Rio de Janeiro Arquivo

  • <p style="text-align: justify;">Cinema e arquivo. Acervo fílmico e Instituições de Salvaguarda. Acesso e Difusão. Estes são alguns dos motes que vincularam o <em>Arquivo da cidade</em> e o <em>Departamento de Cinema e Vídeo/UFF</em> na idealização do <strong>Cineclube AGCRJ: Rio 450 anos de cinema</strong>. Já que em 2015, o Rio de Janeiro e os documentos do <strong>AGCRJ</strong> completavam e comemoravam quatro séculos e meio de existência.</p>

    LIVRO – Rio: 450 anos de cinema

    Cinema e arquivo. Acervo fílmico e Instituições de Salvaguarda. Acesso e Difusão. Estes são alguns dos motes que vincularam o Arquivo da cidade e o Departamento de Cinema e Vídeo/UFF na idealização do Cineclube AGCRJ: Rio 450 anos de cinema. Já que em 2015, o Rio de Janeiro e os documentos do AGCRJ completavam e comemoravam quatro séculos e meio de existência.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">Durante os festejos de Carnaval, Rodolfo cede aos encantos de Alice - melhor amiga de sua esposa - e vão ao grande baile à fantasia do cassino, enquanto Nina acredita que seu marido estaria de plantão no hospital. Ao retornar, já de manhã, encontra a esposa a sua espera. Esta conta-lhe que estava tendo um pesadelo: sonhava que o marido a enganava com outra... Rodolfo agasta, despertando suspeitas da ingênua esposa, que passa a aferir o assunto. Um vestígio é encontrado por ela: marca de rouge. Discutem e passam a dormir separados. Nesta situação é que D. Aurora vai encontrá-los. Depois de falar com a filha, quer ouvir o genro. Recrimina-o sinceramente e Rodolfo promete pedir perdão, providenciando um anel de brilhante. Mas a sogra, muito astuta descobre o nome da 'outra'. D. Aurora desejosa em falar com Alice não percebe quando Nina inesperada interrompe o diálogo. As duas amigas discutem. A esposa traída, promete vingar-se do marido, no que será auxiliada pela mãe. Lulu que durante o baile de carnaval flertara com Iracema (a criada), ajudará a despertar ciúmes em Rodolfo. Depois de uma boa briga com o falso 'rival', a paz volta a reinar.</p>

    Direito de Pecar (1940)

    Durante os festejos de Carnaval, Rodolfo cede aos encantos de Alice - melhor amiga de sua esposa - e vão ao grande baile à fantasia do cassino, enquanto Nina acredita que seu marido estaria de plantão no hospital. Ao retornar, já de manhã, encontra a esposa a sua espera. Esta conta-lhe que estava tendo um pesadelo: sonhava que o marido a enganava com outra... Rodolfo agasta, despertando suspeitas da ingênua esposa, que passa a aferir o assunto. Um vestígio é encontrado por ela: marca de rouge. Discutem e passam a dormir separados. Nesta situação é que D. Aurora vai encontrá-los. Depois de falar com a filha, quer ouvir o genro. Recrimina-o sinceramente e Rodolfo promete pedir perdão, providenciando um anel de brilhante. Mas a sogra, muito astuta descobre o nome da 'outra'. D. Aurora desejosa em falar com Alice não percebe quando Nina inesperada interrompe o diálogo. As duas amigas discutem. A esposa traída, promete vingar-se do marido, no que será auxiliada pela mãe. Lulu que durante o baile de carnaval flertara com Iracema (a criada), ajudará a despertar ciúmes em Rodolfo. Depois de uma boa briga com o falso 'rival', a paz volta a reinar.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">É o relato da vida acidentada e por vezes trágica de D. Luiz XII que comanda com mão de ferro, mas geralmente com muito amor e compreensão, os nove habitantes de seu universo, uma pensão num velho prédio que relembre o Rio de Janeiro de antigamente. As fantasias dessas personagens que circundam entre as minúcias de seu trabalho de conserto de peças antigas de relojoaria e sua amizade, à beira do desvario, por um jovem chamado Pig, envolvem sete lindas mulheres que querem se afirmar na vida de alguma maneira, parte delas à custa de sacrifícios, e uma senhora que se nutre das ilusões de um dia poder voltar aos seus grandes momentos como atriz de teatro de revista.</p>

