Ruy Santos (1916-1989)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Biografia

Ruy Borges dos Santos, em arte mais conhecido como Ruy Santos, é um cineasta, roteirista, diretor de fotografia e produtor brasileiro nascido no Rio de Janeiro (RJ) no dia 11 de agosto de 1916. Um dos mais importantes fotógrafos do Cinema Brasileiro.

Na adolescência, Ruy Santos acompanhou as filmagens do Limite (1930), de Mário Peixoto. Apaixonado por cinema, conquistou seu primeiro cargo no mundo que tanto o fascinava, como laboratorista de Paulo Benedetti, um dos mais importantes cinegrafistas e técnicos de laboratório do cinema brasileiro.

Em 1937, aos 21 anos de idade, é câmera no filme Maria Bonita, de Julien Mandel, e dirigiu seu primeiro curta, o documentário Sinfonia da Cidade.

No ano de 1939, Ruy Santos passou a trabalhar no Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) do governo Getúlio Vargas. E, na década de 1940, o fotógrafo ingressou no Partido Comunista Brasileiro (PCB), onde desempenhou a função de fotógrafo, cineasta e militante.

Em 1945, dirigiu e fotografou seu primeiro longa, 24 Anos de Lutas. Nos anos seguintes trabalha sem parar, como diretor e fotógrafo, de curtas, médias e longas, constituindo longa filmografia.

Só vim avaliar a importância da obra de Mário Peixoto muitos anos mais tarde. Éramos todos muito jovens, quando começamos o filme. O mais velho de todos nós, o grande Edgar Brasil, tinha apenas 22 anos. Foi uma experiência de muita satisfação na minha vida artística, tão válida que foi a responsável pela minha carreira como fotógrafo e cineasta, que viria a ser no futuro (…). O cinema é antes de tudo uma arte. Contudo, não é assim que pensam os homens que financiam as produções de filmes. O duelo entre o realizador e o produtor se trava exatamente aí, porque o produtor nunca pensa em termos de arte e o realizador fatalmente se vê obrigado a fazer concessões para levar adiante o projeto de seu filme. A linguagem de um financista nunca é a mesma de um cineasta. Até que um dia possa o cineasta se transformar em produtor de suas próprias ideias, como vem acontecendo não só em outros países, mas também no Brasil. Neste particular, fazemos milagres, pois fazer cinema sério, num país subdesenvolvido como é o nosso, é algo estafante, quase estúpido; O cineasta brasileiro luta de todas as formas para sobreviver profissionalmente. O cineasta terá que ter muita força para poder jogar nas telas sua mensagem de amor e poesia e da verdade de seu povo (…) – parte da entrevista de Ruy Santos concedida a Antonio Rangel Bandeira, extraída da revista Filme-Cultura n° 13, página 41, editada em dezembro de 1969.

Em sua incursão pelo cinema, Ruy Santos, além de documentários, dirigiu, produziu, escreveu roteiros e fez a fotografia de filmes de ficção. Ele se tornou um dos principais diretores de fotografia do cinema nacional, além de desempenhar funções de câmera. Dentre os filmes que fotografou, destacam-se O malandro e a granfina (1947); Estrela da manhã (1948-1950), também como roteirista) e O vampiro de Copacabana (1975).

Nos anos 1940 é militante e fotógrafo oficial do Partido Comunista Brasileiro (PCB). Como fotógrafo, Ruy Santos comungava, como muitos artistas e intelectuais da época, dos ideais e da proposta do Partido. Registrando, em película, muitas personalidades do partido, como Luiz Carlos Prestes, Graciliano Ramos, Cândido Portinari, Clóvis Graciano, etc. Ruy Santos foi preso pela polícia política brasileira para averiguações e grande parte do seu acervo foi apreendida. Sua prisão aconteceu em 1948, no ano seguinte à entrada do PCB novamente na ilegalidade (em 1947). O acervo foi destruído quando de sua prisão. Algumas fotos remanescentes desse período foram utilizadas em uma mostra chamada Exposição de Ruy Santos: Imagens Apreendidas Pela Polícia Política Brasileira, que estreou em 22 de abril de 2010 no Rio de Janeiro, tendo como curadora a fotógrafa Teresa Bastos, que encontrou o material no Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro.

Apesar de extensa cinematografia, Ruy Santos é desconhecido do grande público. Sua obra cinematográfica está dispersa e caiu no ostracismo. O artista, que reúniu em sua bagagem uma centena de filmes entre curtas, médias e longas das mais variadas propostas.

Como cineasta, Ruy Santos reflete a sua sucessão de impactos diante da natureza e diante do ser humano, diante da vida e diante da capacidade criadora do artista: no cinema, na poesia, na música, na pintura. Sua sensibilidade está sempre aberta a todos os horizontes da beleza e da compreensão humana. Com paixão tranquila e persistência de obstinado, Ruy Santos é um artista de seu tempo e do seu mundo. Um homem e sua vocação. – parte do texto de Antonio Rangel Bandeira, extraído da revista Filme-Cultura, n° 13, página 39, editada em dezembro de 1969.

