Silvio Santos

Biografia

Senor Abravanel, em arte mais conhecido como Silvio Santos, é um icônico apresentador de televisão e empresário brasileiro nascido na Travessa Bemtevi, no bairro da Lapa, no Rio de Janeiro no dia 12 de dezembro de 1930.

Proprietário do Grupo Silvio Santos, que inclui empresas como a Liderança Capitalização (administradora da loteria Tele Sena), a Jequiti Cosméticos e o Sistema Brasileiro de Televisão (mais conhecido como SBT), Silvio Santos possui um patrimônio avaliado em aproximadamente quatro bilhões de reais.

Filho primogênito do casal de imigrantes vindo em 1924 para o Brasil: Alberto Abravanel (Tessalônica, 15 de março de 1897 – Rio de Janeiro, 28 de outubro 1976), um imigrante grego sefardita de Tessalônica, no Império Otomano, atual Grécia que veio para o Brasil para fugir do alistamento militar obrigatório turco e Rebeca Caro (Esmirna, 3 de janeiro de 1907 – Rio de Janeiro, 20 de setembro de 1989) judia de Esmirna, na atual Turquia, Silvio possui outros cinco irmãos: Beatriz (a mais velha), Perla, Sara (Sarita), Leon (Léo) e Henrique (o mais novo). Ambos seus pais estão sepultados no Cemitério Comunal Israelita do Cajú, Rio de Janeiro.

Silvio e o irmão Léo frequentaram, juntos, a Escola Primária Celestino da Silva, na rua do Lavradio, perto de onde moravam (nessa época haviam mudado para a rua Gomes Freire). Terminado o primário, estudaram na Escola Técnica de Comércio Amaro Cavalcanti, no largo do Machado, onde Silvio Santos se formou em Contabilidade.

O primeiro tipo de produto que começou a comercializar foi capa para título de eleitor (o Brasil entrava numa fase de redemocratização após a ditadura do Estado Novo).

Em 1948, serviu o Exército Brasileiro na Escola de Paraquedistas, no bairro Deodoro, na zona oeste do Rio de Janeiro, onde se destacou com saltos considerados bons.

Silvio foi casado com Maria Aparecida Vieira, falecida em virtude de câncer em 1977, com quem teve a sua primeira filha, Cíntia, além de adotar Silvia. Em 1978 casou-se com Íris Pássaro, com quem teve quatro filhas: Daniela, Patrícia, Rebeca e Renata. Silvio é descendente direto, na linhagem paterna, de Isaac Abravanel, um estadista judeu português, filósofo, comentador da Bíblia e financista. O nome Senor vem de seu avô Señor Abram Abravanel, falecido em 1933.

Logo passou à televisão, adaptando o formato dos shows, espetáculos e sorteios que fazia no circo. Seu primeiro programa, Vamos Brincar de Forca, estreou em 1962 e era transmitido pela TV Paulista, à noite, tendo obtido um imenso sucesso com o mesmo. Em 1964, passou a comandar seu programa aos domingos, das 12 às 14 horas. No decorrer dos anos, o formato seria expandido e aprimorado no Programa Silvio Santos.

Paralelamente, Silvio partiu para novos empreendimentos: adquiriu de seu amigo Manuel de Nóbrega e de um alemão o Baú da Felicidade, empresa que vendia baús de presentes de Natal para crianças mediante pagamento em prestações. Depois de reformas no plano de negócios, a empresa ficou conhecida pela venda de carnês e sorteios.

Quando a TV Paulista foi incorporada à Rede Globo, Silvio seguiu pagando aluguel pelo seu horário dominical, revendendo o tempo dos anúncios a outras empresas. Na medida em que aumentava o sucesso do Programa Silvio Santos, Silvio tinha ótimos resultados financeiros. Realizava sorteios de carros, móveis e eletrodomésticos, o que motivou a expansão dos negócios através da loja de móveis Tamakavy e a concessionária de veículos Vimave.

Porém, no início dos anos 1970, Boni e Walter Clark, diretores da Rede Globo, promoveram reformas no padrão de qualidade da emissora, investindo em filmes, esporte, jornalismo e novelas, e acabando com os programas independentes. Para os executivos, o programa de Silvio Santos destoava da grade de programação.

O apresentador quase saiu da emissora em 1972, mas o próprio Roberto Marinho o convenceu a ficar, renovando o contrato por mais quatro anos. Por esse contrato, Silvio não poderia ser acionista ou dono de nenhuma outra emissora de televisão, o que motivou sua saída da Globo.

Dessa forma, a partir de 1976, Silvio começou a fazer programas na Rede Tupi (vale salientar que, ao contrário do que muitos pudessem pensar, a Tupi nunca vendeu horários), assegurando a transmissão nacional de seu programa, ao mesmo passo em que lutava politicamente para obter seus próprios canais de televisão.

No dia 22 de outubro de 1975, o presidente Ernesto Geisel assinou o decreto 76.488, outorgando a Silvio Santos o canal 11 do Rio de Janeiro. Silvio passou a transmitir seus programas simultaneamente na Tupi e na TVS (TV Studios).

Depois da falência da Rede Tupi, em 1980, o Programa Silvio Santos, em São Paulo, foi transferido pra Rede Record. Durante a década de 1980, Silvio chegou a ser dono de 50% da emissora do empresário Paulo Machado de Carvalho. Todavia, Silvio planejava ter uma rede nacional de televisão, produzir uma programação completa e usar o canal para seus sorteios e promoções.

