fbpx

Ana, a Libertina (1975)

Sinopse

Ana ao saber que seu marido Raul a trai com um amigo comum, João Paulo, passa a ter encontros amorosos com estranhos e conhecidos. Ela é encontrada assassinada em seu apartamento e o delegado Jorge, amigo da família, passa a investigar o crime. É feito um levantamento de sua vida pregressa e de suas relações: Raul, João Paulo, Britta, uma contrabandista, a vizinha que a odiava, o marginal Nove Horas, o porteiro do prédio, clientes eventuais e até o próprio delegado. Todos apresentam álibis mas também motivos para cometer o crime. Os suspeitos começam a se eliminar entre si, até que o porteiro, após ingerir veneno, e às portas da morte, confessa-se culpado pelo crime, cometido por paixão.

Elenco

Pêra, Marília (Ana)
França, Edson (Jorge)
Daniel Filho …. Raul
Wilker, José (João Paulo)
Malvil, Anick (Vizinha de Ana)
Rocha, Aurimar (Advogado Passarinhos)
Deborah
José, Fernando
Freire, Gracinda (Prostituta Velha)
Alvarez, Irma (Britta)
Deriquem, Moacyr
Carvalho, Rafael de (Sizenando)
Bonfim, Roberto (Hamilton)
Ruth de Souza …. Empregada
França, Solange
Garcia, Stenio (Nove Horas)
Faini, Suzana (Esposa de Faini)
Grey, Wilson (Porteiro)
Bulbul, Zózimo (Negro)

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Ana, a Libertina (1975) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Alberto Salvá
Roteiro: Alberto Salvá
Produção: Richers, Herbert
Direção de produção: Carlos, José
Assistência de produção: Abigail
Empresa de figuração: Silva, Agostinho
Assistência de direção: Trautman, Tereza
Direção de fotografia: Silva, Hélio
Câmera: Silva, Hélio e Alberto Salvá
Assistência de câmera: Campos, Dileny; Hoffenberg, Jennings Igel
Fotografia de cena: Rago, Álvaro Di
Eletricista: Russo; Gelson
Maquinista: Danilo
Som guia: Roberto, Paulo; Barbosa, Oswaldo
Montagem: Alberto Salvá e Mantel, Ulli
Cenografia: Monteiro, Régis
Contra-regra/acessórios de cenografia: Goulart, César E.
Seleção musical: Rosemberg, Roberto
Companhia produtora: Produções Cinematográficas Herbert Richers S.A.
Companhia co-produtora: Thor Filmes
Companhia Distribuidora: Ipanema Filmes

Bibliografia

Livros:

BALADI, Mauro. Dicionário de Cinema Brasileiro: filmes de longa-metragem produzidos entre 1909 e 2012. São Paulo: Martins Fortes, 2013.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Disponível no endereço: ///

Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
Press-sheet
Guia de Filmes, 58
JCB/OESP, citando O Estado de S. Paulo, 14.08.1977, p. 22

Fontes consultadas:
Brasil Cinema, 1975
ACPJ/II
JN/Imigrantes – Espanhóis – II

Observações:
Filmado em vinte dias, com Alberto Salvá operando uma das câmeras. Inicialmente o título do filme era AMOU ATÉ A MORTE. Estreou no Rio em três salas de lançamentos.
Outras fontes apontam José Carlos como gerente de produção; Alberto Salvá no argumento; Paulo Roberto, Osvaldo Barbosa e Alberto Salvá na direção de som; Régis Monteiro e Agostinho Silva nos vestuários; 1974 como o ano de produção. Incluem Roberto Rosember na direção de montagem.
ACPJ/II aponta como título: ANA, A LIBERTINA (MORTA, NUA E SORRIDENTE).

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Um comentário em “Ana, a Libertina (1975)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.