fbpx

A Dama do Cine Shanghai (1988)

Numa noite quente e úmida de verão, Lucas, um corretor de imóveis e ex-boxeador, entra em um cinema no centro de São Paulo para ver um filme policial. Na sala escura, conhece Suzana, uma bela e misteriosa mulher, muito parecida com a protagonista do filme. A partir desse encontro, aparentemente fortuito, o vendedor passa a viver uma aventura de suspense, e sua paixão o envolve num labirinto de pistas e assassinatos.

Filme de Guilherme Almeida Prado, protagonizado por Maitê Proença e Antônio Fagundes.

Elenco

Maitê Proença …. Suzana
Antônio Fagundes …. Lucas
Paulo Villaça …. Desdino
José Mayer …. Bolivar
Reis, Imara (Lanterninha, Carmen, Sabrina, Lila Van e Inês Helena)
Matilde Mastrangi …. Secretária
Doo, John (Chuang)
Duval, Liana (senhora)
Levy, Júlio (Dum-Dum)
Santos, Macalé dos (entregador)
Júlio Calasso Jr. …. Bira
Hoover, Tião (entregador)
Argolo, Rodrigo (homem da Torre)
Bourbonnais, João (repórter)
Takeshi, Carlos (japonese)
Assumpção, Jair (cego)
Taddeo, Athos (decorador)
Vaniche, Ari (noivo)
Rhedá, Regina (freirinha)
Pascale, Júlia (flautista)
Cachimbo (homem do Jornal)
Gaspar, Patrícia (freirinha)
Alberto, Maria (fofoqueira)
Messina, Ivone (velhinha)
Reis, Mônica (noiva)
Oliveira, Sérgio (brigão)

Apresentando:
Porrino, Mário(Felipe)

Participação Especial:
José Lewgoy …. Linus
Miguel Falabella …. Lana
Jorge Dória …. Velho
Sérgio Mamberti …. Stan

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de A Dama do Cine Shanghai (1988) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Guilherme Almeida Prado
Argumento: Guilherme Almeida Prado
Roteiro: Guilherme Almeida Prado
Assistência de direção: Ricardo Pinto e Silva
Continuidade: Cristina Santeiro
Direção de produção: Sara Silveira
Produção executiva: Assunção Hernandes
Produtor associado: Maitê Proença e Antônio Fagundes
Assistência de produção: Maria José de Oliveira
Direção de fotografia: Cláudio Portioli e José Roberto Eliezer
Câmera: Cláudio Portioli e José Roberto Eliezer
Assistência de câmera: Lito Mendes da Rocha, Gyula Kolozsvari, Jacob Solitrenick, Nei Santi Jr. e Odair Guarani
Efeitos especiais de fotografia: Miguez, Gustavo
Fotografia de cena: Xico Santos, Nei Santi Jr. e Adauto Araújo
Eletricista: Alquezar, Anísio Carlos; Souza, Luiz; Reis, Miro; Nicasio, Mario; Souza, Paulo Roberto de; Sanches, Mario; Dias, Sílvio de Carvalho; Malta, Ulisses Eleutério; Martins, Luís Ferreira; Lampa, José Carlos; Abadio, Expedito Aparecido; Ramos, Odair Silveira
Maquinista: Cunha, Moacir Estevão da; Faria, Edson; Bernardino, Arlindo; Dias, José; Nascimento, Carlos; Damaceno, Minervino; Ferreira, Luís J.; Iusi, Antonio; Nascimento, José Alves do
Direção de arte: Andrade, Chico
Figurinos: Pereira, Luiz Fernando
Guarda-roupa: Martins, Cida
Cenografia: Andrade, Chico de
Desenho de produção: Gomes, Hector
Consultoria de cor: Velecico, Nadia K.
Contra-regra/acessórios de cenografia: Hempfing, Ilka
Montagem de cenário: Duran, Nerino Aparecido; Vieira, Elziton da Silva; Vieira, Paulinho; Silva, José Celino Pereira da; Medeiros, Antonio Marcos; Emílio, Walter; Nery Filho, Idelino; Rodrigues, José; Silva, Osvaldo Paulo da; Tosatto, Clóvis
Cabelereiro: Castilho, Maria Gonzales
Maquiagem: Peloso, Plínio; L’Arc en Ciel
Assistência de maquiagem: Bueno, Célia Ribeiro
Montagem: Jair Garcia Duarte e Galileu Garcia Jr.
Assistente de montagem: Sfai, Sung
Montagem de som: Leite, Roberto; Lima, Luis de
Som guia: Lia Camargo
Edição de som: Jair Garcia Duarte
Mixagem: Leite, Roberto; Lima, Luís de
Ruídos de sala: César, Antonio; Goulart, Walter
Arranjos musicais: Hermelino Neder
Trilha sonora: Hermelino Neder
Motorista: Gomes, Colonide Pereira; Demiz, Douglas Alves; Freitas, Elias Alves de; Pereira, José Luiz Gomes; Feitosa, Juvenal Rocha; Batista, Sebastião Antonio; Péra, Wagner Z.
Companhia Produtora: Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.
Companhias Produtoras Associadas: Star Filmes; Raíz Produções Cinematográficas | Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A. | Secretaria de Estado da Cultura; Chroma; Loc-all de Cinema e Televisão Ltda.
Companhia Distribuidora: Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Brasil | cor | 110 min. | 35mm | 3.325m | 24q | 1:1’66 | 1988

