Nydia Lícia (1927-2015)

Biografia

Nydia Licia Pincherle, em arte conhecido como Nydia Lícia, é uma atriz, professora de teatro e escritora ítalo-brasileira nascido em Trieste, na Itália, no dia 30 de abril de 1927.

Ainda na cidade natal italiana estudou dança rítmica e teatro infantil. Em 1939, veio para o Brasil e fixou residência em São Paulo, começando a cantar, em italiano, no Teatro Municipal. Participou da peça Francesca da Rimini, de Gabriele DAnnunzio. Ingressou no Colégio Mackenzie, um dos mais tradicionais de São Paulo, e participou de todos os eventos culturais da escola. Em 1948, começou a trabalhar no Museu de Arte Moderna e entrou para o Teatro Experimental, dirigido por Alfredo Mesquita, deixando de lado o canto lírico. Em 1949, inaugurou o Teatro Copacabana, no Rio de Janeiro, com a peça A Mulher do Próximo, de Abílio Pereira de Almeida.

Em 1950, casou-se com o ator Sérgio Cardoso, com quem teve uma filha, Sílvia Luíza, em 1952.

Já como profissional, Nydia Lícia foi para o TBC com a peça Entre Quatro Paredes. Em 1953, foi convidada a encabeçar o elenco da Companhia Dramática Nacional, criada pelo Ministério da Educação. Em 1956, inaugurou o Teatro Bela Vista, sede de muitas de suas atividades.

Estreou no cinema em 1950, em Quando a Noite Acaba, mas fez poucos filmes. Em 2002, retornando 46 anos depois, para participar do filme O Príncipe, de Ugo Giorgetti.

Na televisão, participou das novelas Sublime Obsessão (1958), Eu Amo esse Homem (1964), O Ébrio (1965), Éramos Seis (1977), João Brasileiro, o Bom Baiano (1978) e Ninho da Serpente (1982). Fez pouca televisão e cinema, priorizando o teatro em sua carreira artística.

Nos últimos anos de vida, foi professora de teatro na Faculdade de Comunicação da FAAP e se dedicou à literatura, tendo escrito várias biografias para a Coleção Aplauso, da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. Escreveu Leonardo Villar: Garra e Paixão, Sérgio Cardoso: Imagens de sua Arte, Rubens de Falco: um Internacional Ator Brasileiro, Raul Cortez: sem medo de se expor, Eu vivi o TBC e Célia Helena: uma atriz visceral. Além disso, escreveu o livro autobiográfico Ninguém se livra dos seus fantasmas editado pela Perspectiva. O trabalho sobre a vida de Raul Cortez recebeu o Prêmio Jabuti, em Biografias. Em 2008, foi agraciada com o Título de Cidadã Paulistana. Em 2010, recebeu o Prêmio Governador do Estado de Destaque Cultural.

Faleceu em São Paulo no dia 12 de dezembro de 2015.

Filmografia

2002 :: O Príncipe
1970 :: Amemo Nus (Inacabado)
1956 :: Quem Matou Anabela?
1951 :: Ângela
1950 :: Quando a Noite Acaba (Perdida pela Paixão)

Publicações

LICIA, Nydia. Célia Helena: uma atriz visceral. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.
______. Depoimentos IV. Rio de Janeiro: MEC; Funarte; SNT, 1978.
______. Eu vivi o TBC. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.
______. Leonardo Villar: Garra e Paixão. São Paulo: Fundação Padre Anchieta / Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2005.
______. Ninguém se livra dos seus fantasmas. São Paulo: Perspectiva, 2002.
______. Raul Cortez: sem medo de se expor. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.
______. Rubens de Falco: um Internacional Ator Brasileiro. São Paulo: Fundação Padre Anchieta / Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2005.
______. Sérgio Cardoso: Imagens de sua Arte. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004.

Bibliografia

Livros:

LICIA, Nydia. Sérgio Cardoso: Imagens de sua Arte. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Nydia Lícia. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/nydia-licia/

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.