Jô Soares

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Biografia

FOTO Jo Soares 02José Eugênio Soares, mais conhecido como Jô Soares ou simplesmente , é um humorista, apresentador de televisão, escritor, artista plástico, dramaturgo, diretor teatral, ator e musico brasileiro nascido no Rio de Janeiro no dia 16 de janeiro de 1938.

Filho do empresário paraibano Orlando Soares e da dona de casa Mercedes Leal, Jô queria ser diplomata quando criança. Estudou no Colégio de São Bento do Rio de Janeiro e em Lausanne, na Suíça, no Lycée Jaccard, com este objetivo. Porém, percebeu que o seu senso de humor apurado e a criatividade inata o apontavam para outra direção.

Detentor de um talento versátil, além de atuar, dirigir, escrever roteiros, livros e peças de teatro, Jô Soares também é apreciador de jazz e chegou a apresentar um programa de rádio na extinta Jornal do Brasil AM, no Rio de Janeiro, além de uma experiência na também extinta Antena 1 do Rio de Janeiro.

No ano de 1967, estreia no programa Família Trapo, onde roteirizava ao lado de Carlos Alberto de Nóbrega e atuava como Gordon, o mordomo na TV Record-SP.

Em 1970, estreia no programa Faça Humor, Não Faça Guerra foi primeiro humorístico da TV Globo a contar a com a participação do comediante. O programa em meio à Guerra Fria e ao conflito do Vietnã brincava com o slogan pacifista hippie Make love, don’t make war (Faça amor, não faça a guerra).

No ano de 1973 estreia no Satiricom, novo humorístico da TV Globo, com direção de Augusto César Vanucci, realizava roteiros com Max Nunes e Haroldo Barbosa. A atração satirizava o título do filme homônimo de Federico Fellini – “Satyricon”. Na promoção do programa, todavia, diziam que era a “sátira da comunicação” num mundo que tinha virado uma “aldeia global”, expressão que esteve na moda depois dos primeiros anos da TV via satélite.

Em 1976, inicia outro programa televisivo, o Planeta dos Homens, nova sátira com o cinema – desta vez, a série cinematográfica “O Planeta dos Macacos”, atuava com roteiros de Haroldo Barbosa.

Foi em 1981 que Jô estreia o Viva o Gordo, com direção de Walter Lacet e Francisco Milani, foi o primeiro programa solo dele. Tinha roteiros de Armando Costa. Deu origem ao espetáculo do gênero one man show de Jô chamado “Viva o Gordo, Abaixo o Regime” (sátira explícita ao Golpe Militar de 1964 ainda vigente àquela época). As aberturas do programa brincavam com efeitos especiais usando técnica de inserção de imagens de Jô entre cenas famosas do cinema (como em “Cliente Morto Não Paga” e “Zelig”) ou “contracenando” com políticos nacionais e internacionais, como Orestes Quércia, Jânio Quadros, Ronald Reagan etc.

No ano de 1982 fez participação no Chico Anysio Show. Em 1983, faz sua participação no musical infantil Plunct, Plact, Zuuum e inicia comentários no Jornal da Globo até o ano de 1987.

Em 1988 o programa Veja o Gordo estreia no SBT com o mesmo estilo do Viva o Gordo da Rede Globo. Estréia neste ano, ainda no SBT, o talk-show Jô Soares Onze e Meia (1988-1999).

No ano de 2000, fez uma participação no especial de Natal do programa Sai de Baixo no episódio “No Natal a Gente Vem Te Mudar” (sátira ao título da peça de Naum Alves de Souza, No Natal a Gente Vem Te Buscar). Também neste ano estréia o talk-show Programa do Jô, na Rede Globo, onde entrevista diversas personalidades das mais variadas áreas, seguindo até hoje no ar.

Em 2001, há o lançamento do filme O Xangô de Baker Street, produção cinematográfica a partir do romance homônimo dele mesmo Jô Soares, com direção de Miguel Faria Júnior. O filme contou com as participações internacionais de Maria de Medeiros e Joaquim de Almeida.

Filmografia

:: Filmografia como Ator ::

2013 :: Giovanni Improtta …. Presidente do Clube
2004 :: A Dona da História, a partir da peça teatral homônima de João Falcão com direção de Daniel Filho
2001 :: O Xangô de Baker Street
1995 :: Sábado …. Homem na casa das máquinas
1986 :: Cidade Oculta, de Chico Botelho, com participação de Arrigo Barnabé
1976 :: O Pai do Povo, com roteiro e direção de Jô Soares
1976 :: Tangarella, a Tanga de Cristal, de Lula Campelo Torres
1973 :: Amante muito Louca, de Denoy de Oliveira
1971 :: Nenê Bandalho, de Emílio Fontana a partir de uma curta história de Plínio Marcos
1969 :: Agnaldo, perigo à vista
1969 :: A Mulher de Todos, de Rogério Sganzerla
1968 :: Papai Trapalhão
1968 :: Hitler III Mundo, de José Agrippino di Paula
1965 :: Pluft, o Fantasminha, de Romain Lesage a partir do texto teatral de Maria Clara Machado
1965 :: Ceará contra 007, de Marcos Cesar
1960 :: Vai que É Mole
1960 :: Tudo Legal
1959 :: O Homem do Sputnik
1959 :: Aí Vêm os Cadetes, de Luiz de Barros
1958 :: Pé na Tábua, de Victor Lima com história de Chico Anysio

:: Filmografia como Diretor ::

2001 :: O Xangô de Baker Street
1976 :: O Pai do Povo

:: Filmografia como Ele Mesmo ::

2003 :: Person, um cineasta de São Paulo

Livros Publicados

SOARES, Jô. O Astronauta Sem Regime. : , 1985.
SOARES, Jô. Humor Nos Tempos do Collor. : , 1992. (Com Luis Fernando Veríssimo e Millôr Fernandes)
SOARES, Jô. A Copa Que Ninguém Viu e a Que Não Queremos Lembrar. : , 1994. (Com Armando Nogueira e Roberto Muylaert)
SOARES, Jô. O Xangô de Baker Street. : , 1995.
SOARES, Jô. O Homem que Matou Getúlio Vargas. : , 1998.
SOARES, Jô. Assassinatos na Academia Brasileira de Letras. : , 2005.
SOARES, Jô. As Esganadas. : 2011.

Bibliografia

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.