Em 1981, através de um lobby com a primeira-dama Dulce Figueiredo, com quem tinha longas conversas por telefone, Silvio Santos obteve a licença para operar o canal 4 de São Paulo, que se tornou a TVS da capital paulista. A partir das emissoras do Rio e de São Paulo, surgiu o embrião do SBT. A rede se expandiu rapidamente através de afiliações, mas o Programa Silvio Santos continuava sendo transmitido simultaneamente pela Record, especialmente para alcançar o interior de São Paulo. A marca SBT passou a ser usada em toda a rede no final da década de 1980.

O Programa Silvio Santos, ao longo dos anos, tornou-se um agrupamento de vários programas de auditório e quadros, somando quase cem atrações diferentes.

Os programas sempre tiveram a participação do auditório, cujas participantes são chamadas de “colegas de trabalho”. O auditório é considerado por Silvio “o mais feminino do Brasil”, pois nos primeiros anos do programa a entrada de homens na plateia não era permitida. Silvio acreditava que os cônjuges das “colegas de trabalho” poderiam ficar com ciúmes de cantores e artistas masculinos. Com o tempo, esse costume foi sendo ligeiramente relaxado, principalmente nos programas envolvendo sorteios e perguntas e respostas.

Além de transformar Silvio Santos em um dos grandes ícones da TV, o Programa Silvio Santos deu destaque ao locutor Lombardi, cujo rosto nunca era visto, ao produtor Roque, e a outros membros da equipe, como o animador Liminha.

No dia 30 de novembro de 2011, foi anunciado que Silvio perdeu em última instância o direito de reproduzir Silvio Santos Vem Aí, jingle que marcou sua carreira na televisão, que só poderia ser reproduzido caso Silvio comprasse os direitos do mesmo, sendo que desde 2001, Silvio já travava dum processo contra Archimedes Messina, disputando os direitos autorais. Silvio teve de pagar 5 milhões de reais a Messina como indenização. Como já estava na última instância, não houve possibilidade de recurso.

O Grupo Silvio Santos, formado por 34 empresas, completou, em 2008, 50 anos de atuação, acumulando cerca de onze mil funcionários, incluindo – entre as mais conhecidas -, a Liderança Capitalização (que opera a Tele Sena), o Hotel Jequitimar, a Jequiti Cosméticos, e empreendimentos agropecuários e imobiliários como a Sisan.

Apesar de ser visto como um comprador nato, Silvio se desfez de algumas empresas nos anos 1980: o CLAM (Clube de Assistência Médica), o plano de aposentadoria privada Aposentec e as lojas de móveis Tamakavy. Sobre o CLAM, Silvio reiterou ser muito difícil administrar uma empresa de saúde, e que se sentiria indiretamente responsável por falhas que provocassem morte ou graves danos.

Em 8 de novembro de 2010, o Grupo Silvio Santos entrou em crise financeira por conta dum rombo ocorrido no Banco PanAmericano, também pertencente ao grupo. O prejuízo dado pelo banco somou uma quantia próxima a R$ 2,5 bilhões, o que provocou a necessidade de empréstimo junto ao Fundo Garantidor de Crédito para recuperar o banco.

Em razão desse empréstimo, o Grupo Silvio Santos colocou como garantia para pagamento do empréstimo algumas empresas do grupo, incluindo o SBT, a Jequiti Cosméticos e o Baú da Felicidade, agravando a crise em que a emissora entrou a partir de 2007, quando perdeu a vice-liderança para a Rede Record. O prazo para pagamento desse empréstimo seria de 10 anos.

Em 01 de fevereiro de 2011, Silvio Santos anunciou a venda do Banco PanAmericano ao BTG Pactual, por R$ 450 milhões.

Em 13 de junho do mesmo ano, o Grupo Silvio Santos anunciou a venda da rede Baú da Felicidade à Magazine Luiza. A rede desembolsou R$ 83 milhões pelo Baú, em uma operação envolvendo 121 lojas em São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Além disso, a Magazine Luiza adiciona 3 milhões de clientes à sua base de cartões.

Bibliografia

Livros:

CARDOSO, Tom; ROCKMANN, Roberto. O Marechal da Vitória: uma História de Rádio, TV e Futebol. São Paulo: A Girafa, 2005.
HOLANDA, Helladio. Silvio Santos, o Mestre. . : Clube de Autores, 2012.
LUCCHETTI, R.F.. Silvio Santos: Vida, Luta e Glória. : Avec/Rio Branco, 2017.
MEDEIROS, Anna; BATISTA, Marcia. Silvio Santos: a Biografia. São Paulo: Universo dos Livros, 2017.
MORGADO, Fernando. Silvio Santos: a trajetória do mito. São Paulo: Matrix, 2017.
SANDOVAL, Luiz Sebastião. Aprendi fazendo: minha história no Grupo Silvio Santos, do Baú da Felicidade à crise no Banco PanAmericano. São Paulo: Geração, 2011.
SILVA, Arlindo. A Fantástica História de Silvio Santos. São Paulo: Seoman, 2017.
SILVA, Arlindo. A Fantástica História de Silvio Santos. São Paulo: Editora do Brasil, 2000.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Silvio Santos. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/silvio-santos/

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.