Na Mira do Assassino (1967)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Sinopse

FOTO Na Mira do AssassinoA história de um perigoso bandido, Toninho, que se refugia na casa de um promotor público e conta a este a sua vida de crimes, convencendo-o da inutilidade das teorias ante os fatos reais que, muitas vezes, levam o homem ao caminho da violência.

Depois da comédia, seja musical ou erótica, o filme policial foi o filão mais explorado pelo cinema brasileiro dirigido ao grande público, e esteve presente em nossas telas desde a primeira década do século passado. Um dos mais dedicados cultores do gênero no Brasil foi o advogado e cineasta carioca Mário Latini – irmão de Anélio Latini, diretor do clássico Sinfonia Amazônica, primeiro longa-metragem de animação realizado no Brasil.

Filme dirigido por Mário Latini, no Rio de Janeiro, Na Mira do Assassino teve lançamento em 1967. No elenco estão Agildo Ribeiro, Glauce Rocha, Wilson Grey, Milton Gonçalves, Angela Berg, Eliezer Gomes, Zilka Salaberry, Ricardo Luna, Milton Rodrigues, entre outros.

Latini começou a filmar nos anos 50, realizando alguns filmes diretamente ligados a tradição do film noir (Traficantes do Crime, Contrabando). Em Na mira do assassino, rodado na década seguinte, o diretor atualiza o estilo noir incorporando elementos do filme policial com preocupação social, em moda na época. O filme é uma rara oportunidade para conferir Agildo Ribeiro, ainda jovem, num papel dramático. Agildo interpreta um marginal, saído de uma favela carioca, que durante uma fuga se refugia na casa de um promotor de justiça. Cercado pela polícia, Agildo explica ao promotor como a vida e a sociedade o empurraram para o mundo do crime.

As filmagens foram realizadas num morro atrás da Central do Brasil, dominado pelo bandido Mineirinho – que teve sua vida (e morte) romanceada em outro filme da mesma época, dirigido por Aurélio Teixeira e estrelado por Jece Valadão. Mineirinho colaborou com a equipe, permitindo uma filmagem tranquila. O filme é um ótimo registro do cotidiano sofrido da população pobre do Rio de Janeiro do final dos anos 60.

Além de Agildo Ribeiro, Na mira do assassino conta com um grande grande elenco: Glauce Rocha é a “mina de fé” do perigoso bandido; Zilka Salaberry é a mãe da menina; Milton Gonçalves é o fiel parceiro do criminoso; Eliezer Gomes, o dono de uma birosca no morro; e ainda as participações de Ricardo Luna e Milton Rodrigues. Destaque absoluto para o genial Wilson Grey, no papel do “X-9”, o alcagüete, numa das melhores atuações de toda sua carreira. Adaptado da novela radiofônica “O bandido”, de Berliet Jr., com a colaboração de Jorge Dória no roteiro e nos diálogos. Música de Jair Rodrigues. Mais uma obra-prima do cinema brasileiro, esquecida pelos experts da indústria acadêmica.

Elenco

Ribeiro, Agildo (Toninho)
Rocha, Glauce (Magricela)
Grey, Wilson (Marcondes)
Gonçalves, Milton (Nhonhoca)
Rodrigues, Milton (Chaves)
Vilar, Milton (Promotor)
Gomes, Eliezer (Juca)
Gracindo, Paulo (Promotor)
Salaberry, Zilka (Dona Rita)
Luna, Ricardo (Delegado)
Jomara (Marta)
Giorda, Rita (Dulce)
Ortiz, Vera (Moça do carro)
Montemar, Nestor (Repórter)
Aberrian, Hilton (Repórter)
Bravo, Ricardo (Toninho menino)
Rocha, Heloisa (Magricela menina)
Berg, Angela
Cordeiro, Larry
Rodrigues, Jair
Lago, Mário
Cintra, Mozart

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Na Mira do Assassino (1967) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Mario Latini
Argumento: Paezzo, Sylvan
Roteiro: Latini, Mario
Adaptação: Dória, Jorge; Paezzo, Sylvan
Estória Baseada na novela radiofônica O bandido, de Berliet Jr.
Assistência de direção: Chediak, Braz; Pinho, Angelita Dias de
Produção: Latini, Mario
Assistência de produção: Pinho, Angelita Dias de
Gerente de produção: Latini, Wanda
Direção de fotografia: Carneiro, Silvio
Câmera: Mirilli, Roberto; Vianna, Afonso
Sonografia: Ribeiro, Nelson
Montagem: Renato Neumann
Cenografia: Latini, Hélio
Música: Chaves, Erlon
Direção musical: Santos, Adilson
Companhia(s) produtora(s): Latini Studio Ltda.
Companhia(s) distribuidora(s): VTN; Benio Produções Cinematográficas; Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Canção
Título: Menina do Morro

Bibliografia

Fontes utilizadas:
Guia de Filmes, 17
CB/EMB-110.2-01047
ALSN/DFB-LM
ACPJ/I

Fontes consultadas:
Jornal do Brasil, 03.10.1967

Observações:
Guia de Filmes, 17 indica: Melodrama policial urbano, terceiro longa-metragem de Mario Latini… O filme começou a ser realizado em 1962 e permaneceu inacabado até 1967.
ALSN/DFB-LM acrescenta: como companhia produtora a Bennio Produções Cinematográficas e como produtor Adriano Hoffmann; apresentação Paranaguá Filmes e Aurofilmes. Ano de Produção: 1968. Adilson Santos está como regente.
Jornal do Brasil de 03.10.1967 noticia o término do filme iniciado 2 anos antes.

Internet:

.

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.