteves da Silva, com oito anos de idade representa pela primeira vez na peça Os dois Sargentos, num teatrinho da igreja do bairro. Muito pobre, começa a estudar à noite e trabalhar de dia para ajudar em casa.

Em 1944, é aprovada no concurso para a Rádio Ministério da Educação e passa a trabalhar como locutora, redatora e radioatriz. Complementa seu salário dando aulas de português na Berlitz School.

Iniciou sua carreira teatral no ano de 1950, com o espetáculo Alegres Canções nas Montanhas, ao lado de Nicete Bruno, Beatriz Segal e, daquele que seria seu amor por toda a vida, Fernando Torres.

Seu corpo magro, olhos grandes e expressivos, voz modulada e incrível domínio de cena fizeram dela uma das grandes damas do teatro brasileiro. Atua, entre tantas outras, nas peças A Moratória (1955), Vestir os Nus (1958), O Velho Ciumento (1962), As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant (1984) e Gilda (1993). Em 1952, estreia profissionalmente com a peça Loucura do Imperador, que lhe vale o prêmio de Atriz Revelação dado pela Associação Brasileira de Críticos Teatrais.

Casa-se com Fernando Torres em 1953, passando a encorporar o sobrenome do marido a seu nome de casada: Arlette Pinheiro Esteves Torres.

Nos anos seguintes atuou nas principais companhias teatrais. Em 1959, com Sérgio Britto, Italo Rossi e outros, fundou sua própria companhia, o Teatro dos Sete.

No início dos anos 1960, foi contratada pela TV Tupi para participar do programa O Grande Teatro Tupi, em que peças eram encenadas diante de uma plateia e transmitidas ao vivo. Em 1963, vem a primeira novela, Pouco Amor não é Amor, em que contracenava com Sérgio Bitto e Francisco Cuoco, e dirigida por Fernando Torres, seu marido. A partir de então, brilhou também na televisão e no cinema.

Sua estreia em cinema se dá na produção de 1964 para a Tragédia Carioca de Nelson Rodrigues, A Falecida, sob direção de Leon Hirszman. Tem marcantes atuações no cinema também, em filmes como A Falecida (1965), Eles não Usam Black-Tie (1981) e Central do Brasil (1998), com o qual atinge o ápice de sua carreira, ao receber o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Berlim e concorrer ao Oscar de Melhor Atriz.

Em 2007 participou da produção americana Amor nos Tempos de Cólera (Love In the Time of Cholera), como Tránsito Ariza, dirigido por Mike Newell, baseado na obra homônima de Gabriel Garcia Márquez.

Além de ter sido cinco vezes agraciada com o Prêmio Molière, ter recebido três vezes o Prêmio Governador do Estado de São Paulo e de inúmeros outros prêmios em teatro e cinema, ganhou ainda o Urso de Prata de melhor atriz e concorreu ao Óscar de melhor atriz em 1999 e ao Globo de Ouro de Melhor atriz em filme dramático pelo filme Central do Brasil, de Walter Salles. Recebeu também vários prêmios da crítica americana, no mesmo ano (Los Angeles Film Critics Award, National Board of Review Award).

Em televisão participou de centenas de teleteatros na extinta TV Tupi, que na direção revezavam-se Fernando Torres, Sérgio Britto e Flávio Rangel, telenovelas na extinta TV Excelsior e na TV Rio e na Rede Record e dezenas de produções na Rede Globo.

Participou do episódio Assim é se lhe Parece, do programa Você Decide, de 1999, depois a novela Filhos da Mãe (2001), a minissérie Hoje é Dia de Maria (2005) e, mais recentemente, Belíssima (2006), como a vilã Bia Falcão, e Passione (2010), no papel de Bete Gouveia.

De sua união com Fernando Torres, ocorrida em 1953 na Igreja de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, teve dois filhos, o cineasta e produtor Cláudio Torres (1964), um dos sócios da Conspiração Filmes, e a também atriz Fernanda Torres (1966).

Considerada tanto pelo público quanto pela crítica brasileira como uma das maiores damas do teatro, TV e cinema de todos os tempos, tem seus textos especialmente escritos para ela, como nas novvelas Guerra dos Sexos (1983) e Zazá (1997).

Em 2009, a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, por meio da Coleção Aplauso, lança sua biografia Fernanda Montenegro: A Defesa do Mistérios, de autoria de Neusa Barbosa.

Filmografia

:: Filmografia como Atriz ::

2017 :: O Beijo
2014 :: Rio, Eu te Amo (Episódio: Dona Fulana) …. Dona Fulana
2014 :: Do fundo do lago escuro
2014 :: Infância
2014 :: Boa Sorte
2013 :: A Igreja do Diabo
2013 :: A Primeira Missa
2013 :: O Tempo e o Vento
2011 :: A hora e a vez de Augusto Matraga …. Narração
2011 :: A Dama do Estácio
2011 :: As Aventuras de Agamenon – O Repórter …. Narração
2007 :: Love in the Time of Cholera (O Amor nos Tempos do Cólera) (EUA)
2006 :: Encontro com Milton Santos ou o Mundo Global Visto do Lado de Cá (narração)
2005 :: Casa de Areia
2004 :: Redentor
2004 :: Olga
2004 :: O outro lado da rua
2000 :: O Auto da Compadecida …. Virgem Maria
1999 :: Gêmeas …. A Mãe
1999 :: Traição
1996 :: Central do Brasil
1996 :: O Pintor (MM)
1996 :: O Que é isso, Companheiro?
1994 :: Veja esta canção (Episódio: Samba do Grande Amor)
1988 :: Fogo e Paixão
1986 :: Geleia Geral (CM)
1986 :: Trancado por dentro (CM)
1985 :: A hora da estrela …. Madame Cartola
1981 :: O Homem de Areia …. Narração
1981 :: Eles não usam Black-Tie
1979 :: Terra dos Índios …. Narração
1978 :: Tudo Bem
1976 :: Marília e Marina
1973 :: Missa do Galo (CM)
1971 :: A Vida de Jesus Cristo
1971 :: Em Família
1971 :: Minha Namorada
1970 :: Pecado Mortal
1965 :: A Falecida
1954 :: A Esperança é Eterna (CM) …. Narração

:: Filmografia como Dubladora ::

2004 :: Home on the Range (Nem Que a Vaca Tussa)
1973 :: Joanna Francesa (dubla Jeanne Moreau)
1955 :: Mãos Sangrentas (Manos Sangrientas) (Brasil/Argentina)

:: Filmografia como Ela Mesma ::

2017 :: Todos os Paulos do Mundo
2009 :: Caro Francis
2008 :: Paulo Gracindo – O Bem-Amado
2007 :: A Paixão Segundo Callado
2006 :: A Mochila do Mascate
2006 :: Adolfo Celi, Un Uomo Per Due Culture (Itália)
2005 :: Tudo Azul (Everything Blue) (EUA)
2002 :: Chão de Estrelas
1966 :: A Linguagem do Teatro (CM)

Bibliografia

Livros:

BARBOSA, Neusa. Fernanda Montenegro: a defesa do mistério. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Fernanda Montenegro. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/fernanda-montenegro/

Print Friendly, PDF & Email

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.