Virgílio Roveda

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Biografia

FOTO Virgilio Roveda 03Virgílio Roveda, mais conhecido no meio cinematográfico como Gaúcho, ou Gauchinho, como é mais conhecido pelos amigos (o apelido foi dado por Zé do Caixão), é um eletricista, iluminador, assistente de câmera, focista, Operador de Câmera e diretor de Fotografia brasileiro, nascido na cidade de Vacaria (RS) em 02 de agosto de 1945. Recentemente, completou 51 anos de carreira profissional no cinema.

Mudou-se para São Paulo em 1965, ano em que iniciou sua carreira no cinema. Atuou em todas as etapas da cinematografia, aprendendo tudo na prática, pela ausência de escolas especializadas na época.

Iniciou sua carreira como maquinista e cenógrafo do filme O Diabo de Vila Velha, dirigido por Armando Miranda. A partir de então, engajou-se com o pessoal de cinema da Boca do Lixo paulista, começando a trabalhar sem parar, nas funções de maquinista, câmera, foquista, assistente de produção, cenógrafo, fotógrafos de cena.

Profissional eclético e com grande conhecimento prático, Virgílio Roveda foi um dos técnicos mais atuantes do cinema paulista. Trabalhou ao lado dos grandes cineastas de São Paulo, como Ozualdo Candeias, Amácio Mazzaropi e até José Mojica Marins, o Zé do Caixão. Iniciou a carreira como figurante, depois prosseguiu como eletricista, iluminador, assistente de câmera, focista, Operador de Câmera e Diretor de Fotografia.

Paralelamente atuou como assistente de direção, fotógrafo de cena, direção de produção e produtor. Colaborou, assim, na realização de mais de 50 longas-metragens nacionais, sendo solicitado por quase todos os profissionais da Boca do Lixo, principalmente pelo próprio José Mojica Marins, com quem trabalhou em diversos filmes como Esta Noite Encarnarei No Teu Cadáver (1967), como cenógrafo e maquinista, depois assistente de câmera e foquista em vários outros como O Estranho Mundo do Zé do Caixão (1967), O Despertar da Besta (Ritual de Sádicos) (1969/82), Como Consolar Viúvas (1976) e câmera em Encarnação do Demônio (2008), etc.

Com o cômico Amácio Mazzaropi, trabalhou como operador de câmera e foquista na sua última fase, destacando-se O Grande Xerife (1971), Jeca Macumbeiro (1974), Jecão… Um Fofoqueiro no Céu (1977), Jeca Jeca e a Égua Milagrosa (1980), último filme do famoso cineasta.

Estreia como Diretor de Fotografia em 1972, no filme Gringo, o Último Matador, de Tony Vieira. Foi Assistente de Direção em A Margem (1967), Meu Nome é Tonho (1969), A Herança (1971) e A Opção (As Rosas da Estrada) (1981), os quatro dirigidos por Ozualdo Candeias; Maria… Sempre Maria (1973), direção de Eduardo Llorente e As Cangaçeiras Eróticas (1974), de Roberto Mauro.

Em 1974, fundou a Empresa Prodsul Cinema e Audiovisuais, na qual exerceu a função de sócio-gerente. Neste tempo também foi diretor de fotografia e câmera-man freelancer em dezenas de filmes publicitários as produtoras Artset, Quadro & Quadro, e diretor de estúdio na EMP – Empresa de Marketing e Propaganda.

Na televisão, desempenhou diversas funções como operador de vídeo na Empresa Produtora Záccaro, gravando programas para as emissoras Bandeirantes, Gazeta, Record, etc, gravando programas como Italianíssimo, Almoço com Záccaro, Canta Viola, Luis Lauro Show, Atchim & Cia, Moacyr Franco Show, Ronnie Von, entre outros. Fez também campanhas políticas, como operador de câmera para a campanha de Roberto Freire de 1989 na unidade de São Paulo e para a campanha de Orestes Quércia para presidente, em 1994.

