Primeiro Plano 2010 – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades

Evento

O Primeiro Plano 2010 – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades realiza sua nona edição com o tema Cinemaginar, procurando pensar o lugar do cinema na vida e no imaginário dos jovens.

Uma realização do Luzes da Cidade – Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais, com patrocínio da MRS Logística SA, com co-patrocínio do Ministério da Cultura/ Fundo Nacional de Cultura/ Secretaria do Audiovisual, da Prefeitura de Juiz de Fora/Funalfa, com divulgação da Panorama, com apoio inestimável da Auwe; da Videosol; da Locatrans; do Victory Suítes; da Serfer; do Café Toko; do Estação Geraes; do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas; do Instituto Brasileiro de Audiovisual/Escola de Cinema Darcy Ribeiro; do Ministério das Relações Exteriores; da Diamantina; d’A Terceira Margem; da Leitura; da Saraiva; do Apriori; do CardápiosJF; do Muzik; da Mac Pro; do Chimarron; da Privilége; do Camilo dos Santos; da Ultrimagem e do Posto 9, com promoção do Canal Brasil; da Revista de Cinema e do Curta o Curta, o prêmio Incentivo Primeiro Plano só foi possível com o apoio do CTAv, da Kodak, da MegaColor, dos Estúdios Quanta, dos Estúdios Mega, da Dolby Digital e do Meios e Mídia, o festival aconteceu entre os dias 16 a 21 de novembro de 2010 no Espaço Alameda de Cinema, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, na Casa de Cultura da UFJF e no Centro Cultural Benfica.

O evento abriu com Dulia, de Mariana Musse, segundo curta produzido com os recursos do Prêmio Incentivo Primeiro Plano, e com o longa Elvis & Madona, de Marcelo Laffitte. Exibiu, ainda, 80 trabalhos dentro das mostras competitivas de filmes nacional e regional, além da Sessão Escola, da Mostra Mercocidades e da Mostra Audiovisual de Juiz de Fora. A semana seguiu com as pré-estreias dos longas Trabalhar Cansa, de Juliana Rojas e Marco Dutra, Malditos Cartunistas, de Daniel Garcia e Daniel Paiva, Estrada para Ythaca, do Coletivo Alumbramento, do argentino Las Acacias, de Pablo Giorgelli e Ibitipoca, Droba pra Lá, de Felipe Scaldini. O festival também organizou 5° Encontro Internacional Audiovisual, no qual discutiu acerca do fazer cinematográfico sulamericano. Houve ainda debates com os diretores e oficinas gratuitas. Tivemos um público estimado em seis mil pessoas. O festival recebeu convidados de várias partes do Brasil.

Neste ano, o festival premiou pela terceira vez, com R$ 5.000 e outros recursos, a equipe do melhor curta universitário da cidade eleito por um júri.

Selecionados

Mostra Competitiva Nacional

Mostra Competitiva Regional

Premiados

No encerramento, foram exibidos os principais premiados da edição anterior e entregues os prêmios aos trabalhos abaixo relacionados:

Melhor Filme: Instantâneos, de Andrea Capella e Peter Lucas
Melhor Diretor: Michael Wahrmann por Avós Melhor Roteiro: Circuito Interno, de Júlio Martí
Melhor Atriz: Ana Luiza Rios por Princesa
Melhor Ator: Sidney Szaja Barmak por Avós Melhor Direção de Arte: Tábata Makowski por Formigas
Melhor Concepção Fotográfica: Marcelo Martins Santiago por Mar Exílio
Melhor Concepção Sonora: Gabriel Vieira de Mello e Rafael Machado por Projeto Silêncio
Melhor Trilha Sonora: Rafa Zenorini por Liquidificador
Melhor Montagem: Ava Gaitán Rocha por Olhos de Ressaca
Melhor Primeiro Plano: Princesa, de Rafaela Diógenes
Menção Honrosa 1: Gessy Fonseca por Avós
Menção Honrosa 2: Sergio Silveira por Instantâneos
Menção Honrosa 3: Bárbara Gomes por Feijão com Arroz
Júri Jovem: Avós e Olhos de Ressaca
Júri Popular: Olhos de Ressaca
Júri Popular Infantil: Direita É a Mão que Você Escreve
Incentivo Primeiro Plano: Cachorro Morto, de Francisco Franco
Júri Popular: Memorize-me

Bibliografia

Internet:

PRIMEIRO PLANO. http://www.primeiroplano.art.br

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.