fbpx

Lima Barreto (1881-1922)

Biografia

Afonso Henriques de Lima Barreto, em arte mais conhecido como Lima Barreto, foi um escritor brasileiro nascido no Rio de Janeiro, em 13 de maio de 1881.

Nascido sete anos antes da abolição da escravatura, Lima Barreto era filho de um tipógrafo (João Henriques) e de uma professora (Amália Augusta), ambos mulatos. A mãe, escrava liberta, morreu precocemente, quando o filho tinha seis anos. A abolição da escravatura ocorreu em 1888, no dia de seu aniversário de sete anos, mas as marcas desse período, o preconceito racial e a difícil inserção de negros e mulatos na sociedade brasileira nunca deixaram de ocupar o centro de sua obra literária. Tinha como padrinho o Visconde de Ouro Preto, Senador do Império. Graças a ele, conseguiu ingressar na Faculdade de Engenharia, um verdadeiro feito, tendo em vista que a situação não era corriqueira para pessoas de seu nível social. Abandonou o curso, pois diante da doença do pai (a mãe falecera quando o escritor tinha apenas seis anos), viu-se obrigado a trabalhar para sustentar a família, madrasta e irmãos.

Em 1900, o escritor deu início aos registros do Diário íntimo, com impressões sobre a cidade e a vida urbana do Rio de Janeiro. Lima Barreto começa sua colaboração mais regular na imprensa em 1905, quando escreve reportagens, publicadas no Correio da Manhã, sobre a demolição do Morro do Castelo, no centro do Rio, consideradas um dos marcos inaugurais do jornalismo literário brasileiro. Na mesma época, começa a escrever a primeira versão de Clara dos Anjos, livro que seria publicado apenas postumamente, e elabora os prefácios de dois romances: Recordações do escrivão Isaías Caminha e Vida e morte de M. J. Gonzaga de Sá, livros que terminaria de redigir quase que simultaneamente, ainda que este último tenha sido publicado apenas em 1919.

Recordações do escrivão Isaías Caminha sai em folhetim na revista Floreal, em 1907, e em livro em 1909. No romance, o Jornal Correio da Manhã e seu diretor de redação são retratados de maneira impiedosa, e Lima Barreto tem então seu nome proscrito na grande imprensa carioca. O escritor passa a trabalhar e publicar crônicas, contos e peças satíricas em veículos como o Diabo, Revista da Época, Fon-Fon, Careta, Brás Cubas, O Malho e Correio da Noite. Colaborou também com o ABC, periódico de orientação marxista e revolucionária.

Em 1911, escreve e publica Triste fim de Policarpo Quaresma em folhetim do Jornal do Comércio. O romance, editado como livro em 1915, narra a trajetória daquele que ficaria conhecido como o Dom Quixote brasileiro, personificação exata do ufanismo nacional. Publicou ainda Numa e a ninfa (1915), Vida e morte de M. J. Gonzaga de Sá (1919), Histórias e sonhos (1920). Postumamente saem Os bruzundangas e as crônicas de Bagatelas e Feiras e mafuás.

Seus problemas com o alcoolismo, associados a distúrbios psíquicos, levaram-no por duas vezes à internação na Ala Pinel do Hospício Nacional. Vítima de um colapso cardíaco, consequência de uma saúde debilitada, morreu no Rio de Janeiro, no dia 01 de novembro de 1922, aos 41 anos. Em seu funeral, ignorado pelos intelectuais da época, foi homenageado com a presença dos pobres anônimos e suburbanos sobre quem escreveu.

Durante toda a sua vida, Lima Barreto lutou contra as injustiças sociais e os preconceitos raciais. Sua influência na imprensa foi crucial nessa jornada. Sua obra é composta por romances, contos e crônicas, dentre os quais a literatura brasileira possui uma dívida histórica com Lima Barreto, que merece ter sua obra revisitada e divulgada para que mais leitores apreciem seus textos.

