fbpx

Brasa Adormecida (1986)

Sinopse

Em um bar na divisa Brasil-Paraguai, um homem está para ser eliminado. Enquanto esperam o defunto encomendado, dois matadores, Toninho e Alfredão revelam uma história em que é difícil encontrar culpados e inocentes.

Presente e passado se misturam em torno da morte de Múcio, o pistoleiro mais competente da região, mostrando que matar ou morrer é uma fronteira fácil de se atravessar. Um chefe, uma bela mulher, um serviço a ser feito. O filme testa os limites da amizade, do medo e da traição. Quem traiu?

O filme conta no elenco com Maitê Proença e Edson Celulari em cena de Brasa Adormecida, de Djalma Limongi Batista.

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Brasa Adormecida (1986) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Djalma Limongi Batista

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Brasa Adormecida. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/brasa-adormecida/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

3 comentários sobre “Brasa Adormecida (1986)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.