fbpx

Carlos Alberto Riccelli

Carlos Alberto Riccelli é um ator, cineasta, roteirista e produtor brasileiro nascido em São Paulo (SP) no dia 03 de julho de 1946.

Desde criança quer ser ator, mas ficou dividido entre a Faculdade de Engenharia do Mackenzie e a de Escola de Arte Dramática da USP. Escolheu a arte.

Em 1969, estreou nos palcos na histórica montagem do musical Hair e, na televisão, em 1971 na novela Hospital. No mesmo ano, também estreou nas telonas do cinema, no filme A Moreninha (1971), estrelado por Sônia Braga.

Seguiu carreira regular na televisão nas novelas O Preço de Um Homem (1971), Vitoria Bonelli (1972), Supermanoela (1974), A Viagem (1975), O Espantalho (1977) e Éramos Seis (1977), sempre pela TV Tupi. Em 1978, fez a novela Aritana pela TV Tupi e conheceu Bruna Lombardi, com quem se casou e teve um único filho, Kim, nascido em 1981.

Em 1980, transferiu-se para TV Bandeirantes e atuou como protagonista na novela Um Homem Muito Especial. Em 1982, foi contratado pela TV Globo e estreou na novela Sétimo Sentido.

Mesmo com o sucesso televisivo, deu preferência ao cinema e fez filmes importantes como Eles Não Usam Black-Tie (1981) e Jorge, Um Brasileiro (1988), entre outros.

Ainda na televisão, participou das novelas Vale Tudo (1988) e das minisséries A,E,I,O… Urca (1990) e Riacho Doce (1991).

Em seguida, mudou-se com a família para os Estados Unidos onde tentou carreira internacional, sendo seu primeiro filme americano The Best Revenge, dirigido por James Becket.

Em 1997, atuou na primeira fase da novela A Indomada, pela TV Globo e depois na minissérie Chiquinha Gonzaga, em 1999. Nesse mesmo ano, retornou ao cinema brasileiro 11 anos depois para participar do filme Dois Córregos – Verdades Submersas no Tempo, de Carlos Reichenbach.

Em 2005, estreou na direção no filme Sex, Orgasms and Salvation, rodado em São Paulo, produzido por ele mesmo e Bruna Lombardi, numa coprodução Brasil/Estados Unidos.

Em 2007, dirigiu o longa O Signo da Cidade, estrelado por Bruna Lombardi.

Como ator, entre 2006 e 2010, participou de dois filmes brasileiros, Brasília 18%, de Nelson Pereira dos Santos e Federal – o Filme.

Em 2016, atuou nos longas Trago Comigo e Amor em Sampa, este no qual também foi o diretor.

Filmografia

:: Filmografia como Diretor ::

2016 :: Amor em Sampa
2007 :: O Signo da Cidade
2005 :: Stress, Orgasms and Salvation (Brasil/EUA)

:: Filmografia como Ator ::

2016 :: Trago Comigo
2016 :: Amor em Sampa
2010 :: Federal – o Filme (Brasil/França/Colômbia)
2008 :: Manual para se Defender de Alienígenas, Zumbis e Ninjas (CM)
2006 :: Brasília 18%
2002 :: O Príncipe das Águas (CM)
1999 :: Dois Córregos
1996 :: The Best Revenge (A Melhor Vingança) (EUA)
1989 :: Jorge, um Brasileiro
1987 :: Leila Diniz
1986 :: Ele, o Boto
1985 :: Sonho sem fim
1981 :: Eles não usam Black-Tie
1979 :: O Princípio do Prazer
1970 :: A Moreninha

:: Filmografia como Produtor ::

2016 :: Amor em Sampa
2008 :: O signo da cidade
1996 :: A melhor vingança

Bibliografia

Fontes de Referência

Livros:

ALMEIDA, Paulo Sérgio; OLIVEIRA, José Maria de. (org.). Quem é Quem no Cinema. Rio de Janeiro: Iluminuras, 2003.

Internet:

FILMEB. Carlos Alberto Riccelli. Disponível no endereço: http://www.filmeb.com.br/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Carlos Alberto Riccelli. Disponível no endereço: https://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/carlos-alberto-riccelli/

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

4 comentários sobre “Carlos Alberto Riccelli

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.