fbpx

Adelia Sampaio

Biografia

Adelia Sampaio é uma cineasta, roteirista e produtora de cinema brasileira nascida em Belo Horizonte (MG) em 1944. Aos 12 anos de idade, mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro. No cinema, também trabalhou como Diretora de Produção e Produção Executiva.

Adélia Sampaio é uma das poucas mulheres que chegaram à direção de longas de ficção nos anos 1980, ou seja, antes do Cinema da Retomada – período a partir dos anos 90, em que houve um boom de mulheres cineastas.

A História do cinema brasileiro é rica de conteúdo, de luta e de muita criatividade. Nesse contexto, a figura da mulher tem o protagonismo incontestável, não somente diante das câmeras, mas também por trás dela.

A paulista Cléo de Verberena deu o primeiro passo, em 1930, ao ser a primeira mulher brasileira a dirigir um filme de longa metragem: O Mistério do Dominó Negro. Mas sem dúvida alguma, quem fez história foi Gilda de Abreu ao dirigir, em 1946, o clássico O Ébrio. Filme que até o meado dos anos 70 era a maior bilheteria do cinema brasileiro.

Depois, uma legião de mulheres cineastas surgiu para história do cinema brasileiro: Carmen Santos, Zélia Costa, Helena Solberg, Ana Carolina, Lenita Perroy, Suzana Amaral, Tereza Trautman, Adélia Sampaio, entre outras.

O começo da carreira cinematográfica foi na Difilm, em 1967, distribuidora de nomes ligados ao Cinema Novo, como Luiz Carlos Barreto e Joaquim Pedro de Andrade. Adélia Sampaio era a telefonista da Difilm, e, paralelamente, organizava sessões em 16mm para cineclubistas. Na época, inclusive, foi vítima da ditadura militar – seu marido, jornalista, foi preso político, e ela mesmo chegou a ser presa e a apanhar dos agressores.

Adélia Sampaio foi levada para a Difilm pela irmã, Eliana Cobbett, à época casada com cineasta William Cobbett. Quando saíram da Difilm, juntas fizeram parceria na produção e produziram filmes do cineasta – O monstro de santa teresa (1975); e O grande palhaço (1980). Nessas produções, Adélia atuou em várias frentes, foi produtora, produtora executiva, continuísta, maquiadora.

Ainda nos anos 1970, Adélia Sampaio trabalha na produção de três filmes importantes. O primeiro foi O segredo da rosa, dirigido por Vanja Orico, em 1974 – neste filme fez a produção executiva e foi uma dos roteiristas. Já em 1977, produziu o último filme de Luiz de Barros, o lendário Lulu de Barros: Ele, ela, quem? (1977). E por fim, produziu com Geraldo Santos Pereira, o filme O seminarista, em 1977, dirigido por ele.

Na década de 1980, Adélia Sampaio dá salto em sua carreira. Depois de produzir o importante Parceiros da aventura (1980), de José Medeiros, e Um menino… uma mulher (1980), de Roberto Mauro, e dirigir vários curtas, ela parte para a direção de longas.

Os curtas dirigidos por Adélia Sampaio nos anos 1970 e 1980 são Denúncia vazia (1979), Agora um deus dança em mim, Adulto não brinca e Na poeira das ruas.

Em 1984, Adélia Sampaio dirige Amor Maldito, filme com temática homossexual feminina baseado em história real. Aliás, Adélia Sampaio é nome pioneiro na direção de longas dirigidos por mulheres focados no tema. O longa tem como protagonistas as atrizes Monique Lafond e Wilma Dias – esta última, precocemente falecida em 1991.

Em 1987, Adélia Sampaio dirigiu o documentário Fugindo do passado: um drink para tetéia e história banal, sobre memórias da ditadura. Em 2004, co-dirige, com Paulo Markum, para a televisão, AI-5 – o dia que não existiu.

===========

Os historiógrafos, pesquisadores e estudiosos do cinema brasileiro teimam em omitir, dos compêndios da história cinema brasileiro, o nome dessa que foi primeira cineasta negra do nosso cinema.

Certa figura de nome Dandara, que dirigiu ninguém sabe o quê, exibido em lugar algum, usa as páginas sociais se proclamando a primeira cineasta negra brasileira. Conversa fiada!

Essa missão foi confiada a Adélia Sampaio, que em 1984 dirigiu o longa Amor Maldito. Nos anos 80 e 90, Adélia foi uma das mais atuantes Diretoras de Produção e Produtoras executivas dos principais filmes brasileiros, dessas décadas.

Adélia Sampaio, inclusive, teve também o privilégio de ser a produtora de Ele, Ela, Quem?, último filme dirigido pelo lendário cineasta Luis de Barros, que não assumia a negritude, mas era mulato. Mas essa é uma outra história.

Aos historiadores, pesquisadores e estudiosos do cinema brasileiro deixo aqui uma dica: quando forem escrever sobre a mulher, diretora de cinema brasileiro, por favor, façam uma pesquisa séria; certamente encontrarão o nome da Adélia Sampaio. E por favor, não omitam que ela é negra!

Nas suas pesquisas e levantamentos não precisam se aprofundar muito para, também, tomarem conhecimento da existência da Sabrina Fidalgo (que acabei de saber ser filha do lendário Ubirajara fidalgo e da bela Alzira Fidalgo) que, em 2008, dirigiu o belo e delicioso Black Berlim.

Fica aqui a minha contribuição para que se corrija uma danosa omissão e uma folclórica inverdade. Inverdade que tem causado uma grande injustiça e um grande erro para a história da cinematografia brasileira.

A primeira cineasta negra do cinema brasileiro é a Adélia Sampaio. Isso é histórico!

E olha que eu e a Adélia Sampaio, por incompatibilidade de gênios, nunca sentamos à mesma mesa; sempre nos recusamos a tomar cafezinho no mesmo balcão do bar no Beco, na Cinelândia. Também, não trocávamos uma única palavra, sequer, um com o outro quando nos encontrávamos em algum evento de cinema.

Mas nunca deixei de reconhecer o valor profissional e humano dessa mulher pioneira.

(Texto: Flávio Leandro – Cineasta, Professor de Produção Audiovisual, Professor de Produção Teatral)

Filmografia

:: Filmografia como Diretora ::

2004 :: AI-5 – o dia que não existiu (co-direção com Paulo Markum) (TV)
1987 :: Fugindo do passado: um drink para tetéia e história banal
1984 :: Amor Maldito
1979 :: Denúncia Vazia
19 :: Agora um Deus Dança em Mim
19 :: Adulto não Brinca
19 :: Na Poeira das Ruas

Bibliografia

Internet:

ASSISTE BRASIL. O racismo apaga, a gente reescreve: conheça a mulher negra que fez história no cinema nacional. Disponível no endereço: http://www.assistebrasil.com.br/2016/03/o-racismo-apaga-a-gente-reescreve-conheca-a-mulher-negra-que-fez-historia-no-cinema-nacional/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Adelia Sampaio. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/adelia-sampaio/
MULHERES DO CINEMA BRASILEIRO. Adelia Sampaio. Disponível no endereço: http://www.mulheresdocinemabrasileiro.com/site/mulheres/visualiza/419/Adelia-Sampaio/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

3 comentários sobre “Adelia Sampaio

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.