    Estranhas Relações (1983)

    É o relato da vida acidentada e por vezes trágica de D. Luiz XII que comanda com mão de ferro, mas geralmente com muito amor e compreensão, os nove habitantes de seu universo, uma pensão num velho prédio que relembre o Rio de Janeiro de antigamente. As fantasias dessas personagens que circundam entre as minúcias de seu trabalho de conserto de peças antigas de relojoaria e sua amizade, à beira do desvario, por um jovem chamado Pig, envolvem sete lindas mulheres que querem se afirmar na vida de alguma maneira, parte delas à custa de sacrifícios, e uma senhora que se nutre das ilusões de um dia poder voltar aos seus grandes momentos como atriz de teatro de revista.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;"><strong>Cine Carioca</strong> era uma sala de cinema localizada na Praça Saens Pena, no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro. O edifício se mantém praticamente sem alterações desde o fim da sala de cinema. Foi inaugurado a 23 de março de 1941 possuindo mais de 1.000 lugares e fechado como cinema provavelmente no início dos anos 2000.</p>

    Cine Carioca – Rio de Janeiro – RJ

    Cine Carioca era uma sala de cinema localizada na Praça Saens Pena, no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro. O edifício se mantém praticamente sem alterações desde o fim da sala de cinema. Foi inaugurado a 23 de março de 1941 possuindo mais de 1.000 lugares e fechado como cinema provavelmente no início dos anos 2000.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;"><strong>Cine-Theatro Phenix</strong> foi uma sala de espatáculos localizada na rua Barão de São Gonçalo, nº 63 (posteriormente, a rua passou a ser chamada de Avenida Almirante Barroso) no Rio de Janeiro (RJ). Funcionou entre 26 de fevereiro de 1914 a 10 de julho de 1932.</p>

    Cine-Theatro Phenix – Rio de Janeiro – RJ

    Cine-Theatro Phenix foi uma sala de espatáculos localizada na rua Barão de São Gonçalo, nº 63 (posteriormente, a rua passou a ser chamada de Avenida Almirante Barroso) no Rio de Janeiro (RJ). Funcionou entre 26 de fevereiro de 1914 a 10 de julho de 1932.

    Continue Lendo...

  • Cinema Elegante – Rio de Janeiro – RJ

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">A <em>Escola de Samba Unidos de Vila Isabel</em> entra na avenida no carnaval de 1965. Por meio de texto construído a partir de declarações de um dos fundadores da escola, <strong>Antônio Fernandes da Silveira</strong>, o <strong><em>China</em></strong>, é possível conhecer um pouco da vida de alguns moradores do <em>Morro do Pau da Bandeira</em> no Rio de Janeiro. A preparação para o carnaval: a pesquisa para o tema, a construção dos carros alegóricos, os ensaios, o samba-enredo. A presença crescente da comunidade. Com o enredo <em>Rio Epopeia do Teatro Municipal</em> a escola sobe para o grupo especial do carnaval carioca.</p>

    Nossa Escola de Samba (1965)

    A Escola de Samba Unidos de Vila Isabel entra na avenida no carnaval de 1965. Por meio de texto construído a partir de declarações de um dos fundadores da escola, Antônio Fernandes da Silveira, o China, é possível conhecer um pouco da vida de alguns moradores do Morro do Pau da Bandeira no Rio de Janeiro. A preparação para o carnaval: a pesquisa para o tema, a construção dos carros alegóricos, os ensaios, o samba-enredo. A presença crescente da comunidade. Com o enredo Rio Epopeia do Teatro Municipal a escola sobe para o grupo especial do carnaval carioca.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">Uma história de conflitos e contrastes com endereço certo, na confluência dos bairros cariocas de Ipanema e Leblon. Ali, frente a frente, convivem categorias sociais opostas. De um lado, o quarteirão proletário da Cruzada São Sebastião. Do outro, apartamentos ocupados pela alta classe média da Zona Sul do Rio de Janeiro.</p>

