Vittorio Capellaro (1877-1943)

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More
Print Friendly, PDF & Email

Biografia

FOTO Vittorio CapellaroEusébio Vittorio Giovanni Batista Capellaro, em arte mais conhecido como Vittorio Capellaro, foi um dos mais importantes pioneiros do cinema brasileiro, em sua fase muda. Foi diretor de cinema, produtor cinematográfico, montador, roteirista, diretor de fotografia, laboratorista, tendo realizado muitos documentários e cinejornais, e ator ítalo-brasileiro, nascido em Mongrando, Piemonte, na Itália, no dia 21 de outubro de 1877. Trabalhou ativamente entre 1915 e 1935. Faleceu no Rio de Janeiro no ano de 1943.

Aprende arte dramática com padres salesianos em Turim e depois integra as companhias teatrais de Ernette Zacconi, Eleonora Duse e Tina Di Lorenzo. Esteve pela primeira vez no Brasil em temporadas teatrais, em 1907 e 1913. A partir de 1912 participa de filmes italianos até chegar ao Brasil em 1915, ano que se associa a Antonio Campos para produzir Inocência, seu primeiro filme brasileiro.

O filme Inocência, de 1917, onde atuou como ator, Vittorio Capellaro assinou também a produção e a adaptação do romance de Visconde de Taunay. Em 1916, ele adapta e dirige O guarani, do romance de José de Alencar em 1917, com cinegrafia de Paulo Benedetti, Vittorio Capellaro produz, dirige e interpreta O Cruzeiro do Sul, baseado no romance O mulato, de Aluísio de Azevedo.

Ainda em 1917, ele retorna para a Itália para se apresentar ao serviço militar e lutar na primeira guerra mundial.

Ao final da guerra, volta mais uma vez ao Brasil, já casado com Giorgina Nodari, que seria a personagem Iracema do filme do mesmo título, Iracema, baseado na obra de José de Alencar, dirigido e adaptado por Capellaro, tendo na direção da fotografia Paulo Benedetti. Foi nessa época que ele conhece seus patrícios Alberto Sestini e Gustavo Pinfildi, ambos proprietários de cinema no Rio. Como distribuidor ambulante, Vittorio Capellaro partiu para o Nordeste do Brasil.

Logo em seguida, reinicia suas atividades como produtor e realizador. Em 1919, monta seu primeiro laboratório no Rio de Janeiro. Assim, produz e dirige vários filmes nos anos seguintes. Muda-se definitivamente para São Paulo e monta um grande estúdio em sua residência. Personalidade importante do nosso cinema, não só como realizador mas também como técnico em revelação e copiagem.

Em 1920, realiza O garimpeiro; em 1926, O guarani, uma refilmagem em razão do sucesso da primeira versão; em 1932, O caçador de diamantes e, em 1935, Fazendo fita.

Em 1943, no clima de caça às quintas colunas, Vittorio Capellaro, que se encontrava num bonde carioca, foi reconhecido por dois policiais como italiano, por causa do sotaque, levado para a delegacia e aqui espancado. Solto, morre alguns dias mais tarde, no dia em 6 de agosto de 1943, aos 65 anos de idade, na sua casa, pelas sequelas do espancamento.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

1940 :: Aspectos Internos do Mosteiro de São Ben-to (CM) (dir.)
1940 :: A Criança Brinca Sempre (CM) (dir.)
1940 :: Ecos do Salão de 1939 (CM) (dir., fot.)
1940 :: Escolas Diversas (CM) (dir., fot.)
1940 :: Escultura (CM) (dir., fot.)
1940 :: Galerias Diversas (CM) (dir., fot.)
1940 :: Mosteiro de São Bento (CM) (dir.)
1940 :: Quadros Históricos (CM) (dir., fot.)
1940 :: Sala da Mulher Brasileira (CM) (dir., fot.).
1937 :: O Castelo São Manoel de Francisco Serrador em Correias (CM) (dir.)
1937 :: Jardim Botânico do Rio de Janeiro (CM) (dir., fot.)
1937 :: O Museu de Belas Artes do Rio de Janeiro (CM) (dir., fot.)
1936 :: Arranha-Céus de São Paulo (dir., fot.)
1936 :: Jornaleiros de São Paulo (CM) (dir., fot.)
1935 :: Fazendo Fitas
1934 :: Laranjas do Brasil (dir.)
1934 :: O Caçador de Diamantes
1933 :: O Butantã e Suas Atividades (CM) (dir.)
1932 :: Cultura e Comércio do Café (CM) (dir.)
1929 :: Sabonete Lever (CM) (dir., fot.)
1928 :: Inauguração do Cassino Atlântico em Santos (CM) (dir.)
1928 :: Desastre do Monte Serrat em Santos (CM) (dir., fot.)
1926 :: O Guaraní
1922 :: Revolução de 22 (CM) (dir., fot.)
1922 :: Exposição do Centenário para o Governo do México (CM) (dir., fot.)
1920 :: O Garimpeiro
1919 :: Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel
1918 :: Iracema
1917 :: O Cruzeiro do Sul
1916 :: Butantã
1916 :: Propaganda do Café Brasileiro na América do Norte
1916 :: O Guaraní
1915 :: Inocência

:: Filmografia como Diretor de Fotografia ::

1940 :: Ecos do Salão de 1939 (CM) (dir., fot.)
1940 :: Escolas Diversas (CM) (dir., fot.)
1940 :: Escultura (CM) (dir., fot.)
1940 :: Galerias Diversas (CM) (dir., fot.)
1940 :: Mosteiro de São Bento (CM) (dir.)
1940 :: Quadros Históricos (CM) (dir., fot.)
1940 :: Sala da Mulher Brasileira (CM) (dir., fot.).
1937 :: Jardim Botânico do Rio de Janeiro (CM) (dir., fot.)
1937 :: O Museu de Belas Artes do Rio de Janeiro (CM) (dir., fot.)
1936 :: Arranha-Céus de São Paulo (dir., fot.)
1936 :: Jornaleiros de São Paulo (CM) (dir., fot.)
1929 :: Sabonete Lever (CM) (dir., fot.)
1928 :: Desastre do Monte Serrat em Santos (CM) (dir., fot.)
1926 :: O Guarani (dir., fot.) (cofot. Paulo Benedetti)
1922 :: Revolução de 22 (CM) (dir., fot.)
1922 :: Exposição do Centenário para o Governo do México (CM) (dir., fot.)
1916 :: Butantã (CM) (dir., fot.)
1916 :: Propaganda do Café Brasileiro na América do Norte (MM) (dir., fot.)

Bibliografia

Livros:

CAPELLARO, Vittorio. O caçador de diamantes por Vittorio Capellaro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, .

SILVA NETO, Antônio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/vittorio-capellaro/

Compartilhe em suas Redes Sociais!
  • Twitter
  • Facebook
  • email
  • Google Reader
  • LinkedIn
  • BlinkList
  • Google Bookmarks
  • MSN Reporter
  • Myspace
  • Posterous
  • Tumblr
  • More

Sobre História do Cinema Brasileiro

Site do História do Cinema Brasileiro.