fbpx

Ângelo Riva

Biografia

Ângelo Riva é um diretor de fotografia e operador de câmera nascido na Itália.

Famoso cameraman e fotografo radicado no Brasil nos anos 50, com longa filmografia a partir de 1954, como assistente de montagem no filme Matar ou Correr, direção de Carlos Manga, produção Atlântida.

Diretor de Fotografia em Contrabando, de Eduardo Llorente, produzido em 1954, mas lançado comercialmente somente em 1957. Fotografa três filmes para o diretor italiano Duílio Mastroianni, Além do Rio das Mortes (1957) e Copacabana Zero Hora (1960) e Elas Atendem Pelo Telefone (1963). Operador de câmera quase efetivo do diretor Aluizio T.Carvalho em filmes como Hoje o Galo Sou Eu (1957), Maluco Por Mulher (1957), Minha Sogra é da Polícia (1958), aqui como still, Pequeno Por Fora (1960), etc. e quase sempre tendo o grande fotógrafos A.P.Castro como Diretor de Fotografia.

Embora tenha dirigido a fotografia de vários filmes, a assistência e operação de câmera sempre foi seu forte, pelo qual foi muito requisitado, entre as décadas de 50 e 80, em filmes como Por Um Céu de Liberdade (1961), de Luiz de Barros, O Menino e o Vento (1967), de Carlos Hugo Christensen, Amor em Quatro Tempos (1970), de Vander Silvio, abrangendo as pornochanchadas Lua de Mel & Amendoim (1971) (episódio Berenice, de Pedro Carlos Rovai), Café na Cama (1973), de Alberto Pieralisi, passando pelas comédias Tem Folga na Direção (1976), de Victor Lima e O Rei e os Trapalhões (1979), fotógrafos da 2ª unidade, direção de Adriano Stuart, até chegar aos eróticos dos anos 80 Mulheres Insaciáveis (1984), de Vital Filho e Bum Bum, a Coisa Erótica (1985), de Levy Salgado.

Seu último filme registrado é La Via Dura, em 1989, como assistente de câmera, produção italiana dirigida por Michele Massimo Tarantini.

Filmografia

Filmografia: 1954/57- Contrabando; 1957-Além do Rio das Mortes; 1958-Traficantes do Crime (cofot. Afrodísio de Castro, Cyrill Arapoff, Silvio Carneiro e Dinand); 1960-Copacabana Zero Hora; 1963-Elas Atendem Pelo Telefone; Os Mendigos (cofot. Afonso Viana); 1965- Choque de Sentimentos (Brasil/EUA); Os Abas Largas; 1967-Tuxauá, o Maldito (cofot. Afonso Viana); 1969-Aconteceu no Maracanã; 1972/74-24 Horas no Rio (cofot. Antonio Gonçalves); 1974-Sentinelas da Amazônia (CM); 1980- O Guerreiro de Prata (CM).

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.