O cineasta Ruy Santos, famoso por suas filmagens em exteriores, um verdadeiro autor de imagens, dirigiu e fotografou mais de 30 documentários, dos quais alguns foram premiados no Brasil e no exterior. Desde sua estréia, ainda jovem, como assistente de fotografia no lendário filme Limite (1930), de Mário Peixoto, até sua morte, foram mais de quarenta anos de cinema e fotografia, acompanhando as diversas fases do Cinema Brasileiro. Seu último trabalho foi o curta Jorge Amado, o Menino de Grapiuna, produzido em 1985.

Ruy Santos faleceu aos 73 anos de idade, em Cabo Frio, no Rio de Janeiro, no dia 07 de março de 1989.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

1985 :: Jorge Amado (O Menino Grapiúna) (CM) (dir).
1979 :: Scliar, o Homem e sua Pintura (CM) (dir, fot)
1978 :: A Era do Café no Vale do Paraíba (CM) (dir, fot)
1978 :: O Desconhecido (dir, fot)
1978 :: O Crochet (CM)
1975 :: O Homem e o Limite (dir, fot)
1975 :: Pelos Caminhos do Tear (CM) (dir, fot)
1974 :: Enfoque IV Áreas Verdes (CM) (dir, fot)
1974 :: Pinheirais (CM) (dir, fot)
1974 :: Teatro Municipal (CM) (dir, fot)
1973 :: Anchieta, O Apóstolo do Brasil (CM) (dir, fot)
1970 :: A Bola (The Ball) (CM) (dir, fot)
1970 :: Euclides da Cunha (Antes de Tudo Um Forte) (CM) (dir, fot)
1969 :: A Doce Mulher Amada (dir, fot)
1968 :: Delmiro Gouveia: o Homem e a Terra (CM) (dir, fot)
1967 :: História da Luz é a História do Progresso (CM) (dir, fot)
1966 :: Onde a Terra Começa (dir, fot)
1966 :: Amor na Selva (Brasil/EUA) (dir, fot) (codir. Konstantin Tkaczenko)
1964 :: O Pequeno Mundo de Juca (CM) (dir, fot)
1961 :: O Mundo em Suas Mãos (CM) (dir, fot)
1960 :: O Homem e a Argila (CM) (dir, fot)
1960 :: Vida Brasileira (CM) (dir, fot)
1959 :: Quando os Campos Florescem (dir, fot)
1958 :: Defendendo Divisas (CM) (dir, fot)
1958 :: Pauliceia Desvairada (CM) (dir, fot)
1957 :: História do Bicho da Seda (CM) (dir, fot)
1956 :: Anatomia do Progresso (CM) (dir, fot)
1956 :: Cavalhadas em Goiás (CM) (dir, fot)
1955 :: A Casa de Mário de Andrade (CM) (dir, fot)
1955 :: O Aleijadinho (CM) (dir, fot)
1954 :: O Canto dos Rios (Das Lied der Ströme) (Brasil/Holanda) (Episódio: O Rio Amazonas) (dir, fot)
1953 :: Batalha dos Transportes (CM) (dir, fot)
1945 :: Comício no Pacaembu (CM) (dir, fot)
1945 :: 24 Anos de Lutas (dir, fot)
1944 :: Norte-Sul (CM) (dir, fot)
1944 :: Rio Amazonas (CM) (dir, fot)
1943 :: Terra Seca (CM) (dir, fot)
1943 :: Vai Começar o Espetáculo (CM) (dir, fot)
1943 :: Itapoan (CM) (dir, fot)
1943 :: Luta Contra a Morte (CM) (dir, fot)
1943 :: Malária (CM) (dir, fot)
1943 :: A Jangada Voltou Só (CM) (dir, fot)
1943 :: As Missões (CM) (dir, fot
1937 :: Sinfonia da Cidade (CM) (dir, fot)

:: Filmografia como Diretor de Fotografia ::

