Ronald Golias (1929-2005)

Biografia

Ronald Golias foi um ator e humorista brasileiro nascido em São Carlos (SP) no dia 04 de maio de 1929. É considerado um dos pioneiros da televisão no país. Faleceu na cidade de São Paulo no dia 27 de setembro de 2005.

Era filho de Conceição D’Aparecida Golias e Arlindo Golias. O pai, fã do artista Ronald Colman, resolveu chamar o filho de Ronald. Sua estréia nos palcos foi aos oito anos de idade, como artista amador, na Escola Dante Alighieri em São Carlos.

Nascido em família humilde e de infância pobre, aos onze anos, muda-se com a família para São Paulo em 1940, indo morar num porão. Abandona os estudos e vai trabalhar como ajudante de alfaiate, funileiro e balconista para ajudar em casa. Seu sonho é ser médico ou engenheiro.

Começou a praticar natação no Clube de Regatas Tietê, onde posteriormente entraria para o grupo Acqua Loucos, precursor dos espetáculos aquáticos no Brasil. Por sugestão de Golias, os shows aquáticos passaram a ter uma parte falada, com pequenos diálogos. Suas performances com a trupe acabaram por levá-lo a participar do programa Calouros em Cena, da Rádio Cultura.

Nos anos 50, com o fim dos programas produzidos pela emissora, Golias passou a integrar a equipe de artistas da Rádio Nacional.

Estreia na televisão em 1954 no programa A Voz Morena do Brasil, ainda pela TV Paulista. Lá conhece Manoel de Nóbrega, que, espantado com o talento do rapaz, manda contratá-lo para seu programa humorístico A Praça da Alegria, que estreara naquele mesmo ano pela TV Paulista. Foi então que lança Pacífico, tipo singular que se tornou famoso com o bordão Ô Cride, fala pra mãe…, ele acabou tornando-se uma das estrelas da ainda incipiente televisão brasileira. A partir daí, Golias despontou para a fama a partir de seu trabalho na Praça.

Pela TV Paulista vieram: Estação do Riso (1957), Miss Campeonato (1957), Telegrama Três Leões (1958), Cadeira de Barbeiro (1958), São Paulo Num te Guento (1959), Folias do Golias (1959), Domingo Alegre (1959), Show do Golias (1960). Pela TV Rio: Noite de Gala (1959), Noites Cariocas (1960), O Riso É o Limite (1960) e Rio Te Adoro (1960). Em 1967, brilha como o Bronco, ou Carlos Bronco Dinossauro, da Família Trapo, na TV Record, ao lado de Otelo Zelloni, Jô Soares e Renata Fronzi.

Com o sucesso na TV, ele foi convencido por Herbert Richers a entrar para o cinema. A iniciativa a princípio foi complicada; com agenda ocupada na televisão, o humorista enfrentou dificuldades em conciliar as gravações. Seu primeiro filme foi a comédia Um Marido Barra Limpa (1957), de Luís Sérgio Person que, contudo, acabou finalizado por outro diretor e lançado apenas no ano de 1967. Participou de muitos filmes, tendo roteiros feitos especialmente para explorar seu talento, como Vou te Contá (1958) e Os Três Cangaceiros (1961), de Victor Lima, quando contracenou com Ankito e Grande Otelo. Entre seus trabalhos cinematográficos, destacam-se também O Dono da Bola (1961), Os Cosmonautas (1962) e Golias contra o Homem das Bolinhas (1969), seu último filme.

Não alcançando grande impacto no cinema, a atenção de Golias voltou-se novamente para a televisão. Trouxe consigo das telas o personagem Carlos Bronco Dinossauro, que acabaria tornando-se um dos destaques da Família Trapo, programa exibido pela TV Record entre 1967 e 1971. Contracenando com Jô Soares, Ricardo Corte-Real, Cidinha Campos, Renata Fronzi e Otelo Zeloni, Golias consagrou-se definitivamente como um dos mais célebres humoristas do Brasil.

Nos anos 1970 continua sua trajetória de sucesso na televisão em programas como: Bronco Total, em 1971, pela TV Record; O Riso dos Cinco (1973), pela TV Paulista; e Nóbrega e seus Bonecos (1974), pela TV Continental.

Em 1979, Golias protagonizou na TV Globo o seriado Superbronco, uma cópia da série norte-americana Mork and Mindy. Criado por Boni, o programa foi considerado um fracasso, durando apenas 29 episódios. Nos anos 80, retorna para a TV Bandeirantes, onde estrelou o humorístico Bronco, em 1987.

Em junho de 1990, passou a integrar o elenco fixo da A Praça é Nossa, no SBT, com Carlos Alberto de Nóbrega, onde permaneceu até 2005 interpretando personagens como O Profeta, Bronco, Pacífico e Professor Bartolomeu. Nesse meio tempo, foi protagonista na mesma emissora dos humorísticos Escolinha do Golias (com Nair Bello) e Meu Cunhado (com Moacyr Franco), seus últimos programas na televisão, pelo SBT, emissora de Sílvio Santos, seu amigo desde os anos 1950.

Foi Golias quem deu a Sílvio Santos o apelido de Peru. O apelido pegou tanto que Manoel de Nóbrega, em suas caravanas, criou um quadro chamado O Peru que Fala. Excêntrico – entre outras coisas por não ter nenhuma mobília em sua casa e não aceitar cheques como pagamento, somente dinheiro –, foi um dos maiores comediantes brasileiros de todos os tempos, com talento nato.

Casou-se uma única vez, em 1957, com Lúcia Machado, com quem teve sua única filha, Paula, nascida em 1967. Embora o casal tenha se separado no início da década de 1980, Lúcia foi o grande amor da vida de Golias, que se referia a ela como seu coração que batia fora do corpo.

Na época da estréia de Meu Cunhado, em abril de 2004, Golias sofreu uma cirurgia para a implantação de um marcapasso. No mês seguinte voltou a ser internado em razão de um coágulo no cérebro. Seu estado de saúde a partir de então passou a se agravar.

Em 08 de setembro de 2005, Ronald Golias foi internado no Hospital São Luiz, em São Paulo. Com quadro de infecção pulmonar, ele viria a morrer dia 27 de setembro de 2003, aos 76 anos de idade, em São Paulo, em decorrência de uma infecção generalizada. Foi sepultado no Cemitério do Morumbi.

Filmografia

1969 :: Golias Contra o Homem das Bolinhas (de Victor Lima)
1968 :: Agnaldo, perigo à vista
1963 :: O Homem que Roubou a Copa do Mundo (de Victor Lima)
1962 :: Os Cosmonautas
1961 :: O Dono da Bola
1961 :: Os Três Cangaceiros
1960 :: Tudo Legal
1958 :: Vou Te Contá (de Alfredo Palácios)
1957-1967 :: Um Marido Barra-Limpa (de Renato Grechi)

Bibliografia

Livros:

BARBANO, Luis Carlos. Ronald Golias: o gigante do humor. : Rima, 2015.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

WIKIPEDIA. Disponível no endereço: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ronald_Golias. Acesso em: 22 de dez. de 2012.

Print Friendly, PDF & Email

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.