José Medeiros (1921-1990)

Biografia

José Araújo de Medeiros, em arte mais conhecido como José Medeiros, foi um cineasta e diretor de fotografia nascido em Teresina (PI) em 1921.

Aos cinco anos de idade presencia uma filmagem amadora em 9,5mm, feita por vizinhos numa Pathé-Baby. É seu primeiro encanto com o cinema. Depois, aos dez anos ganha uma câmera caixote do padrinho e passa a reproduzir fotografia de artistas de cinema de artistas da época para vender. Fazia a revelação em sua casa mesmo, aproveitando equipamento que pai, fotógrafo amador, possuía. Usando seu talento e criatividade, ilumina uma sala e tira a luz para fotografar o pai, a mãe, os irmãos, etc. Termina o colégio ainda no Piauí e depois muda-se para o Rio de Janeiro para estudar arquitetura, juntamente com irmão, o cenógrafo Anísio Medeiros, mas não conclui o curso.

Em 1941, então com 20 anos, interessado em fazer cinema, e, de posse de um cartão de apresentação de um político influente piauiense, resolve procurar Roquette-Pinto no INCE, na sala ao lado dele ficava Humberto Mauro, mas Roquette o desaconselha a seguir a profissão. Diante da negativa, começa a tirar fotografia de famosos como a atriz Cacilda Becker, o pianista Arnaldo Estrella, etc, influenciado pelo trabalho que Cecil Beaton fazia na revista de moda Vogue. Depois vai trabalhar na revista Rio-Magazine, onde conhece a alta sociedade carioca, ao fotografar acontecimentos sociais, coquetéis, recepções. Em janeiro de 1947, convidado por Jean Manzon, vai ser fotógrafo da revista O Cruzeiro. Em cada evento que ia levava uma câmera Bell & Howell 16mm e registrava, em filme, as partes mais interessantes. Em uma das viagens com o indianista Dr. Nutels, usa sua câmera. Esse filme depois é usado num documentário sobre Nutels.

Em 1958, dirige e fotografa seu primeiro filme, Os Kubenkraukein e na sequência Os Profetas de Aleijadinho. Em 1962, depois de 15 anos, desliga-se da revista O Cruzeiro. Em 1965, é Diretor de Fotografia da Guthering Millions (TV Americana) e The Red Road (TV Sueca).

Seu primeiro trabalho como fotógrafo de cinema é no filme A Falecida (1965), de Leon Hirszman. A partir de então torna-se importante profissional do Cinema Brasileiro, computando em seu currículo filmes como Liberdade de Imprensa (1966), A Rainha Diaba (1974), República Guarani (1982), etc.

Na TV Globo, foi iluminador do programa Quarta Nobre. Em 1986 é professor de fotografia na Casa Amarela, da Universidade Federal do Ceará e em 1988/89 da Escola de Cinema de Santo Antonio de Los Baños, em Cuba.

Em 1987, a Funarte faz uma exposição em sua homenagem chamada José Medeiros, 50 Anos de Fotografia, ocasião em que um livro com o mesmo título é lançado. Glauber Rocha, sobre Medeiros, declarou: José Medeiros é o único diretor de fotografia que sabe fazer uma luz brasileira.

Recebeu diversos prêmios de melhor fotografia ao longo de sua carreira, como o Festival de Brasília em 1975 por A Rainha Diaba, Gramado em 1977 por O Seminarista e Aleluia, Gretchen, Coruja de Ouro em 1975 por Xica da Silva, entre outros.

Conhecido no meio cinematográfico como Poeta da Luz, morreu em LÁquila, na Itália, em 1990, aos 69 anos de idade.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

1981 :: A Ponte que Caiu – Estudo Cinematográfico Sobre a Ponte Rio Poty II (CM)
1980 :: Parceiros da Aventura
1973 :: Reisados em Alagoas (CM)
1972 :: Von Martius (CM)
1967 :: A Mulher (CM)
1967 :: Explosão Demográfica no Brasil (CM)
1967 :: Rodovia Belém-Brasília (CM)
1965 :: Migrações Internas (CM)
1958 :: Os Profetas de Aleijadinho (CM)
1958 :: Os Kubenkraukein

:: Filmografia como Diretor de Fotografia ::

1988 :: Romance da Empregada (cofot. José Tadeu Ribeiro)
1988 :: Tecnicas de Duelo: Uma Cuestión de Honor (Colômbia/Cuba)
1987 :: Fugindo do Passado (cofot. Jefferson Silva)
1987 :: Guerra do Brasil (cofot. José Francisco dos Anjos)
1986 :: Nem Tudo É Verdade (cofot. Carlos Alberto Ebert, Edson Santos, Edson Batista, Affonso Viana e Victor Diniz)
1985/87 :: Jubiabá
1984 :: Amor Maldito (cofot. Paulo César Mauro)
1984 :: Memórias do Cárcere (cofot. Antonio Luiz Mendes)
1982 :: República Guarani
1981 :: Cry Freedom (Nigéria)
1980 :: Dia de Alforria (CM)
1980 :: Parceiros da Aventura (dir., fot.)
1978 :: Maneco, o Super Tio
1977 :: Chuvas de Verão
1977 :: Quem Matou Pacífico?
1977 :: Morte e Vida Severina (cofot. Francisco Balbino Nunes e Lauro Escorel)
1977 :: Ódio
1977 :: Barra Pesada (cofot. Fernando Duarte)
1976 :: Aleluia Gretchen
1976 :: O Seminarista
1976 :: Padre Cícero
1976 :: Xica da Silva
1975 :: O Caçador de Fantasma
1974 :: A Rainha Diaba
1974 :: Quem tem Medo de Lobisomem?
1973 :: O Fabuloso Fittipaldi (cofot. Jorge Bodanzky)
1973 :: Reisados em Alagoas (CM)
1973 :: Vai Trabalhar, Vagabundo
1972 :: Eu Transo… Ela Transa
1972 :: Os Machões
1972 :: Von Martius (CM)
1971 :: Roberto Carlos a 300 km por hora
1971 :: Em Família
1971 :: Faustão (cofot. José A.Ventura)
1971 :: As Aventuras Com Tio Maneco
1971 :: Pra Quem Fica, Tchau!
1970 :: A Vingança dos Doze
1970 :: Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa
1969 :: Os Paqueras
1969 :: Meu Nome é Lampião
1968 :: Roberto Carlos Em Ritmo de Aventura
1968 :: Viagem ao Fim do Mundo
1967 :: A Mulher (CM)
1967 :: Explosão Demográfica no Brasil (CM)
1967 :: Proezas de Satanás na Vila do Leva-e-Traz
1967 :: Rodovia Belém-Brasília (CM)
1966 :: Liberdade de Imprensa (MM) (cofot. Armando Barreto)
1965 :: A Falecida
1965 :: Migrações Internas (CM)
1958 :: Os Profetas de Aleijadinho (CM)
1958 :: Os Kubenkraukein

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.