    Jardim de Alah (1989)

    Uma história de conflitos e contrastes com endereço certo, na confluência dos bairros cariocas de Ipanema e Leblon. Ali, frente a frente, convivem categorias sociais opostas. De um lado, o quarteirão proletário da Cruzada São Sebastião. Do outro, apartamentos ocupados pela alta classe média da Zona Sul do Rio de Janeiro.

    Continue Lendo...

  • <strong>Carmen Miranda</strong> é uma pequena do rádio, toda <em>sex-appeal</em> que se deixa enamorar pelos estudantes, pelos seus encantos e pelas suas canções, que a <em>Pequena Notável</em> interpreta com toda a brejeirice. <strong>Mesquitinha</strong> e <strong>Barbosa Júnior</strong> são os apaixonados... E <strong>Carmen Miranda</strong>, que gosta do estudante <strong>Mário Reis</strong>, näo quer desiludir os dois, proporcionando-lhes momentos de alegria e... comédia. As declarações de ambos são gozadíssimas.

    Estudantes (1935)

    Carmen Miranda é uma pequena do rádio, toda sex-appeal que se deixa enamorar pelos estudantes, pelos seus encantos e pelas suas canções, que a Pequena Notável interpreta com toda a brejeirice. Mesquitinha e Barbosa Júnior são os apaixonados... E Carmen Miranda, que gosta do estudante Mário Reis, näo quer desiludir os dois, proporcionando-lhes momentos de alegria e... comédia. As declarações de ambos são gozadíssimas.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">Zé é um paraibano que, como muitos, vai para o Rio de Janeiro ver de perto a imagem de um grande sonho: Ipanema, praia, mulheres bonitas, vida fácil. Assim que chega, ele logo se dá conta das dificuldades de sobrevivência no grande centro. Vai morar na periferia junto com Zé Preto, um amigo, e outros nordestinos que trabalham em obras e fábricas. Mas o nosso Zé tem talento, é esperto e sua ambição não cabe em um barraco de subúrbio. Pertence à linhagem de heróis picarescos e, como um novo Macunaíma, vai vencendo os obstáculos do percurso na metrópole. Camelô, falso mendigo, candidato em concurso de calouros, ele se vira. A vida é uma festa e ele nem percebe a aflição do amigo, ameaçado de desemprego. Um dia, Zé encontra o amor. Branca é uma linda jovem cega, a quem ele salva de um atropelamento. Ela o enfeitiça com sua beleza, pureza e ingenuidade - desperta o seu lado bom escondido. Mas Branca desaparece e ele continua se consumindo nas praias da zona sul até encontrar Débora, uma fotógrafa profissional, com quem vai viver uma relação séria. Os sonhos de José se realizam enfim, mas ele se separa de Débora não só por se sentir dominado por ela mas sobretudo por ter reencontrado Branca. O reencontro com Branca e a partida da fotógrafa para os Estados Unidos colocam nosso herói em um conflito; é a hora de uma decisão definitiva em sua vida. Aventuras de um paraíba é a história de um homem rumo ao seu destino, sua busca e seu encontro com a maturidade.</p>

    Aventuras de um Paraíba (1983)

    Zé é um paraibano que, como muitos, vai para o Rio de Janeiro ver de perto a imagem de um grande sonho: Ipanema, praia, mulheres bonitas, vida fácil. Assim que chega, ele logo se dá conta das dificuldades de sobrevivência no grande centro. Vai morar na periferia junto com Zé Preto, um amigo, e outros nordestinos que trabalham em obras e fábricas. Mas o nosso Zé tem talento, é esperto e sua ambição não cabe em um barraco de subúrbio. Pertence à linhagem de heróis picarescos e, como um novo Macunaíma, vai vencendo os obstáculos do percurso na metrópole. Camelô, falso mendigo, candidato em concurso de calouros, ele se vira. A vida é uma festa e ele nem percebe a aflição do amigo, ameaçado de desemprego. Um dia, Zé encontra o amor. Branca é uma linda jovem cega, a quem ele salva de um atropelamento. Ela o enfeitiça com sua beleza, pureza e ingenuidade - desperta o seu lado bom escondido. Mas Branca desaparece e ele continua se consumindo nas praias da zona sul até encontrar Débora, uma fotógrafa profissional, com quem vai viver uma relação séria. Os sonhos de José se realizam enfim, mas ele se separa de Débora não só por se sentir dominado por ela mas sobretudo por ter reencontrado Branca. O reencontro com Branca e a partida da fotógrafa para os Estados Unidos colocam nosso herói em um conflito; é a hora de uma decisão definitiva em sua vida. Aventuras de um paraíba é a história de um homem rumo ao seu destino, sua busca e seu encontro com a maturidade.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">O documentário conta a história dos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, pela ótica da evolução de seu urbanismo, através de ricos depoimentos de especialistas e imagens, narração, iconografia inédita e computação 3D.</p>

    São Sebastião do Rio de Janeiro – A formação de uma Cidade (2015)

    O documentário conta a história dos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, pela ótica da evolução de seu urbanismo, através de ricos depoimentos de especialistas e imagens, narração, iconografia inédita e computação 3D.

    Continue Lendo...

  • <p style="text-align: justify;">Filme que documental registra imagens e comenta, com uma narração contestatória, 50 anos da História do Brasil. (...) através de uma câmera de cinema, percorre todo o território nacional, mostrando uma coletânea de aspectos interessantes, divertidos ou trágicos. As cenas captando o progresso e os contrastes existentes nas diversas regiões do país estão presentes em imagens como as da cidade de São Paulo, em 1920, com seu trânsito já prenunciando o caos atual; a modernidade de Brasília é contrastada com o trabalho dos 'candangos' e a rusticidade de seu primeiro hotel; a região Amazônica é mostrada no pioneirismo da <em>Estrada de Ferro Madeira-Mamoré</em> e pela grandiosidade do <em>Teatro Amazonas</em>; a campanha <em>O Petróleo é Nosso</em> é ilustrada pela primeira torre de perfuração de petróleo e a sua extração em Lobato, na Bahia. E a vida e obra de brasileiros ilustres como o <strong>Marechal Rondon</strong>, o presidente <strong>Getúlio Vargas</strong> e <strong>Santos Dumont</strong> sintetizam o Brasil e seu tempo.</p>

    O Gigante (1968)

    Filme que documental registra imagens e comenta, com uma narração contestatória, 50 anos da História do Brasil. (...) através de uma câmera de cinema, percorre todo o território nacional, mostrando uma coletânea de aspectos interessantes, divertidos ou trágicos. As cenas captando o progresso e os contrastes existentes nas diversas regiões do país estão presentes em imagens como as da cidade de São Paulo, em 1920, com seu trânsito já prenunciando o caos atual; a modernidade de Brasília é contrastada com o trabalho dos 'candangos' e a rusticidade de seu primeiro hotel; a região Amazônica é mostrada no pioneirismo da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré e pela grandiosidade do Teatro Amazonas; a campanha O Petróleo é Nosso é ilustrada pela primeira torre de perfuração de petróleo e a sua extração em Lobato, na Bahia. E a vida e obra de brasileiros ilustres como o Marechal Rondon, o presidente Getúlio Vargas e Santos Dumont sintetizam o Brasil e seu tempo.

    Continue Lendo...

Página 1 de 1012345...10...Última »