fbpx

Brava Gente Brasileira (2000)

Sinopse

Pantanal, 1778, região do Médio-Paraguai. Um grupo de soldados acompanha Diogo (Diogo Infante), astrônomo, naturalista e cartógrafo, recém-formado em Coimbra, enviado pela Coroa Portuguesa para fazer um levantamento topográfico da região. O grupo se encaminha para o Forte Coimbra, que vive em guerra com os índios cavaleiros, com os quais os portugueses tentam selar um acordo de paz. No caminho do forte, um batedor descobre um grupo de mulheres índias tomando banho perto do rio.

Elas são estupradas pelos soldados e também por Diogo, forçado por Pedro (Floriano Peixoto), chefe do grupo, a participar do ato. Entre os envolvidos, estão Antônio, que carrega um mapa de supostas minas de prata, e Diogo. Chegando ao Forte, Diogo passa então a encarar um novo mundo, com a crescente ferocidade de Pedro, a fantasia de Antônio (Buza Ferraz) em encontrar minas de prata que lhe deixariam rico e a proximidade junto aos índios da região.

Confrontando sua formação ilustrada com a dura realidade da colônia, o cartógrafo impede Pedro de assassinar a índia Ánote e todos seguem para o forte. Enquanto Pedro caminha enlouquecido numa ânsia crescente de violência, como se buscasse um limite que o Novo Mundo não lhe dá, Antônio aguça seu delírio em torno das minas de prata. Mas o período das chuvas e da cheia irá significar uma trégua na luta com os guaicuru. Quando as águas começam a baixar, a possibilidade de paz ressurge. Os cavaleiros voltam ao forte e afirmam aceitar o acordo proposto pelo comandante. Como manifestação da sua boa vontade, propõem que os portugueses fiquem com suas mulheres índias.

Dirigido por Lúcia Murat, o filme ganhou o prêmio de Melhor Atriz para Luciana Rigueira e Melhor Trilha Musical para Lívio Tragtemberg, no 33º Festival de Brasília, em Brasília (DF), em 2000.

Elenco

Diogo Infante …. Diogo de Castro Albuquerque
Floriano Peixoto …. Capitão Pedro
Rigueira, Luciana (Ánote)
Leonardo Villar …. Comandante
Murilo Grossi …. Jesuíta espanhol
Marcelino, Vanessa (Anoã)
Matchua, Alvanir (Jovem guerreiro)
Silva, Sandra da (Mãe de Anoã)
Marcelino, Edna (Irmã de Anoã)
Soares, William (Pai de Anoã)
Silva, Lair da (Mulher com livro)
Silva, Hilário da (Cacique)
Leite, Vânia Matchua (Mulher do comandante)
Matchua, Aracy (Parente de Ánote)
Silva, Silvana da (Mulher que chora)
Rocha, Rufina (No ritual de abertura)
Bernardino, Dorira (No ritual de abertura)
Silva, Adaílson (Guerreiro)
Matchua, Adenir (Guerreiro)
Almeida, Martiniano (Guerreiro)
Silva, Pedro (Guerreiro)
Inocêncio, Henrique (Antigo)
Marcelino, José (Antigo)
Soares, Rafael (Antigo)
Matchua, Maria (Mulher na aldeia)
Virgílio, Olinda (Mulher na aldeia)
Silva, Sandra Silva e (Mulher na aldeia)
Claucir (criança)
Edileusa (criança)
Maritiely (criança)
Isanilda (criança)
Elisane (criança)
Elisandra (criança)
Monzón, Anibal (Soldado)
Hassan, Salim (Soldado)
Bruno, Sergio Ricardo (Soldado)

Apresentando:
Silva, Adeílson da (Januya, menino branco)
Comunidade Kadiwéu

Participação especial:
Buza Ferraz …. Antônio
Sérgio Mamberti …. Padre

Ficha Técnica

Por trás dos filmes, além dos atores, dos figurinos, das câmeras, da arte, do som e de outros elementos mais facilmente perceptíveis na construção qualquer longa metragem, há também um verdadeiro exército de profissionais dedicados a viabilizar cada detalhe do intrincado quebra-cabeça artístico, operacional, logístico e financeiro da produção audiovisual.

