Não me digas adeus (1949)

Sinopse

Comédia romântica em torno de dois jovens que se conhecem nos Estados Unidos e apaixonam-se, o brasileiro Guaraci (papel de Anselmo Duarte) e a argentina Mercedes (interpretada por Nelly Daren). Ambos têm namorados em seus respectivos países e devem convencer suas famílias da nova situação ao voltar para casa. Os pais dos jovens, interpretados por Darcy Cazarré e Manuel Collado, são favoráveis a que os filhos assumam o novo amor, ao contrário das mães, interpretadas por Sarah Nobre e Josefina Díaz. A fim de tentar resolver a situação as famílias vão para o Hotel Quitandinha, em Petrópolis, e após alguns desentendimentos tudo se resolve e o casal Guaraci/Mercedes pode ficar junto.

Elenco

Anselmo Duarte …. Guaraci
Nelly Daren …. Mercedes
Vera Nunes
Darcy Cazarré
Manuel Collado
Sarah Nobre
Josefina Díaz

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Não me digas adeus (1949) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Luis José Moglia Barth
Empresa Produtora: São Miguel Filmes do Brasil

Bibliografia

Livros:

AUTRAN, Arthur. O pensamento industrial cinematográfico brasileiro. São Paulo: Hucitec, 2013.
__________. Sonhos industriais: o cinema dos estúdios na Argentina e no Brasil nos anos 1930. Contracampo, Niterói, n. 25, dez. 2012. P 117-132.
KOHEN, Héctor. R. Estudios San Miguel – Ruletas, películas y política. In: ESPAÑA, Claudio. (Org.). Cine argentino – Industria y clasicismo – 1933/1956. Vol. I. Buenos Aires: Fondo Nacional de las Artes, 2000. p. 336-385.
NÚBILA, Domingo di. La época de oro – Historia del cine argentino I. Buenos Aires: Ediciones del Jilguero, 1998.
VIEIRA, João Luiz. A chanchada e o cinema carioca (1930-1955). In: RAMOS, Fernão (Org.). História do cinema brasileiro. São Paulo: Círculo do Livro, 1987. P. 129-188.

Trabalhos Acadêmicos:

AUTRAN, Arthur. Não me digas adeus: o filme manifesto dos Estudios San Miguel. II Jornada de Estudos da História do Cinema Brasileiro. 2018. IAD/UFJF, Juiz de Fora.
SILVA, Hadija Chalupe da. Os filmes realizados em coprodução: limites e expansões de acordos transnacionais. 2014. Tese (Doutorado em Comunicação). Universidade Federal Fluminense, Niterói.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Não me digas adeus. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/nao-me-dia-adeus/

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.