Olhar Estrangeiro (2006)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sinopse

Olhar Estrangeiro é um filme sobre os clichês e as fantasias que se avolumam pelo mundo afora sobre o Brasil. Baseado no livro O Brasil dos Gringos, de Tunico Amâncio, o documentário mostra a visão que o cinema mundial tem do país.

Filmado na França (Lyon e Paris), Suécia (Estocolmo) e EUA (Nova York e Los Angeles), o filme, através de entrevistas com os diretores, roteiristas e atores, desvenda os mecanismos que produzem esses clichês.

O filme mostra produções que criaram um Brasil totalmente distante da realidade. As entrevistas com diretores, produtores e atores que fizeram parte desses filmes dão uma mostra da visão (equivocada) que eles têm do Brasil.

Eu viajo muito e me deparo com isso. As pessoas às vezes me perguntam como uma mulher consegue fazer cinema no Brasil. E são pessoas inteligentes, jornalistas. Eles têm boas intenções, mas acabam te irritando profundamente, afirma Lucia, que gravou entrevistas na França, na Suécia e nos EUA.

“Esse tipo de compreensão me fez pensar em fazer uma brincadeira. Não era raiva, era mais irritação mesmo. Soube do livro do Tunico e achei fantástico. Pensei: ‘Agora já tenho um ponto de partida’.”

Depoimentos de personagens como Édouard Luntz, Hope Davis, Jon Voight, Larry Gelbart e Michael Caine, são intercalados às cenas de filmes que se passam no Brasil. Como todo espectador brasileiro sabe, o país muitas vezes é citado sem nem mesmo ter servido de cenário para a produção. A sensualidade, as danças, as mulheres, as praias e principalmente a Amazônia são clichês usados para traduzir o país e o povo.

“Não é arrogância, é ignorância mesmo. E foi muito surpreeendente. O grau de alienação é muito grande”, conclui a diretora.

Tudo isso na mesma época em que se discutia “Turistas”, filme que criou polêmica ao mostrar americanos em viagem pelo Brasil que são seqüestrado e têm seus órgãos roubados, entre outras histórias.

“A tendência, com a globalização, é acontecer mais. Isso só pode mudar quando firmarmos nossa identidade. Foi o que aconteceu com a Espanha e o cinema de Almodóvar. Rompeu o clichê”, diz Lucia.

Para ela, os próprios brasileiros abusam dos clichês quando querem vender algo para o exterior. “Tem um outro clichê, que é bem mais usado por nós, que é o clichê da violência.”

Olhar estrangeiro foi realizado ao longo de seis anos, aproveitando algumas viagens que a diretora fazia ao exterior. O orçamento de produção foi de R$ 200 mil, e só foi feito uma cópia para sua exibição à época de sua estreia nos cinemas.

Elenco

Philippe de Broca
Michael Caine
Philippe Clair
Greydon Clark
Hope Davis
Larry Gelbart
Bo Jönsson
Zalman King
Gérard Lauzier
Robert Ellis Miller
Charlie Peters

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Olhar Estrangeiro (2006) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Lúcia Murat
Montagem: Julia Murat

Bibliografia

Livros:

AMÂNCIO, Tunico. O Brasil dos Gringos: imagens no cinema.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.