fbpx

Afonso Segreto (1875-19)

Biografia

Alfonso Segreto, em arte mais conhecido como Afonso Segreto, é um diretor de fotografia nascido em San Martino de Cileno, na Itália, em 1875.

Em 1897, juntamente com seu irmão Paschoal, chega ao Brasil com imagens da Itália (vistas cinematográficas) que exibiu no Salão de Paris, no Rio de Janeiro. Em 19 de junho de 1898, a bordo do navio francês Brésil, retornando de uma nova viagem à Europa, onde fora comprar equipamentos de filmagens e novos filmes, registra as primeiras imagens do Brasil, tomadas das fortalezas e de navios de guerra na Baía da Guanabara. Por esse feito, é considerado o primeiro cinegrafista e diretor de cinema do Brasil. Filma dezenas de filmetes de curta duração até 1900, captando imagens de flagrantes históricos, políticos e paisagísticos, quando estranhamente some do noticiário, seu nome volta a aparecer em 1908. Ensina a arte de filmar, os rudimentos da técnica cinematográfica a diversos profissionais. Muda-se para São Paulo onde monta um ateliê fotográfico, depois retorna à Itália, vindo a falecer anonimamente, algum tempo depois.

FOTO Afonso SegretoExistem poucas informações sobre Afonso. Sabemos que, em 1896, foi trazido da Itália para o Rio de Janeiro, pelos seus irmãos Paschoal Segreto e Gaetano Segreto, quando estes se consolidaram comercialmente no ramo dos jogos e diversões. Provavelmente, nasceu na mesma cidade dos irmãos, em San Martin di Cileno, na metade da década de 1870. Por orientação de seu irmão Paschoal Segreto tornou-se o primeiro cineasta brasileiro, realizando, entre 1898 e 1901, cerca de 60 filmes, que constituem a maioria absoluta das primeiras filmagens produzidas no país.

No Rio de Janeiro, passou a trabalhar na Empresa Paschoal Segreto. Participou do lançamento do Salão de Novidades Paris no Rio. Em janeiro de 1898, viajou à Nova York, onde adquiriu novas fitas para a programação do “Salão” e, também, comprou e aprendeu a operar novos equipamentos de filmagem e projeção. Depois, em Paris, realizou um estágio na Pathé Films. Voltou para o Brasil e no dia de sua chegada, em 19 de junho de 1898, Afonso filmou, a bordo do navio francês Brèsil, a cidade do Rio de Janeiro em pleno amanhecer e, depois, as fortalezas e navios de guerra na baía de Guanabara, sendo estas, umas das primeiras filmagens ou vistas feitas no Brasil. Pesquisas apontaram o italiano Vittorio di Maio como o verdadeiro realizador das primeiras filmagens produzidas no país. Mesmo assim, o dia 19 de junho é considerado o Dia do Cinema Brasileiro.

Depois, Afonso seguiu filmando por muitos anos, no Rio, solenidades e acontecimentos políticos e sociais, como o terceiro aniversário da morte do Marechal Floriano Peixoto, o desembarque do Presidente Prudente de Morais e sua comitiva no Arsenal da Marinha e visitas de personalidades e autoridades de outros países, fazendo parte da política de boa vizinhança que o irmão Paschoal possuía com as elites do país.

Em 23 de fevereiro de 1899, Afonso chegou de Nova York com novos aparelhos de exibição cinematográfica (para substituir os equipamentos perdidos no incêndio do Salão Paris no Rio), sendo festivamente recebido por seu irmão Gaetano e pela diretoria do Círculo Operário Italiano, com fogueteiro, banda de música e um almoço especial. No mesmo ano, Afonso viajou com Gaetano até São Paulo, para uma reunião do Círculo Operário Italiano paulista, quando realizou a primeira filmagem na capital paulista, no dia 20 de setembro de 1899, aniversário da unificação da Itália. Círculo Operário Italiano em São Paulo é exibido, dias depois, no Salão de Novidades Paris no Rio.

