fbpx

Carlos Vereza

Biografia

Carlos Alberto Vereza de Almeida, mais conhecido como Carlos Vereza, é um ator, diretor e escritor brasileiro nascido na cidade do Rio de Janeiro (RJ) no dia 04 de março de 1939. Com grande força de interpretação e estilo único, é um dos grandes atores brasileiros.

Filho de Walter de Almeida, pintor de paredes, e de Ruth Vereza de Almeida, enfermeira, nasceu no subúrbio carioca de Madureira. Perdeu o pai com meses de vida, sendo praticamente criado pela tia, num casarão onde sempre se reuniam muitas pessoas.

Autodidata, começou sua carreira artística como ator em 1959, atuando como figurante de um comercial na extinta TV Tupi, fazendo uma ponta numa peça de Shakespeare, uma espécie de teleteatro.

Fascinado por televisão, era frequentador de programas de auditório. Um dia, estava na porta da emissora, na Urca, quando ouviu um diretor reclamar da falta de um ator e, rapidamente, se ofereceu para substituí-lo. Pouco tempo depois, foi contratado e começou a trabalhar no programa Noite de Gala.

Na Tupi, conheceu Oduvaldo Vianna Filho. Vianinha o levou para o CPC, cuja sede funcionava no prédio da UNE. Lá, Vereza permaneceu por três anos, fazendo teatro de rua. Nessa época também participavam do CPC Ferreira Gullar,Arnaldo JaborFlávio MigliaccioCacá DieguesHelena IgnezJoão das NevesFrancisco Milani, entre muitos outros. Após o golpe militar de 1964, o fechamento da UNE e dos CPCs, Vereza fez teatro com Antonio Abujamra.

Em 1969, trabalhou no especial Um Gosto Amargo de Festa. No mesmo ano ingressou na TV Globo, convidado por Dias Gomes. Voltou para a Tupi, por pouco tempo, e, novamente para a Globo, onde participou de um grande número de telenovelas. Por mais de 20 anos, Vereza foi militante do Partido Comunista Brasileiro.

Em 1969, trabalhou no especial Um Gosto Amargo de Festa. Em 1972, ficou conhecido em todo o Brasil com o personagem Miro, na primeira versão de Selva de Pedra. Desenvolve sólida carreira na televisão, no papel de personagens e tipos memoráveis – O Rebu (1974), como Laio Martins; Coração Alado (1980), como Gabriel Pitanga; De Corpo e Alma (1992), como Edilson Vidal; O Rei do Gado (1996), como o senador Caxias; O Cravo e a Rosa (2000), como Joaquim de Almeida Leal; Começar de Novo (2004), como Ademar; e, mais recentemente, Sinhá Moça (2006), como Augusto; Duas Caras (2008), como Helmut; Casos e Acasos (2008), como Jayme; e Paraíso (2009), como Padre Bento.

Em 1968, estreou no cinema, no filme Massacre no Supermercado.

Vereza atuou em mais de 30 peças teatrais e escreveu duas: Nó Cego (1977) e Transaminases (1980). Esta última satirizava a tortura numa cela, situação que viveu por duas vezes durante o regime militar. Nesse período, foi ativo na defesa dos interesses de sua categoria, protestando contra as más condições de trabalho dos atores e a falta de regulamentação da profissão de ator. Seu nome chegou a ser indicado para a presidência do Sindicato dos Artistas. