Tata Amaral

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Biografia

Nascida em São Paulo, em 1961, Tata Amaral é uma das mais bem-sucedidas cineastas brasileiras surgidas na década de 80. Dona de um estilo autoral e personalíssimo, essa paulista já tem no currículo um dos filmes fundamentais da década de 90 do cinema nacional: Um Céu de Estrelas.

Nas décadas de 80 e 90, deu-se no cinema brasileiro um boom de curtas-metragens de qualidade esplendorosa. Coube a esse formato a resistência do nosso cinema, frontalmente atacado pelo governo Fernando Collor, que de uma vez depenou os órgãos de financiamento e regulamentação. Vários nomes surgiram e Tata Amaral é um deles, com um talento que veio a se confirmar nos anos seguintes.

Tata Amaral estreou no cinema no início em 1983, período em que atuou como assistente de produção, diretora de produção e produtora executiva. Seu primeiro curta-metragem, Poema: Cidade (1986) foi um dobradinha na direção com Francisco César Filho.

Na mesma época, dá-se início também à produção, direção e roteirizarão de vários vídeos: “Mude Seu Dial” (1986); “SP PAN 360” (1987); “Orgulho” (1992); “Vão Tomar o Santo Nome de Deus em Vão” (1993); “Curta” (1994); “O Cinturão de Hipólita” (1994).

Tata Amaral tem atuação contínua também na área da publicidade, como assistente de direção, com cerca de 100 filmes publicitários no currículo.

O segundo curta-metragem é “Queremos as Ondas do Ar!”, também de 1986, seguido de “História Familiar” (1988). É em 1991, porém, que Tata Amaral vai conquistar o público nacional com “Viver a Vida”, premiadíssimo curta-metragem sobre o dia-a-dia de um Office-boy pelas ruas de São Paulo.

Revelada na geração de curtas-metragistas dos anos 1980, a cineasta Tata Amaral é diretora de Um Céu de Estrelas (1996), obra que revelou a atriz Leona Cavalli e se tornou um dos títulos mais festejados da chamada retomada do cinema brasileiro, obra premiada nos festivais de Brasília, Boston, Trieste, Créteil e Havana.

Em 2000, dirigiu Através da Janela, que rendeu a Laura Cardoso os prêmios de melhor atriz nos festivais de Miami e Cine-PE (Recife). Seu terceiro longa, Antonia (2006), gerou a série de mesmo nome produzida pela Rede Globo e indicada ao Prêmio Emmy.

Para o projeto Direções, uma parceria da TV Cultura com o SescTV, em 2009 Tata Amaral dirigiu a minissérie “Trago Comigo”, uma abordagem da ditadura militar brasileira a partir de cenas ficcionais e depoimentos documentais.

Filmografia

2016 :: Trago Comigo
2011 :: Hoje
2006 :: Antonia
2000 :: Através da Janela
1996 :: Um Céu de Estrelas

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.