Ronaldo Lupo (1913-2005)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Biografia

Bastante eclético, Ronaldo Lupovich Lito, que adotou o nome artístico de Ronaldo Lupo, foi ator, diretor, produtor, autor e compositor brasileiro nascido na cidade de Campinas (SP) no dia 18 de dezembro de 1913. Faleceu no Rio de Janeiro em 18 de agosto de 2005. De origem judaica, chegou a ser considerado galã do cinema nacional em algumas chanchadas por ele interpretadas e produzidas, especialmente durante a década de 1950, começo dos anos 1960.

Ele foi para o Rio de Janeiro em 1933, onde estudou música com o maestro Guerra Peixe. Com boa voz e boa presença de palco, inicia carreira de compositor e cantor, em Companhias de Teatro de Revista e nas rádios Mayrink Veiga, Tupi e Nacional.

Iniciou a carreira como compositor em 1934 quando teve gravado por Gastão Formenti na Victor o samba-canção Samba da saudade e por Moacyr Bueno Rocha na Columbia a valsa-canção Feliz de quem vive na ilusão e a canção-blue Eu sonhei, parcerias com Saint-Clair Sena.

Em 1935, teve gravadas na Columbia a marcha Deixa essa gente falá e o samba Meu amor nunca foi da cidade, por Jaime Vogeler e a marcha Cuidado! e o samba Por causa da tua fantasia por Castro Barbosa, parcerias com Saint Clair Sena.

Em 1936, teve mais duas parcerias com Saint-Clair Sena gravadas por Gastão Formenti, a valsa Na minha terra e o samba-canção Traição. Nesse ano, Aurora Miranda gravou na Odeon a marcha Prometo lhe dar tudo e o samba Meu pecado é te querer, também parcerias com Sain Clair Sena.

Sua estréia como ator foi no cinema em 1938 no filme Alma e corpo de uma raça, um musical produzido pela Cinédia.

Em 1941, atuou no filme Entra na farra, de Luiz de Barros que contou ainda com as participações de Grande OteloArnaldo Amaral, Batista Júnior, Abel Pera e Zezé Macedo, entre outros. Nesse período, atuou na Rádio Mayrink Veiga.

Em 1944, gravou seu primeiro disco, pela Continental, com os fox Suave melodia, de Nelson S. Ferreira e Por que mentir?, de sua autoria e Zélia Moreira. Em 1945, foi para a Odeon e gravou o samba O que é que ela tem?, parceria com Ari Brandão e o choro Zum-zum, de sua autoria. No ano seguinte, gravou a valsa Tic-tic-tac, de Sivan Castelo Neto e a cançoneta Tua carta, de sua parceria com Nestor Tangerini. Em 1947, retornou para a Continental e gravou a valsa O mundo dá tanta volta, de Raimundo Lopes e o fox-blue Capricho de mulher, de sua autoria e Alberto Ribeiro.

Em 1949, gravou a toada Morena, morena, parceria com Jair Amorim e o samba Moreninha carioca, parceria com Alberto Ribeiro. Durante toda a década de 1950, dedicou-se a fazer filmes, nos quais sempre cantava e interpretava.

Em 1950, lançou a cançoneta Vou desistir de namorar, parceria com Nestor Tangerini e o samba Linda cidade, de sua autoria. Nesse ano, transferiu-se para a Todamérica e lançou o Baião em Paris, parceria com o bailarino Duque e o fox Depois eu conto, parceria com Nestor Tangerini. Em 1952, gravou o bolero Foi você, de Oscar Bellandi e Paulo Gesta e o samba Manon, de Alice Alves e Nestor Tangerini. Nesse mesmo ano, gravou o samba Sem ti, de sua parceria com Jair Amorim e a Canção da viagem, de sua autoria.

Em 1953, gravou o beguine Beija-me, jura-me, de sua autoria e o samba Você nasceu pra mim, parceria com Oldemar Magalhães. Nesse ano, atuou no filme Era uma vez um vagabundo, com direção de Luiz de Barros, filme que produziu com recursos próprios, obtendo sucesso de crítica e de público. Em 1955, foi para a gravadora Columbia e lançou o samba-chamego Me dá, me dá, me dá!…, de sua autoria e o samba Não me convém…, parceria com Nestor Tangerini.

Em 1955, funda a Lupo Filmes, passando a produz suas próprias películas (filmes), todas comédias tipo chanchadas. Nesta época, cria o personagem Genival, um malandro carioca que só se dá bem na vida e, com ele, faz vários filmes e shows.

Nos anos 60, dirige o Sindicato Nacional da Indústria Cinematográfica. Entre seus filmes mais famosos estão: Maria da Praia; Trabalhou Bem, Genival!; Tem Boi na LinhaHoje o Galo Sou Eu, Titio Não é Sopa, Só naquela base; Briga, Mulher e SambaQuero Essa Mulher Assim Mesmo e O Supercareta, de 1972, seu último trabalho no cinema.

Abandonou o cinema e logo depois passou apenas a fazer shows pelo País. Em 2003, como comemoração a seus 90 anos de idade, gravou o CD Ronaldo Lupo aos 90 – Para os amigos, CD no qual relembrou sucessos seus como Eu sonhei, Como um velho trovador, Morena, Morena, Confissão e Samba da saudade.

Ronaldo Lupo faleceu no Rio de Janeiro, em 18 de agosto de 2005.

Filmografia

:: Filmografia como Ator ::

1972 :: O Supercareta
1967 :: As Aventuras de Chico Valente
1962 :: Quero essa Mulher Assim Mesmo
1960 :: Titio Não é Sopa
1960 :: Só naquela base
1960 :: Briga, Mulher e Samba
1957 :: Hoje o Galo Sou Eu
1957 :: Tem boi na linha
1956 :: Genival é de morte!
1955 :: Trabalhou Bem, Genival!
1951 :: Maria da Praia
1949 :: Estou Aí
1941 :: Entra na farra
1938 :: Alma e corpo de uma raça

:: Filmografia como Diretor ::

1972 :: O Supercareta
1962 :: Quero essa Mulher Assim Mesmo

:: Filmografia como Produtor ::

1972 :: O Supercareta
1962 :: Quero essa Mulher Assim Mesmo
1957 :: Tem boi na linha
1956 :: Genival é de morte!

:: Filmografia como Roteirista ::

1972 :: O Supercareta
1957 :: Hoje o Galo Sou Eu

Bibliografia

Fontes: IMDB; Arquivo Cinemateca; meu site Cinema Brasileiro, Site Canal Brasil.

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.