1983 :: Momentos de Prazer e Agona
1982 :: O Cantor e Sua Cidade (CM (cofot. Hélio Silva)
1979 :: Scliar, o Homem e sua Pintura (CM) (dir, fot)
1978 :: A Era do Café no Vale do Paraíba (CM) (dir, fot)
1978 :: O Desconhecido (dir, fot)
1978 :: Gargalhada Final
1977 :: Um Brasileiro Chamado Rosaflor
1975 :: O Homem e o Limite (dir, fot)
1975 :: Pelos Caminhos do Tear (CM) (dir, fot)
1975 :: A Presença de Rui (CM)
1975 :: O vampiro de Copacabana
1974 :: Enfoque IV Áreas Verdes (CM) (dir, fot)
1974 :: Pinheirais (CM) (dir, fot)
1974 :: Teatro Municipal (CM) (dir, fot)
1974 :: Pureza Proibida (cofot. Victor Raposeiro)
1973 :: Os Primeiros Momentos
1973 :: Anchieta, O Apóstolo do Brasil (CM) (dir, fot)
1973 :: Ensino do Segundo Grau (CM)
1972 :: BNH e o Desenvolvimento Brasileiro (CM) (cofot. Roberto Galvão e José de Almeida)
1972 :: Estrada da Integração (MM)
1970 :: Tiradentes (CM)
1970 :: A Bola (The Ball) (CM) (dir, fot)
1970 :: Euclides da Cunha (Antes de Tudo Um Forte) (CM) (dir, fot)
1969 :: A Doce Mulher Amada (dir, fot)
1968 :: Delmiro Gouveia: o Homem e a Terra (CM) (dir, fot)
1967 :: História da Luz é a História do Progresso (CM) (dir, fot)
1967 :: Minerinho Vivo ou Morto
1967 :: Em Busca do Tesouro
1966 :: Onde a Terra Começa (dir, fot)
1966 :: Amor na Selva (Brasil/EUA)
1964 :: O Pequeno Mundo de Juca (CM) (dir, fot)
1963 :: Terra Sem Deus
1963 :: Uma História Real (CM)
1961/1962 :: Meu Destino em Suas Mãos
1962 :: Sol Sobre a Lama
1962 :: Um Dia Qualquer
1961 :: Cidades Esquecidas (CM)
1961 :: Com Minha Sogra em Paquetá
1961 :: O Mundo em Suas Mãos (CM) (dir, fot)
1960 :: Brasília (CM)
1960 :: Criança Sadia, Futuro Campeão (CM)
1960 :: O Homem e a Argila (CM) (dir, fot)
1960 :: Vida Brasileira (CM) (dir, fot)
1959 :: Combatendo a Malária e o Mal de Chagas (CM)
1959 :: Erradicação do Analfabetismo (CM)
1959 :: Ouro Preto (CM)
1959 :: Usiminas (CM)
1959 :: Quando os Campos Florescem (dir, fot)
1958 :: Defendendo Divisas (CM) (dir, fot)
1958 :: Pauliceia Desvairada (CM) (dir, fot)
1958 :: Diamantina
1958 :: Educação e Desenvolvimento – Erradicação do Analfabetismo no Brasil (CM)
1958 :: O Cantor e o Milionário
1958 :: O Drama das Secas
1958 :: O Cantor e o Milionário
1957 :: Brasileiros em Nova Iorque (CM)
1957 :: História do Bicho da Seda (CM) (dir, fot)
1956 :: Anatomia do Progresso (CM) (dir, fot)
1956 :: Cavalhadas em Goiás (CM) (dir, fot)
1956 :: Carnaval no Rio de Janeiro (CM)
1955 :: A Casa de Mário de Andrade (CM) (dir, fot)
1955 :: O Aleijadinho (CM) (dir, fot)
1954 :: A Sogra
1954 :: O Canto dos Rios (Das Lied der Ströme) (Brasil/Holanda) (episódio: O Rio Amazonas) (dir, fot)
1953 :: Batalha dos Transportes (CM) (dir, fot)
1953 :: O Saci
1953 :: Uma Vida Para Dois
1953 :: O Craque
1952 :: Uma Criança Vem ao Mundo (CM)
1952 :: Balança Mas Não Cai (cofot. Mário Pagés e Victor Junot)
1951 :: Batalha do Trânsito (CM)
1951 :: Maria da Praia
1951 :: Santa Isabel do Avaí (CM)
1950 :: Estrela da manhã
1950 :: Educação Sexual (CM)
1950 :: Estrela da Manhã
1949 :: A Mulher de Longe (inacabado)
1947 :: O malandro e a granfina
1947 :: O Malandro e a Granfina (cofot. Luiz de Barros)
1947 :: O Homem Que Chutou a Consciência
1945 :: Comício no Pacaembu (CM) (dir, fot)
1945 :: 24 Anos de Lutas (dir, fot)
1944 :: Debret e o Rio de Hoje (CM)
1944 :: Escadas (CM)
1944 :: Norte-Sul (CM) (dir, fot)
1944 :: Rio Amazonas (CM) (dir, fot)
1943 :: Terra Seca (CM) (dir, fot)
1943 :: Vai Começar o Espetáculo (CM) (dir, fot)
1943 :: Itapoan (CM) (dir, fot)
1943 :: Luta Contra a Morte (CM) (dir, fot)
1943 :: Malária (CM) (dir, fot)
1943 :: A Jangada Voltou Só (CM) (dir, fot)
1943 :: As Missões (CM) (dir, fot
1943 :: Dança (CM)
1943 :: Segall (CM)
1940 :: Alvorada (CM)
1938 :: O Poeta e a Natureza (Paulo Afonso) (CM)
1938 :: O Rio Trabalha (CM)
1937 :: Sinfonia da Cidade (CM) (dir, fot)

:: Filmografia como Roteirista ::

1950 :: Estrela da manhã

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

Internet:

PCB. Disponível no endereço: http://www.pcb.org.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=1703:da-censura-a-arte-fotos-do-artista-ruy-santos-sao-tema-de-exposicao-no-rio&catid=56:memoria. Acesso em: 11 de nov. de 2011.

PESQUISA FOTOGRÁFICA. Disponível no endereço: http://pesquisafotografica.blogspot.com/2010/05/ruy-santos-imagens-apreendidas-ate-13.html. Acesso em: 11 de nov. de 2011.

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.