Por causa de discussões e desacordos políticos com seu irmão Paschoal, devido a seus filmes feitos com bastante independência, Afonso foi afastado da Empresa Paschoal Segreto. Em 1902, a Empresa apresentou um único filme, Vistas Nacionais (com o reaproveitamento de filmagens de Afonso), paralisando suas atividades cinematográficas até 1907.

Depois de uma temporada em São Paulo, à frente de um ateliê fotográfico, Afonso retornou à Itália, onde morreu quase anonimamente.

Filmografia

Filmografia: 1898 – Fortaleza e Navios de Guerra na Baía de Guanabara; O Préstito do Marechal Floriano Para o Cemitério; O Desembarque do Dr. Prudente de Morais no Arsenal da Marinha; Chegada do Doutor Campos Sales a Petrópolis; A Chegada do Doutor Prudente de Morais e sua Comitiva ao Arsenal da Marinha; A Família do Presidente Prudente de Morais no Palácio do Catete; A Inauguração da Igreja da Candelaria; O Largo da Carioca; O Largo de São Francisco de Paula; O Largo do Machado; A Praia de Santa Luzia; Vistas de Aspectos Fluminenses; 1899 – Algumas Localidades do Rio de Janeiro; Baldeação da Barca de Petrópolis; A Barca de Niterói; Um Batalhão do Exército; Um Careca; Chegada do Doutor Campos Sales no Arsenal da Marinha; Circolo Operario Italiano em São Paulo; O Corpo de Bombeiros em Movimento; A Dança de um Baiano; A Dança de uma Baiana; Embarque do Dr. Campos Sales Para Petrópolis; Enterro do Primeiro Tenente Pio Torelli; Entrada de uma Barca de Niterói; Festas em Homenagem ao Presidente da Argentina General Júlio Roca; Grandes Solenidades Comemorativas da Colônia Italiana no Rio; Incêndio na Praça do Mercado; Infelicidade de um Velho na Primeira Noite de Casamento; Largo de São Francisco por Ocasião de um Meeting; O Mágico dos Bonecos; Praça Tamarindo no Dia Treze de Maio; Quadros Nacionais; Rua do Ouvidor; Uma Viagem de Núpcias que Acaba Mal; Vistas de Sítios e Cenas do Rio de Janeiro; 1900 – A Banda do Corpo de Bombeiros; O Bando Precatório Para a Seca do Ceará; A Chegada do Doutor Campos Sales de Buenos Aires; 1908 – Almoço à Imprensa no Restaurante do Pão-de-Açucar; Almoço aos Conselheiros Argentinos no Pavilhão Nacional de Agricultura; O Corso de Carruagens na Exposição – (II); Exposição da Seção Pecuária; 1910 – Parada e Revista das Sociedades de Tiro do Estado de São Paulo.

Bibliografia

Livros:

ARAÚJO, Vicente de Paula. Salões, Circos e Cinemas de São Paulo. São Paulo: Perspectiva, 1981.
RAMOS, Fernão Pessoa; MIRANDA, Luiz Felipe A. de (Org.). Enciclopédia do cinema brasileiro. São Paulo: Senac-SP, 2004.
SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.
SOUZA, José Inácio de Melo. Imagens do passado: São Paulo e Rio de Janeiro nos primórdios do cinema. São Paulo: Editora Senac, 2003.

Periódicos:

Revista “Nossa História – Ano 2 – nº 13 – Novembro/2004” – Artigo “O ministro das Diversões”, de William Martins.

Internet:

CINEMATECA BRASILEIRA. Disponível no endereço: http://www.cinemateca.gov.br/

RECINE 2011. Disponível no endereço: http://www.recine.com.br/2011/homenagens.php. Acesso em: 11 de novembro de 2011.

SALAS DE CINEMA DE SÃO PAULO. Disponível no endereço: http://salasdecinemadesp.blogspot.com.br/2011/08/imigrantes-italianos-pioneiros-na.html/. Acesso em: 22 de março de 2015.

WIKIPEDIA. Disponível no endereço: http://pt.wikipedia.org/wiki/Afonso_Segreto. Acesso em: 11 de novembro de 2011.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Um comentário em “Afonso Segreto (1875-19)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.