Filmografia

Filmografia que se baseia em suas obras

1998 :: Policarpo Quaresma – Herói do Brasil, de Paulo Thiago
1988 :: O Homem que Sabia Javanês, de Maurício Buffa

Publicações

BARRETO, Lima. As aventuras do Doutor Bogóloff. : , 1912.
______. Bagatelas. : , 1923.
______. Cemitério dos Vivos. : , 1956. (póstumo e inacabado)
______. Clara dos Anjos. São Paulo: Penguin, 2012.
______. Clara dos Anjos. São Paulo: Martin Claret, 2011.
______. Clara dos Anjos. : Quadrinhos na Cia, 2011.
______. Clara dos Anjos. São Paulo: Martin Claret, 2003.
______. Clara dos Anjos. São Paulo: Scipione, 1994.
______. Clara dos Anjos. : , 1948. (livro póstumo)
______. Coisas do Reino de Jambom. : , 1956.
______. Contos completos de Lima Barreto. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.
______. Correspondência, Ativa e passiva. : , 1957.
______. Diário do Hospício e o Cemitério dos Vivos. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.
______. Diário Íntimo. : , 1953.
______. Feiras e Mafuás. : , 1953.
______. Histórias e Sonhos. : , 1920.
______. Impressões de Leitura. : , 1956.
______. Impressões de Leitura. São Paulo: Penguin, 2017.
______. Marginália. : , 1953.
______. Numa e a ninfa. : , 1915.
______. Numa e a ninfa. São Paulo: Penguin, 2017.
______. O Homem que Sabia Javanês e outros contos. : , 1911.
______. O Homem que Sabia Javanês. São Paulo: Clube do Livro, 1965.
______. O Subterrâneo do Morro do Castelo. : , 1906.
______. Os Bruzundangas. : , .
______. Os Bruzundangas. Rio de Janeiro: Jacintho Ribeiro dos Santos Editor, 1922.
______. Recordações do escrivão Isaías Caminha. São Paulo: Penguin, 2010.
______. Recordações do Escrivão Isaias Caminha. Rio de Janeiro: Ediouro; São Paulo: Publifolha, 1997.
______. Recordações do Escrivão Isaias Caminha. : Brasiliense, 1961.
______. Recordações do Escrivão Isaías Caminha. Lisboa: Livraria Classica Editora, 1909.
______. Sátiras e outras sobversões. São Paulo: Penguin, 2016.
______. Triste fim de Policarpo Quaresma. São Paulo: Penguin, 2011.
______. Triste fim de Policarpo Quaresma. : Editora Moderna, .
______. Triste fim de Policarpo Quaresma. São Paulo: Martin Claret, 1999.
______. Triste fim de Policarpo Quaresma. Revista dos Tribunais: Rio de Janeiro, 1915.
______. Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá. : , 1919.
______. Vida Urbana. : , 1956.

Coletâneas Póstumas:

BARRETO, Lima; RESENDE, Beatriz (org.). Lima Barreto: Cronista do Rio. : Autêntica, 2017.
______; ROSSO, Mauro (org.). Lima Barreto e a Política: os Contos Argelinos e outros textos Recuperados. : Edições Loyola, 2010.

Bibliografia

Livros:

CUTI. Lima Barreto: Retratos do Brasil Negro. São Paulo: Summus, 2011.
______. A consciência do impacto nas obras de Cruz e Sousa e de Lima Barreto. : , 2009.
RESENDE, Beatriz. Lima Barreto e o Rio de Janeiro em fragmentos. : Autêntica, .
SCHWARCZ, Lilia Moritz. Lima Barreto: Triste Visionário. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

Internet:

DUTRA, Katia. Triste fim de Lima Barreto. Disponível no endereço: http://redes.moderna.com.br/2011/11/01/triste-fim-de-lima-barreto/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Lima Barreto. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/afonso-henriques-de-lima-barreto/
PEREZ, Luana Castro Alves. Lima Barreto. Disponível no endereço: http://alunosonline.uol.com.br/portugues/lima-barreto.html

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

17 comentários sobre “Lima Barreto (1881-1922)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.