Veja logo abaixo a equipe técnica de Brava Gente Brasileira (2000) que o portal História do Cinema Brasileiro pesquisou e agora disponibiliza aqui para você:

Direção: Lúcia Murat
Roteiro: Lúcia Murat
Diálogos: Lúcia Murat e Flaksman, Sergio
Assistência de direção: Diegues, Carlos Manuel; Hinrichsen, Rodrigo; Murat, Júlia
Continuidade: Veiga, Betânia Victor
Produção: Lúcia Murat
Produção executiva: Aché, Cristina
Direção de produção: Bittencourt, René
Assistência de produção: Flaksman, Clara
Direção de fotografia: Mendes, Antônio Luiz
Assistência de câmera: Menezes, Marcio; Pavelak, Juarez; Viana, Pierre
Fotografia adicional: Miranda, Dudu
Chefe eletricista: Xerém, Helinho
Assistente de eletrecista: Xerém, Dininho
Auxiliar de maquinista: Duprat, Cristiano; Bastos
Som direto: Alencar, Heron
Mixagem: Sasso, José Luiz; JLS Studio
Ruídos de sala: César, Antônio; RGB Studio
Técnico de gravações: Rodrigues, Márcio; Amabis, Rica
Operador de microfone: Santana, Joaquim
Montagem: Tavares, Mair; Migliorin, Cezar
Montagem de som: Petrillo, Simone; Cox, Carlos
Direção de arte: Salles, José Joaquim
Figurinos: Salgado, Inês
Cenografia: Shell Jr.
Letreiros: Movedoll
Assistencia de cenografia: Garay, Haroldo
Contra-regra/acessórios de cenografia: Alves, Getúlio
Produção de cenografia: Canoeiro, Chico; Mendes, Naudir
Cabelereiro: Colares, Mári
Maquiagem: Macias, Martim
Assistência de maquiagem: Moraes, Lu de
Assistência de figurino: Maia, Luciana
Música original: Tragtenberg, Lívio
Trilha musical: Tragtenberg, Lívio
Contabilidade: Nogueira, Francisca
Motorista: Afonso; Carlos; Sebastião; Leite, Diego Silva; Herrera, Fellman; Marcos; Reinaldo, Marcelo; Caldas, Aldir; Agenor, S.; Jean
Companhia(s) produtora(s): Taiga Filmes e Vídeo; RioFilme
Companhia(s) co-produtora(s): Costa do Castelo Filmes – PT; Quanta; Bigdeni; Skylight
Companhia(s) distribuidora(s): Riofilme

Financimento/patrocínio: Programa Ibermedia; Lei do Audiovisual; Ministério da Cultura; Riofilme

Dados adicionais de música
Orquestra: Tragtenberg, Lucila
Instrumentista: Tagliaferri, Fabio – viola; Chamorro, Ana e Silveira, Marisa – violoncello; Tragtenberg, Livio – massa sonora e clarone

Regente Maestro: Tragtenberg, Lívio

Bibliografia

Fontes utilizadas:

CB/Transcrição de letreiros-Cat
FSESC/2001
Press-release
Jornal do Brasil, 07.09.2000 e 01.12.2000
ALSN/DFB-LM

Fontes consultadas:
MSP/24
FBR/33

Livros:

BALADI, Mauro. Dicionário de Cinema Brasileiro: filmes de longa-metragem produzidos entre 1909 e 2012. São Paulo: Martins Fortes, 2013.

Internet:

HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Brava Gente Brasileira. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/brava-gente-brasileira/

Observações:

Press-release informa que o filme ganhou prêmio no Festival de Brasília, porém a fonte não dá maiores especificações sobre este prêmio.
FSESC/2001 chama o ator Adeílson da Silva, como Dilsinho.
FBR/33 divulga 90 minutos de duração do filme.
ALSN/DFB-LM informa: produção: René Bittencourt; companhia produtora: Tanga Filmes e Vídeo e também “o filme foi rodado totalmente no Pantanal Mato-grossense”; grafa Carlos Fox (edição de som).
Ao indicarem os atores que interpretaram os soldados no filme, os letreiros grafam “Elenco de Apoio”.

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.