Jango (1984)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Filme

Sinopse

POSTER JangoA carreira de João Belchior Marques Goulart, único presidente morto no exílio, é acompanhada desde sua eleição a deputado estadual, em 1947, até seu sepultamento em 1976, na sua cidade natal de São Borja. Jânio Quadros renuncia à Presidência da República em agosto de 1961. Fora do país, em visita oficial à China, o vice-presidente recebe a notícia com serenidade e enfrenta as primeiras dificuldades de sua chefia da nação. Grupos políticos não desejavam que Jango fosse presidente. Armou-se uma forte resistência pela legalidade no Rio Grande do Sul. No Congresso Nacional votou-se a emenda parlamentarista e Jango assume a presidência em 07 de setembro de 1961. Durante seu governo, Jango abriu espaços para a organização dos trabalhadores rurais e urbanos. Como reação a essa caminhada para as reformas sociais estabeleceu-se uma forte luta ideológica. Uma bem estruturada articulação civil-militar conspirava contra o seu governo. Foi essa articulação que, assustada com a revolta dos marinheiros e o comício da Central, deflagrou o movimento que se iniciou em Minas, em 31 de março de 1964, e terminou por levar Jango ao exílio.

Rodado em 1984, o documentário Jango retrata a carreira política de João Goulart, presidente deposto pelos militares em 1º de abril de 1964.

Nesta obra cinematográfica, o diretor Sílvio Tendler procurou mostrar a política brasileira da década de 60, desde a candidatura de Jânio Quadros, passando pelo golpe militar, as manifestações da UNE e os exílios.

O filme é narrado pelo ator José Wilker e conta com depoimentos de Magalhães Pinto, Aldo Arantes, Raul Ryff, Afonso Arinos e Francisco Julião, entre outros.

Elenco

José Wilker …. Narração
João Belchior Marques Goulart
Jânio Quadros
Magalhães Pinto
Aldo Arantes
Raul Ryff
Francisco Julião
Afonso Arinos de Melo Franco
Muricy, Antonio Carlos
Bezerra, Gregório
Leonel Brizola
Celso Furtado
Teixeira, Francisco
Frei Beto
Correia, Marcos Sá
Benevides, Maria Vitória
Goulart, Denize
Cunha, Bocayuva

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Jango (1984) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Silvio Tendler
Argumento: Silvio Tendler
Autoria do texto de locução: Dias, Mauricio
Assistência de direção: Clívio Jr., José
Produção: Ferraz, Hélio Paulo
Co-produção: Goulart, Denize; Matta, Antonio José da; Francisco Sérgio Moreira; Ribeiro, Geraldo; José Wilker; Lúcio Kodato; Dias, Mauricio; Nascimento, Milton; Silvio Tendler e Wagner Tiso
Equipe de produção: Araújo, Maria Paula; Muricy, Toninho; Rocha, Sergyo; Nilson Filho; Chauhy, Eduardo
Direção de fotografia: Lúcio Kodato
Fotografia de cena: Vermelho, Américo
Animação: Prisma
Trucagens: Lynxfilm; Truca
Fotografia adicional: Moura, Edgar; Estrela, Nonato
Mixagem: Carvalho, Roberto
Sonografia: Ribeiro, Geraldo
Montagem: Francisco Sérgio Moreira
Montagem de som: Francisco Sérgio Moreira
Títulos de apresentação: Prisma
Programação visual: Junod, Tatiana; Vieira, Lula
Companhias Produtoras: Caliban Produções Cinematográficas | Rob Filmes
Companhias Distribuidoras: Caliban Produções Cinematográficas | Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Canção
Título: Menino;
Autor da canção: Nascimento, Milton e Bastos, Ronaldo;

Título: Trem mineiro;
Autor da canção: Tiso, Wagner;

Título: Enquanto seu lobo não vem
Autor da canção: Veloso, Caetano

Prêmios

Margarida de Prata da CNBB, 1984 – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Rio de Janeiro, RJ..
Melhor Música para Nascimento, Milton; Melhor Trilha Sonora Original para Tiso, Wagner; Melhor filme pelo Júri Popular e Prêmio Especial do Júri no Festival de Gramado, 12, 1984, RS..
Prêmio Especial do Júri para Documentário no Festival Novo Cinema Latino-Americano, 1984, Havana – CU..
Melhor Filme do Público no Festival de Nova Delhi, 1985 – IN.

Bibliografia

Livros:

BROOKEY, Marcia Paterman. História e Utopia: o cinema de Silvio Tendler. Rio de Janeiro: Multifoco, 2010.

TENDLER, Silvio. Quatro baianos porretas: Castro Alves, Milton Santos, Glauber Rocha e Carlos Marighella. Rio de Janeiro: Editora Garamond/ Editora PUC-Rio, 2011.

Internet:

CALIBAN PRODUÇÕES CINEMATOGRÁFICAS. http://caliban.com.br/

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
CB/Ficha Filmográfica
CB/FIBRA
Concine/84
Concine/Ficha Técnica
ALSN/DFB-LM
CNBB/OI
O Estado de S. Paulo, 25.03.1984
Jornal do Brasil, 17.08.1981, p. 3 e 19.07.1982, p. 6
CB/EMB-110.2-00502
Site, CNBB, disponível em: www.cnbb.br/site/imagens/arquivos/files_49b12ee5469cb.pdf, acesso em: 28.06.2011

Fontes consultadas:
FBCU/6

Observações:
FBCU/6 aponta e como produtores associados.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.