fbpx

Até que o Casamento nos Separe (1969)

Sinopse

Danillo Ribeiro, 40 anos, casado, é um marido em luta com a sua consciência. É difícil largar a atraente esposa Renata, os dois filhos, o iate, a casa de campo, carro e chofer na porta, dinheiro, posição, e voltar a ser o que era há 16 anos: um homem independente, cheio de grandes projetos. Agora, Danilo é apenas um genrocrata, desempenhando as funções de supervisor-técnico da indústria eletrônica do sogro, sem entender rigorosamente nada do seu trabalho. Sentindo-se inútil, procura em Denise, a sua amante, refúgio para o drama de consciência que ele irriga todas as noites com bom uísque. Vai embora com a amante, dispondo-se a recomeçar a viver. É mais forte, porém, a memória de Renata, não resiste. Volta para a mulher, os filhos, a casa de campo, o iate e ao seu drama de consciência bem remunerado.

Elenco

Mário Benvenutti …. Danilo Ribeiro
Leite, Vera Barreto (Renata)
Christie, Anna (Denise)
Urban, Maria (Sandra, amiga de Renata)
Ary Fontoura …. Vicente
Rodrigues, Regina (Ana)
Flávio Porto …. Diretor de empresa
Ramos, Flávio (Dinho, filho de Danilo)
Vance, Lara (Moça da boate)
Moon, Scarlet (Amiga de Sandra)
Lobo, Jorge (Giacometti, o sogro)
Hoagland, Ray (Fred)
Monique Lafond …. Clarice, filha de Danilo
Sergio Sanz …. Murilo, diretor da empresa
Klen, Ivanete (Anunciadora do desfile)
Moreira, Célio …. Narração

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Até que o Casamento nos Separe (1969) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Flávio Tambellini
Roteiro: Flávio Tambellini
Diálogos: Pedro Bloch e Flávio Tambellini
Estória Baseada na peça teatral País abstratos, de Pedro Bloch
Assistência de direção: Flávio Porto
Produção: Flávio Tambellini
Direção de produção: J.O. Bohlin
Assistência de produção: Rocha, Ieda; Souza, Divaldo; Oliveira, Xavier de
Direção de Fotografia: Rodolfo Icsey
Assistência de câmera: Graber, Paulo
Eletricista: Almeida, José de
Maquinista: Vieira, José
Técnico de som: Muniz, Celso G.
Montagem: Ismar Porto
Guarda-roupa: Ronaldo, José
Penteados: Renault
Trilha musical: Remo Usai
Companhia(s) produtora(s): Data Filmes; Flávio Tambellini Produções Cinematográficas; Rank Filmes
Companhia(s) distribuidora(s): Organização Rank; Embrafilme – Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Financimento/patrocínio: INC – Instituto Nacional de Cinema

Bibliografia

Fontes utilizadas:
Material examinado
CB/EMB-110.2-00995
Guia de Filmes, 21

Fontes consultadas:
ACPJ/II

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Até que o Casamento nos Separe. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/ate-que-o-casamento-nos-separe/

Observações:
Cópia vista em 16mm, com 1040m. Originalmente, o filme é colorido com bitola 35mm. Material examinado informa que o filme foi (…) parcialmente financiado com recursos originários do imposto sobre remessas, liberados pelo Instituto Nacional de Cinema. Indica ainda a citação do poema de Cassiano Ricardo. A Renault realizou somente os penteados da atriz Vera Ribeiro Leite.
ACPJ/II acrescenta Oswaldo Cruz Kemeny como consultor; Helio Barrozo Netto na sonografia; Alexandre Horvath, na cenografia e Jeferson Osorio no elenco.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.