fbpx

A Morte comanda o Cangaço (1960)

Sinopse

1929. O Nordeste Brasileiro, vive um clima de agitação e violência. O cangaceiro Silvério é o apadrinhado do Coronel Nesinho, o todo poderoso da região. A fama sinistra de Silvério e seu bando domina e assombra os humildes habitantes de Serra Azul, nos sertões cearenses. Raimundo Vieira, pacato fazendeiro, vive com sua mãe num grande rancho, onde vive da criação de gado. Negando-se a dar dinheiro aos bandidos, vê suas terras invadidas por Silvério e seu bando. Sua mãe é assassinada covardemente, tendo a cabeça decepada e fincada no alto de um toco. Raimundo, ferido, é dado como morto. Após o massacre e ao ver a tétrica cena, jura vingança. Passa a organizar então um grupo para lutar contra os bandidos. Travam o primeiro combate e liquidam o Coronel Nesinho. Partem, em seguida, em busca de Silvério e seu bando, atravessando a caatinga com a ajuda de um rastejador. Encontram o esconderijo do inimigo e tem início um violento ataque surpresa, que se prolonga por toda a noite, deixando no local um rastro de morte e destruição.

O filme foi sucesso de crítica e de bilheteria e é considerada um dos melhores filmes do gênero. Chegou a ser indicado oficialmente pelo Brasil ao Oscar para concorrer na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

Elenco

Alberto Ruschel …. Raimundo Vieira
Aurora Duarte …. Florinda
Milton Ribeiro …. Capitão Silvero
Maria Augusta Costa Leite …. Dona Cidinha
Gilberto Marques …. Coronel Nesinho
José Mercaldi …. Abdala
Leo de Avelar
Jean Lafront …. Beato
Ferreira, Edgard (Coruja)
Warnowsky, Sergio (Temporal)
Hollanda, Alvaro (Rastejador)
Sampaio, Camilo (Sargento)
Figueira, Wolney (Soldado)
Jeremias, Raymundo (Coitero)
Vaqueiros e povo dos sertões do Ceará
Avelar, Léo (Gibão)

Apresentando:
Apolo Monteiro …. Mortalha
Edson França …. Baraúna

Participação especial:
Ruth de Souza …. Rezadeira
Lyris Castellani …. Maria dos Anjos

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de A Morte comanda o Cangaço (1960) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Carlos Coimbra
Argumento: Walter Guimares Motta
Roteiro: Carlos Coimbra, Francisco Pereira da Silva
Diálogos: Silva, Francisco Pereira da
Assistência de direção: Amaral, Milton
Continuidade: França, Marlene
Coreografia: Conjunto Nordestino; Venancio & Corumba
Produção: Marcelo de Miranda Torres e Walter Guimares Motta
Direção de produção: Sampaio, Camilo
Assistência de produção: Ricci, Sérgio
Direção de fotografia: Rabatoni, Tony
Câmera: Pfister, George
Assistência de câmera: Guglielmi, Carlos; Oliveira, Oswaldo de
Técnico de cor: Kemeny, Oswaldo Cruz
Chefe eletricista: Warnowsky, Sergio
Eletricista: Ferreira, Edgard
Maquinista: Fernandes, Hermes
Montagem: Carlos Coimbra
Cenografia: Monteiro, Apollo
Contra-regra/acessórios de cenografia: Marques, Fernando; Silva, Ary
Maquiagem: Marques, Gilberto
Direção musical: Simonetti, Enrico
Companhia(s) produtora(s): Aurora Duarte Produções Cinematográficas Ltda.
Companhia(s) distribuidora(s): Cinedistri Ltda.

Dados adicionais de música
Partitura musical: Simonetti, Enrico

Regente Maestro: Simonetti, Enrico

Canção
Título: Abôio apaixonado;
Intérprete: Gonzaga, Luiz;

Título: Bendito de São José;
Intérprete: Norte, Zé do;

Título: Casamento incerto;
Intérprete: Vieira, Luiz;

Título: Chumbo no vento assuvia;
Intérprete: Venancio, Xaxado de e Bezerra, Reginaldo;

Título: Veja se vê;
Intérprete: Venancio, Côco de e Curumba;

Título: Faz pena deixar o mundo;
Intérprete: Curumba, Côco de e Valença;

Título: Sabino e Lampeão;
Intérprete: Xaxado de Volta Seca;

Título: Cantiga de lavadeira;
Intérprete: Vieira, Luiz;

Título: Serenta da tristeza;
Intérprete: Vieira, Luiz;

Título: Acorda Maria Bonita;
Intérprete: Toada de Volta Seca;

Título: Côco da madrugada;
Intérprete: Vieira, Côco de Luiz;

Título: Bendito da redenção;
Intérprete: Vieira, Luiz

Título: Tenho pena de morrer
Autor da canção: Curumba e Valença, Antonio

Bibliografia

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
Certificado de Censura Federal
CENS/I
Press-release
ALSN/DFB-LM

Fontes consultadas:
JCB/BTC
ACPJ/I
LRB/CP
FCB/FF
FSN/MCB

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. A Morte comanda o Cangaço. http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/a-morte-comanda-o-cangaco/

Observações:
CB/Transcrição de letreiros informa, nos letreiros iniciais, que Qualquer semelhança com pêssoas (sic) e fatos dêste (sic) filme será mera coincidência. A mesma fonte não apresenta as canções Bendito da redenção e Tenho pena de morrer.
ACPJ/I acrescenta os nomes de no som; como foquista e como contra-regra.
ALSN/DFB-LM aponta como câmera; e informa a duração de 100 minutos.
Press-release informa que Venancio & Curumba realizaram a coreografia com o Conjunto Regional Nordestino.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

3 comentários sobre “A Morte comanda o Cangaço (1960)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.