Roberto Farias (1932-2018)

Biografia

Roberto Figueira de Farias, em arte conhecido como Roberto Farias, foi um cineasta, roteirista, produtor e distribuidor de cinema brasileiro nascido na cidade de Nova Friburgo, região Serrana do estado do Rio de Janeiro, no dia 27 de março de 1932.

Roberto Farias é irmão do ator Reginaldo Faria, teve um “s” adicionado ao seu sobrenome por erro do cartório. Ele foi sempre um aficcionado por cinema e desde pequeno montava um “cineminha” na sua casa usando caixas de sapatos. Do cinema para a fotografia foi um pulo fácil e ele cursou Belas Artes no Rio de Janeiro.

O começo foi na Atlântida para onde foi levado por Watson Macedo para ser assistente de direção. A estréia foi no drama Maior que o Ódio (1951), dirigido por José Carlos Burle. Fez quase 10 filmes como assistente de direção ou de produção até estrear como Diretor em 1957 com Rico Ri à Toa, uma chanchada estrelada por Zé Trindade onde além de dirigir ele também foi o autor do roteiro e dos diálogos.

Em 1960, com o policial Cidade Ameaçada, ganhou vários prêmios e se tornou um dos mais respeitados cineastas brasileiros, posição que ele viria a sacramentar com O Assalto ao Trem Pagador, em 1962.

Na década de 1960 fundou com os irmãos a produtora Produções Cinematográficas R.F. Farias Ltda., uma das mais importantes do país. Ele se tornou um diretor popular ao filmar a trilogia de filmes com Roberto Carlos, que começou em 1968 com Roberto Carlos em ritmo de aventura, passando por Roberto Carlos e o Diamante cor de rosa e terminou em 1971 com Roberto Carlos a 300km por hora.

Na TV Globo dirigiu as minisséries A Máfia no Brasil; As Noivas de Copacabana; Contos de Verão e Memorial de Maria Moura, além do programa Você Decide.

Roberto também foi presidente do Sindicato Nacional da Indústria Cinematográfica e o primeiro cineasta a dirigir a Embrafilme. Um dos membros-fundadores da Academia Brasileira de Cinema, foi presidente da entidade da fundação até seu falecimento.

Roberto Farias faleceu aos 86 anos de idade, vítima de câncer, no dia 14 de maio de 2018.

Roberto Farias era casado com Ruth de Albuquerque, com quem teve quatro filhos: os também cineastas Maurício Farias, Mauro Farias, Lui Farias e Marisa Farias. Seus filhos lhes deram dez netos e um bisneto.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

1987 :: Os Trapalhões no Auto da Compadecida
1982 :: Pra Frente, Brasil
1973 :: O Fabuloso Fittipaldi
1971 :: Roberto Carlos a 300 km por hora
1970 :: Roberto Carlos e o Diamante cor de rosa
1968 :: Roberto Carlos em ritmo de aventura
1966 :: Toda Donzela tem um pai que é uma fera
1965 :: A Pedra do Tesouro
1963 :: Selva Trágica
1962 :: O Assalto ao Trem Pagador
1961 :: Um Candango na Belacap
1960 :: Cidade Ameaçada
1958 :: No Mundo da Lua
1957 :: Rico Ri à Toa

:: Filmografia como Roteirista ::

1966 :: Toda Donzela tem um pai que é uma fera

:: Filmografia como Montador ::

1991 :: Não Quero Falar Sobre Isso Agora

:: Filmografia como Assistente de Direção ::

1952 :: É Fogo na Roupa
1951 :: Maior que o Ódio

Bibliografia

Links de Referência

Internet:

ABRACI-RJ. http://www.abracirj.org.br/ – ABRACI-RJ – Associação Brasileira de Cineasta do Rio de Janeiro – Brasil
FILMEB. http://www.filmeb.com.br/ – Filme B – Brasil

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.