fbpx

A doce mulher amada (1969)

Um ídolo de telenovelas, solitário apesar da fama e dinheiro, procura uma mulher para companhia. Interessa-se por Míriam, personagem misteriosa que cria-lhe inúmeros contratempos. Inclina-se pelo casamento com Carolina, garota de 19 anos, sua vizinha, que passa o tempo a dedilhar valsinhas ao piano. Entretanto, tôdas as aventuras de Míriam não serão nada perto das descobertas que ele fará na intimidade com Carolina, a doce mulher amada.

Elenco

Colasanti, Arduíno (Egberto)
Alvarez, Irma (Miriam)
Stefânia, Irene (Carolina)
Otelo, Grande (Leo)
Pena, Jurema (Tia Clotilde)
Brasini, Mário (Médico)
Cavalcanti, Emanuel (Luís)
Petraglia, Mário (Lúcio)
Fábio Sabag …. Contrabandista
Ferreira, Roberto (Agente de publicidade)
Mello, Victor di (Reinaldo)
Walhes, Anita (Tia de Carolina)
Pinto, Dolores
Barbosa, Phydias (Contrabandista)
Costa, Nione (Secretária da TV)
Cavalcanti, Cesar (Motorista de táxi)
Lojay, Jofre (André)
Carlos, João (Policial)
Pardo, Sérgio (Contrabandista)
Nilson
Alzira Rios (Atriz de TV)

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de A doce mulher amada (1969) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Ruy Santos
Argumento: Brasini, Mário
Roteiro: Ruy Santos
Diálogos: Brasini, Mário
Assistência de direção: Miranda, Geraldo; Cavalcanti, Cesar
Continuidade: Cohen, Alzira
Produção: Ruy Santos
Direção de produção: Gentil, Pedro Aurélio; Olegário, Fernando
Produtor associado: Palacios, Alfredo; Galante, A. P.
Assistência de produção: Meliande, Antônio
Direção de fotografia: Ruy Santos
Câmera: Véras, Jorge; Bonfim, Antonio
Assistência de câmera: Meliande, Antônio
Fotografia de cena: Loscalzo, Roque
Chefe eletricista: Moraes, Armindo
Direção de som: Viana, Aloísio
Efeitos especiais de som: Cezar, Antonio; José, Geraldo
Direção de dublagem: Aguiar, Sindoval
Contra-regra do som: Cezar, Antonio; José, Geraldo
Montagem: Valverde, Rafael Justo
Letreiros: Duarte, Carlos
Contra-regra/acessórios de cenografia: Cezar, Antonio; José, Geraldo
Maquiagem: Max Factor
Trilha musical: Gnatalli, Radamés
Companhia(s) produtora(s): Royal Filmes S.A.; Eurofilmes Importadora e Distribuidora Ltda.
Companhia(s) distribuidora(s): Art Films S.A.

Financimento/patrocínio: INC – Instituto Nacional de Cinema; C.A.I.C.

Dados adicionais de música
Intérprete(s): Martins, Nelly

Regente Maestro: Gnatalli, Radamés

Canção
Autor da canção: Castro, Sônia Viveiros de
Intérprete: da canção-tema: Martins, Nelly

Locação: Praia de Copacabana, Rio de Janeiro – GB; Corcovado, Rio de Janeiro – GB; Museu de Arte Moderna, Niterói – GB; Cinelândia, Rio de Janeiro – GB; Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro – GB; Aeroporto Santos Dumont, Rio de Janeiro – GB; Estácio de Sá, Rio de Janeiro – GB

Bibliografia

Fontes utilizadas:
Material examinado
Certificado de Censura Federal

Observações:
O filme foi parcialmente financiado com recursos originários de Imposto sobre Remessas liberado pelo Instituto Nacional de Cinema e C.A.I.C.
Lúcia Modas vestiu Irma Alvarez enquanto a Dijon vestiu Arduíno Colasanti e a Noemi Flores produziu as roupas dos sonhos.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.