fbpx

A Rainha Nzinga chegou (2019)

Antigos reinos banto com suas coroas, séquitos e guardas, seus cosmos singulares, (re)existem hoje nas terras alhures das minas gerais. Três gerações de rainhas e uma travessia de volta, em visita aos domínios da mítica Nzinga, às terras dos reis do Congo, aos cantos de Angola, pelos descendentes da eterna Rainha da Guarda de Moçambique Treze de Maio, Isabel Casimira, presença central deste filme.

A Rainha Nzinga chegou é um filme dirigido por Junia Torres e Isabel Casimira Gasparino.

Elenco

Isabel Casimira
Belinha Casimira
Antônio Cassimiro
Ricardo Casimiro
Margarida Cassimiro
Guarda de Moçambique
Congo Treze de Maio de Nossa Senhora do Rosário

Participações:
Banda de Congado Nossa Senhora Da Guia e Nossa Senhora Do Rosário, da cidade de Conselheiro Lafaiete\MG, demais Guardas visitantes

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de A Rainha Nzinga chegou (2019) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Junia Torres e Isabel Casimira Gasparino
Pesquisa e produção: Júnia Torres
Pesquisa e produção em Angola: Rafael Barros
Produção: Rafael Barros e Cida Reis
Direção de Produção: Junia Torres
Colaboração na produção: Cida Reis
Direção de Fotografia: Bernard Machado e Júnia Torres
Fotos still (Angola): Rafael Barros
Arte gráfica e fotos still (Brasil): Priscila Musa
Montagem: Carolina Canguçu
Montagem adicional: Luísa Lanna
Finalização de imagem: Fábio Menezes
Som direto: Bruno Vasconcelos e Leonardo Rosse
Desenho de som: Bruno Vasconcelos
Mixagem: Bruno Vasconcelos
DCP: Pandu filmes
Assessoria jurídica em gestão de projetos: Diana Gebrim
Site/blog: Glaura Cardoso Vale
Motoristas: Gildo Lenine Gonçalves, Frederico, Mariano Abílio, Sr. Castro, Alberto, Bernardo
Realização: Filmes de Quintal & Guarda de Moçambique e Congo Treze de Maio
Distribuição: Embauba filmes

Apoio | Instituto Angolano de Cinema, Audiovisual e Multimedia IACAM, Batuque Produtora (Luanda)
Pedras Sagradas de Pungo Adongo | José João Bala
Museu dos Reis do Congo em M’Banza-Kongo | Luntadila Lunguana (Cláudio), Kediamosiko Toko, Sr. Domingos Feijó e Martins Neto
Sobas do Lumbu (conselho de anciãos de M’Banza-Kongo) | Diawalku Zila Sesa (Afonso Mendes), Kieto (André Moniz Pedro), Nzo Jakala (Afonso Moniz)
Igreja católica em M’Banza-Kongo | Padre Mutumona, Coral da Igreja
Peveanlongo – Igreja do Espírito| Mãe Juliana, Aninha e demais integrantes
Aldeia de Kuzi | Soares (Soba, chefe tradicional), Amélia (cantora)
Igreja de Nossa Sra das Graças do Bairro Concórdia | Frei Chico Van der Poel (O.F.M.)

Imagens de arquivo | Congados, direção Pe. Edeimar Massote, 1975

Brasil/Angola | Documentário | cor | 74 min. | 1:1:85 | 2019

Classificação Indicativa: Livre

Bibliografia

Internet:

EMBAÚBA FILMES. A Rainha Nzinga Chegou. Disponível no endereço: https://embaubafilmes.com.br/distribuicao/a-rainha-nzinga-chegou/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. A Rainha Nzinga Chegou. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/a-rainha-nzinga-chegou/
RAINHAS – O FILME. Disponível no endereço: https://rainhasofilme.wordpress.com/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.