Canção
Título: Sky of my blues;
Autor da canção: Hermelino Neder; Arrigo Barnabé e Carlos Rennó;
Instrumentista: Silveira, Mané – sax;

Título: Sophisticated lady;
Autor da canção: Mills, Irving; Parish, Mitchel e Ellington, Duke;
Intérprete: Pinheiro, Neuza;
Instrumentista: Silveira, Mané – solo de sax;

Título: Cor de cinza;
Autor da canção: Rosa, Noel;
Intérprete: Hermelino Neder;
Instrumentista: Ziskind, Hélio – arranjo e sax;

Título: Honda
Autor da canção: Sagashite, Anata e Vanzolinio, Paulo
Intérprete: Okamura, Laura

Instrumentista: Breim, Ricardo – piano; Galvez, Vander e Zidói, Maurício – bateria programada; Mourão, Pedro – pandeiro; Ueno, Akira – bandolim e cavaquinho; Poulsen, Jorge – teclados

Prêmios

Melhor filme, Melhor filme da crítica, Melhor diretor, Melhor fotografia, Melhor música digital, Melhor cenografia e Melhor montagem no 16º Festival de Gramado, 1988.
Melhor filme, Melhor diretor, Melhor ator para Antônio Fagundes, Melhor ator coadjuvante para José Lewgoy, Melhor fotografia para Cláudio Portioli, Melhor cenografia para Andrade, Chico de e Melhor filme do júri da crítica no 2º Festival de Natal, 1988, RN.
Melhor direção, Melhor filme pelo Júri oficial e por indicação da classe cinematográfica, Melhor trilha sonora para Neder, Hermelino, Melhor figurino para Pereira, Luiz Fernando, Melhor cenografia para Andrade, Fernando, Melhor direção de arte para Andrade, Francisco, Melhor fotografia para Cláudio Portioli e José Roberto Eliezer, Melhor montagem para Galileu Garcia Jr., e Melhor edição de som para Jair Garcia Duarte, no 5º Rio-Cine Festival, 1989, RJ.
Prêmio no 6º Festival de Bogotá, 1989, Bogotá – CO.
Prêmio do Banco do Brasil para Melhor direção.

Bibliografia

Fontes de Referência

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
Programadora Brasil/5
CB/Recorte Documentação, P.1988-7/72, Jornal do Brasil de 28.06.1988
CB/Recorte Documentação, P.1988-7/78, O Estado de S. Paulo de 01.09.1988
CB/Documentação diversa, D648/1 – Press book do filme
CB/Documentação diversa, D648/1 – Correspondência entre BMG e Star Filmes relativa à concessão dos direitos de música do filme
CB/FIBRA
ALSN/DFB-LM
Concine/88*

Teses:

SCHNEIDER ALENCAR E TÁVORA, Adérito. A dama do Cine Shangai: um filme ‘noir’ no limbo da história do cinema brasileiro. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Goiás, Faculdade de História (FH), Programa de Pós-Graduação em História, Goiânia, 2019.

Internet:

CINEMATECA BRASILEIRA. Disponível no endereço: http://www.cinemateca.org.br/.
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. A Dama do Cine Shangai. Disponível no endereço: https://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/a-dama-do-cine-shanghai/

Observações:
As imagens do filme The Lady From Shanghai, foram cedidas pela Columbia Pictures.
A canção Sophisticated lady no filme é uma versão de Augusto de Campos, de 1993&1961 Mills Music, Inc. – USA/Ivan Mogull Music Assoc., Editora Musical BMG Arabella Ltda.. A canção Cor de cinza pertence à Mangione Filho e Cia. Ltda., foi gravada e mixada por Paulé e em sua versão musical possui arranjos e sax de Hélio Ziskind. “Honda” pertence à Musibrás Editora Musical Ltda. e é uma versão de Laura Okamura com arranjos de Paulo Tatit e Hélio Ziskind.
Programadora Brasil/5 informa que a obra participa do Programa 114, intitulado A dama do cine Shangai.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “A Dama do Cine Shanghai (1988)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.