Raul Cortez (1932-2006)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Biografia

Ia ser advogado, mas aos 22 anos decidiu trocar os tribunais pelo palco. A estreia foi em 1955 e no ano seguinte já fez o primeiro papel no cinema, em O Pão que o Diabo Amassou. Em 1969 encarnou um travesti na peça Os Monstros e em 1970 fez o primeiro nu do teatro brasileiro em O Balcão, de Jean Genet.

Na década seguinte recebeu vários prêmios, mas a consagração veio da mão da peça Rasga Coração (1979), no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo. Última escrita pelo mestre Oduvaldo Vianna Filho, na qual contracenou com Lucélia Santos, interpretando o amargurado funcionário público e ex-militante comunista Maguary Pistolão. A cena final, escrita por Vianinha, foi marcante: o funcionário público aparece nú amarrado por cordas nos pés e dependurado no ponto mais alto do palco.

A estreia de Raul na Rede Globo foi em 1980, com a novela de Gilberto Braga, Água-Viva, na qual interpretou o cirurgião plástico Miguel Fragonard. Com este trabalho alcançou notoriedade e reconhecimento do público, tornando-se uma estrela da televisão.

Para isso também contribuíram papéis em Baila Comigo (1981), de Manoel Carlos – um amigo de 40 anos, que chegou a convidá-lo para participar de Páginas da Vida – e Partido Alto (1984), primeira novela de Aguinaldo Silva, que o consagrou em Senhora do Destino como o elegante Pedro Correia de Andrade e Couto, o “Barão de Bonsucesso”.

Os mega-vilões Virgílio, de Mulheres de Areia (1993), e Jeremias Berdinazzi, de O Rei do Gado (1996), aumentaram a fama internacional, particularmente na Rússia, onde ambas as novelas atingiram enorme audiência país. Terra Nostra, a trama mais vendida da Rede Globo, o levou aos cinco continentes com outro italiano: Francesco Magliano.

Em 2005, foi preciso suspender a participação em Senhora do Destino, devido ao avanço da doença que causaria a morte, mas tudo parecia relativamente resolvido, pois ainda retornaria às telas interpretando Antônio Carlos, na minissérie JK, a biografia do ex-presidente Juscelino Kubitschek.

É considerado um dos maiores atores brasileiros de todos os tempos. Raul morreu às vésperas de completar cinquenta anos de carreira, em decorrência do agravamento de um câncer no pâncreas, contra o qual lutava há cerca de quatro anos.

Apesar de ser descendente de espanhóis, foram marcantes os personagens italianos em telenovelas como O Rei do Gado, Terra Nostra e Esperança.

Filmografia

2008 :: Identificados
2007 :: Garoto Cósmico
2004 :: O Outro Lado da Rua
2003 :: Person
2001 :: Lavoura Arcaica
2000 :: Imminente Luna
1995 :: Cinema de lágrimas
1991 :: A Grande Arte
1989 :: Jardim de Alah
1987 :: Os Trapalhões no Auto da Compadecida
1986 :: Vera
1984 :: Tensão no Rio
1983 :: Aguenta, Coração
1982 :: Amor de Perversão
1979 :: Os Trombadinhas
1978 :: Pecado Sem Nome
1976 :: O Seminarista
1972 :: A Infidelidade ao Alcance de Todos
1972 :: Roberto Carlos a 300 Quilômetros Por Hora
1972 :: Janaína, a Virgem Proibida
1970 :: A Arte de Amar… Bem
1970 :: Beto Rockfeller
1969 :: Tempo de Violência
1968 :: Capitu
1968 :: Brasil Ano 2000
1968 :: Cristo de Lama
1968 :: Dezesperado
1968 :: O Homem Que Comprou o Mundo
1967 :: O caso dos irmãos Naves
1966 :: O Anjo Assassino
1965 :: Vereda de Salvação
1958 :: O Pão que o Diabo amassou

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

LICIA, Nydia. Raul Cortez: sem medo de se expor. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.