fbpx

A Filha dos Trapalhões (1984)

Sinopse

Didi, Dedé, Mussum e Zacarias moram num barraco flutuante numa lagoa na mais perfeita miséria, mas com muita criatividade e seu jeito irreverente de viver, são felizes. Paralelo aos Trapalhões vive Júlia, uma linda trapezista que abandona o circo onde trabalha para dar a luz a uma menina – Bebel. Desesperada, sem conseguir um emprego para sustentar sua filha, Júlia entrega a criança a uma quadrilha de mafiosos que vende a criança para o exterior. Efetuada a transação e após uma inútil tentativa de reaver Bebel, Júlia retorna ao circo, mas nunca perde as esperanças de recuperar sua filha. Para isso conta com a ajuda do delegado Walter que, apaixonado por ela, tudo fará para localizar a quadrilha. Não obstante a miséria que predomina na casa dos Trapalhões, Didi aparece com um bebê que foi abandonado por uma quadrilha quando fugia da polícia. Assim, Aparecida Pinto passa a ser a filha dos Trapalhões. Passam-se 5 anos. Aparecida cresce linda, saudável e feliz. Ela mudou o cotidiano da casa. Didi, Dedé, Mussum e Zacarias são agora Pai 1, Pai 2, Pai 3 e Pai 4. Embora enfrentando tarefas nunca antes realizadas, nada é difícil para o quarteto apaixonado: trocar fraldas, dar banho e fazer mamadeira é, antes de tudo, um prazer. Mas, para Didi, isto não é tudo. Gostaria de oferecer a Aparecida tudo o que uma criança possa sonhar. Para tanto, após muitas tentativas confusas, os Trapalhões resolvem trabalhar. As tentativas de conseguir um emprego são desastrosas, eles não fazem nada direito. Por fim um trabalho de acordo com os Trapalhões: um circo. Lá são como peixe dentro d’água, suas trapalhadas cotidianas fazem sucesso. Neste circo conhecem Júlia (mãe de Bebel/Aparecida) e sua tristeza por não encontrar sua filha comove os Trapalhões, que tentam, com seu jeito atrapalhado e confuso, ajudá-la. Os Trapalhões descobrem o esconderijo dos mafiosos, brigam, lutam e ajudam o delegado Walter a prendê-los, mas tudo é inútil, os mafiosos não sabem o paradeiro da criança. Júlia sofre mais uma vez a perda. Mas apesar de tanta tristeza, os Trapalhões irão surpreender com um desfecho emocionante e feliz. Graças a uma descoberta de Didi, haverá um feliz reencontro.

Elenco

Renato Aragão …. Didi
Mussum
Zacarias
Dedé Santana …. Dedé
Myrian Rios …. Júlia
Vera Gimenez
Motta, Eliezer
Jorge Cherques
Rodrigues, Arnaud
Dino Santana
Levy, Philipe
Faustino, Abel
Brasil, Fernanda (Bebel e Aparecida Pinto)
Zaremba, Ana Maria
José, Fernando
Rodrigues, Paulo
Carlos Kurt
Guilherme, Roberto
Cabral, Ricardo
Pereira, Sergio Luiz
Vingador, Ailson
Cesar, Sergio
Gladstone
Wolt, Robert Jean
Guimarães, José Carlos
Fontenelle, Regina
Rizzo, Silva
Mattos, Suzana Márcia
Ibrahim, Jarlana
Peçanha, Dea
Flaviano, Percicles
Bigode, Roberto
Pineschi, Olivia
Lee, Roberto
Camargo, João
Duarte, Cassio
Freitas, Tonny
Martins, Franklin
Bastos, Lea
Novas, Paulo Villa
Lopes, Sandra Lúcia
Renaud, Edgard
Nabor, Príncipe
Macedo, Vitor

Participação especial:
Ronnie Von …. Delegado Walter

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de A Filha dos Trapalhões (1984) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Dedé Santana
Argumento: Renato Aragão e Dedé Santana
Roteiro: Renato Aragão, Dedé Santana, Rodrigues, Emanuel; Rodrigues, Arnaud; José Joffily e Gilvan Pereira
Direção de produção: Ferreira, Caique Martins
Produção executiva: Aragão, F. Paulo; Aragão Neto, Paulo
Continuidade: Andreia, Tereza
Direção de fotografia: Antônio Gonçalves
Câmera: Antônio Gonçalves e Nonato Estrela
Assistência de câmera: Morais, Cezar; Dutra; Vicente
Fotografia de cena: Rangel, Zenaide
Som direto: Tavares, José
Efeitos sonoros: José, Geraldo
Montagem: Fontoura, Denise
Montagem de som: Cardilho, Hercília
Direção de arte: Renato Aragão
Figurinos: Rangel, Carlos
Cenografia: Costa, Ronaldo
Música: Rodrigues, Arnaud e Renato Aragão
Produção musical: Aragão, Caxa
Companhias produtoras: Renato Aragão Produções Artísticas | Demuza Produções Cinematográficas
Companhia produtora associada: Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.
Companhia distribuidora: Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Bibliografia

Fontes de Referência:

Fontes utilizadas:

CB/Ficha Filmográfica
CB/FIBRA
Concine/Ficha Técnica
Concine/84
Embrafilme/Lista 84
Press-release
O Estado de S. Paulo, 16.12.1984

Internet:

http://www.cinemateca.org.br/ – Cinemateca Brasileira – Brasil

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

2 comentários sobre “A Filha dos Trapalhões (1984)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.