Moacyr Fenelon (1903-1953)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Biografia

Moacir Fenelon de Miranda Henriques, ou simplesmente Moacyr Fenelon, foi um cineasta e produtor brasileiro, membro da família luso-brasileira dos Miranda Henriques, nascido em Patrocínio do Muriaé, antigo distrito de Muriaé (MG), no dia 05 de novembro de 1903.

Moacyr Fenelon exerceu no cinema as funções de diretor, produtor, técnico de som e roteirista brasileiro. Foi um dos fundadores da Atlântida Cinematográfica (juntamente com José Carlos Burle). Destacou-se como importante batalhador em defesa do cinema nacional. Seus primeiros filmes, É proibido sonhar (1943), Gente honesta (1944) e Vidas solitárias (1945), revelam uma preocupação social e um realismo raros na época.

Em 1952, dirigiu Tudo azul, considerado seu melhor filme, produzido na Flama Filmes, de sua propriedade.

Como diretor, Moacyr Fenelon dirigiu, entre outros, os filmes Obrigado, doutor, Poeira de estrelas e O dominó negro. Como produtor, produziu Estou aí?, de Cajado Filho, e A inconveniência de ser esposa, de Samuel Markenzon.

Fenelon fundou sua própria produtora, a Cine Produções Fenelon. Associando-se à Cinédia de Adhemar Gonzaga, realizou cinco co-produções: Poeira de Estrelas, Estou Aí, O Homem Que Passa, Todos Por Um e Obrigado, Doutor. Em 1950, o proprietário da Rádio Continental, Rubens Berardo, entrou como sócio da Cine Produções Fenelon, surgindo da associação a produtora Flama Filmes.

A Flama Filmes teria adquirido os equipamentos do norte-americano Howard Randall, que pretendia criar a Columbia Pictures do Brasil. A exibição foi assegurada com o circuito Vital Ramos de Castro, o mais popular do Rio e o maior da cidade. O sistema de financiamento dos filmes era feito pela venda de cotas ao público.

A Flama Filmes foi inaugurada com o filme Milagre de Amor, em 1951, com direção de Moacyr Fenelon. Além desse, Fenelon faria outros dois títulos: Dominó Negro, anunciado como o primeiro policial brasileiro, com Paulo Porto e Elvira Pagã, e Tudo Azul, saudado na época como uma inovação no gênero musical. Foi também produtor de Agulha no Palheiro, de Alex Viany.

Fenelon fundou a Associação Brasileira de Cinema (ABC) em 1949. Foi presidente do Sindicato Nacional da Indústria Cinematográfica (1952) e Presidente do I Congresso Nacional do Cinema Brasileiro, realizado no Rio de Janeiro em 1952.

Moacyr Fenelon faleceu no Rio de Janeiro no dia 14 de agosto de 1953.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

1952 :: Tudo azul
1950 :: O dominó negro
1948 :: Obrigado, doutor
1948 :: Poeira de estrelas
1946 :: Fantasma por Acaso
1945 :: Vidas solitárias
1944 :: Gente honesta
1943 :: É proibido sonhar

:: Filmografia como Produtor ::

:: Estou aí?, de Cajado Filho
:: A inconveniência de ser esposa

Bibliografia

Internet:

WIKIPEDIA. http://pt.wikipedia.org/wiki/Moacyr_Fenelon.

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.