fbpx

Adolfo Gonzales Paz

Biografia

Adolfo Gonzales Paz é um Operador de Câmera e Diretor de Fotografia.

Iniciou sua carreira no Brasil como assistente de câmera em O Comprador de Fazendas (1951), de Alberto Pieralizi, produção da Maristela, depois Simão, o Caolho (1952), de A.Cavalcanti. Na Vera Cruz, faz como ponta como ator e também câmera no filme Appassionata (1952), de Fernando de Barros. Torna-se, a partir de então, requisitado câmera do cinema paulista. Seu primeiro filme como Diretor de Fotografia é Chico Viola Não Morreu (1955), de Román Vañoly Barreto e na sequência O Grande Desconhecido (1956), de Mário Civelli. Fotografa ainda alguns documentários, mas dedica sua carreira mais à câmera, função que exerce com competência e qualidade.

Seu último trabalho registrado no Brasil nessa função é Mulheres de Fogo (1958), de Tito Davinson, coprodução Brasil/ México e como Diretor de Fotografia no documentário Uma Pedra no Caminho (1965), de Romain Lesage.

Filmografia

1955- Chico Viola Não Morreu (CM)
1956-O Grande Desconhecido
1956 :: Primeira Chance (CM)
1963-O Trabalho no Campo (CM)
1964-A História do Fogo (CM)
1964 :: A.B.C.D. (CM) (cofot. Alberto Attili)
1964 :: Carnaval de 1964 (CM)
1965-Uma Pedra no Caminho (CM)
1975-Bastidores de Cinema (CM) (dir.) (codir. Ferenc Fekete)
1979-Who is Who in Brazilian Movies (Fazendo Fita).

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.