Tem destaca atuação também na política cinematográfica, ocupando vários cargos, tais como: Diretor do Departamento de Cinema do SATED (na Gestão 1975-78), sócio fundador da APACI-SP, participação na criação do Sindicato dos Técnicos da Indústria Cinematográfica de São Paulo (SINDCINE), membro fundador e redator dos estatutos do INDC – Instituto Nacional para o Desenvolvimento do Cinema, assessor da Presidência, departamento de áudio visual desde 2001 na API (Associação Paulista de Imprensa) e, em 2009, foi eleito para o triênio 2009/2011, como membro do conselho deliberativo da API.

Na imprensa escrita, trabalhou por vários anos como repórter fotográfico de vários jornais e revistas como O Correio Paulistano, Diário de Guarulhos, Cinema em Close-UP, etc.

Durante sua carreira, fez diversos cursos de aperfeiçoamento como Curso de Fotografia no Cinema, promovido pela Kodak; Curso para Formação de Cineasta, patrocinado pela Secretaria da Cultura, APACI e SATED; Curso de produção executiva e direção de produção, patrocinada pela Embrafilme, APACI-SP e MIS-SP, entre outros. Tirou o registro profissional como Diretor de Fotografia, Iluminador, Operador de Câmera, Jornalista e Repórter Fotográfico.

Em 2010, fotografou cenas adicionais para o filme Casamento Brasileiro, que marca a volta do produtor/diretor Fauzi Mansur ao cinema.

Um de seus mais recentes trabalhos foi o longa Casamento Brasileiro (2011), de Fauzi Mansur, no qual atuou como diretor de fotografia e operador de câmera. Ao lado do cineasta José Adalto Cardoso, Roveda pretende voltar a produzir comédias com temática rural, como as feitas por Mazzaropi.

Em 2013, a Giostri Editora lançou o livro Coringa do Cinema, escrito por Matheus Truck, que conta toda a trajetória de vida deste grande técnico do cinema brasileiro.

Recentemente produziu, em parceria com o cineasta José Adalto Cardoso, o longa Joaquim Queima Campo e, dirigiu, juntamente com Luiz Gonzaga dos Santos, o média metragem Tempestade no Arrabalde.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor de Fotografia ::

2011 :: Casamento Brasileiro
1988 :: A Vingança Diabólica (fot.)
1986 :: Dr. Frank na Clínica das Taras (fot.)
1986 :: Duas Faces de Um Psicopata (fot.)
1986 :: 48 Horas de Sexo Alucinante (fot.)
1985 :: 24 Horas de Sexo Explícito (fot.)
1984 :: Quinta Dimensão do Sexo (fot.)
1981 :: E a Vaca Foi Para o Brejo (fot.)
1981 :: Efeitos do Sal Sobre o Gado (CM) (fot.)
1981 :: O Sexo e as Pipas (fot.) (cofot. Nilton Nascimento e Antonio Ciambra)
1979 :: Estrada de Ferro Douradense (CM) (fot.)
1976 :: Invocações aos Mestres (dir., fot.)
1976 :: Jangadeiros
1975 :: Cachoeiras e Cavernas (CM) (fot.)
1974 :: Caçada Sangrenta (fot.)
1973 :: Geração em Fuga (fot.) (cofot. Giorgio Attili)
1973 :: A Transpantaneira (CM) (fot.)
1972 :: Como Nasce Uma Cidade (CM) (fot.)
1972 :: Gringo, o Último Matador (fot.)

:: Filmografia como Diretor ::

2010 :: Tempestade no Arrabalde (MM) (dir.) (codir. Luiz Gonzaga dos Santos).
1976 :: Invocações aos Mestres (dir., fot.)

:: Filmografia como Operador de Câmera ::

2011 :: Casamento Brasileiro
1980 :: O Jeca e a Égua Milagrosa

:: Filmografia como Ator ::

2016 :: Aquela Rua Tão Triumpho

:: Filmografia como Ele Mesmo ::

2011 :: Boca de Lixo: a Bollywood Brasileira

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de fotógrafos do cinema brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

TRUNK, Matheus. Coringa do Cinema. São Paulo: Giostri Editora, 2013.

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.