LIVRO – Cinema Brasileiro no Século 21

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Sinopse

botao_comprarO coordenador e professor da AIC, Franthiesco Ballerini, lançou seu segundo livro, Cinema Brasileiro no Século 21.

O livro começa pela análise da história do cinema brasileiro no século 20, para que o leitor compreenda como se chegou ao cenário atual, detalhando fatos importantes da cinematografia brasileira desde o seu nascimento. O autor conta que a belle époque do cinema nacional se deu graças à regularização da distribuição da energia elétrica no Rio de Janeiro. A obra trata ainda das eras Atlântida e Vera Cuz, passando pelo Cinema Novo, o Cinema Marginal e a Embrafilme, que culminou com a morte do cinema nacional. Conta também como foi a Retomada: as bases para o século 21.

Baseado em entrevistas com os mais importantes nomes do cinema nacional, além de pesquisas e dados da indústria, o livro é um retrato fiel da produção cinematográfica hoje nas áreas de atuação, direção, roteiro, exibição, distribuição e legislação, entre outras. Com 304 páginas, o lançamento da Summus Editorial, fornece dados, defende teses, aprofunda questões e apresenta reflexões de profissionais atuantes no cinema brasileiro. Somente conhecendo a fundo nossa história audiovisual e refletindo intensamente sobre os rumos da cinematografia contemporânea, conseguiremos difundir entre todos os brasileiros o hábito de assistir a filmes nacionais, afirma o autor.

Entre os cineastas, documentaristas, roteiristas, distribuidores, produtores, atores e especialistas entrevistados estão Leon Cakoff e Gustavo Dahl – ambas as entrevistas estão entre as últimas dadas pelos profissionais em vida – Marco Woldt, Alberto Flaksman, Inácio Araújo, Fernando Meirelles, Cacá Diegues, Marçal Aquino, Fernando Bonassi, Andrucha Waddington, José Wilker, Leona Cavalli, Leonardo Medeiros, Léa Garcia, Selton Mello, Wagner Moura, Daniel Filho e Luiz Carlos Barreto.

Durante as entrevistas alguns mitos ruíram, como o de que a indústria norte-americana é autossustentável. Se nem mesmo Hollywood conseguiu prescindir da proteção governamental, como isso seria possível para cinematografias muito menos desenvolvidas – em termos de produção para o mercado -, como a brasileira?

Esta é a obra definitiva sobre o cinema brasileiro. Baseado em dois anos de entrevistas com os mais importantes nomes do cinema nacional, em pesquisas e em dados da indústria, Franthiesco Ballerini faz um retrato da produção cinematográfica hoje nas áreas de atuação, direção, roteiro, exibição, distribuição e legislação, entre outras.

O livro tem o Prefácio de Jean-Claude Bernardet.

O foco do livro é justamente o que Ballerini chama de Pós-Retomada, com uma herança composta de mais de um século de alternância de ciclos, vícios, fracassos, sucessos comerciais e artísticos e experiências. A obra mostra que apesar dos problemas, no século 21 também houve avanços na cinematografia brasileira. A começar por sua maior diversidade: a produção nunca foi tão heterogênea. Atualmente, não há apenas uma tendência no cinema nacional – como ocorria com o Cinema Novo – mas várias, sendo produzidos de filmes espíritas às boas e velhas comédias.

A obra traz, em 12 capítulos, uma análise do cinema nacional, incluindo história, internacionalização, o ensino do cinema e documentários. Na pesquisa, foi constatado que, hoje, grande parte dos profissionais envolvidos na teoria e prática do cinema brasileiro acredita que seja preciso buscar cada vez mais um cinema que se comunique com o espectador, para a ampliação do público. Mas essas mesmas pessoas também inscrevem projetos nos editais de incentivo para falar de experiências pessoais ou temas que lhes agradem, sem em nenhum instante levar em consideração a vontade do público. O livro também é ilustrado com fotos de várias produções brasileiras, entre elas: Central do Brasil (1996), Bicho de sete cabeças (2001) e Cidade de Deus (2002).

Dados Técnicos

botao_comprarTítulo: Cinema Brasileiro no Século 21: Reflexões de Cineastas, produtores, distribuidores, exibidores, artistas, críticos e legisladores sobre os rumos da cinematografia nacional
Coleção: Comunicação
Autor: Franthiesco Ballerini
Editora: Summus Editorial
Ano da Edição: 2012 (1ª edição)
Encadernação: Brochura | 17 cm X 24 cm | 304 páginas
ISBN: 9788532307064

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.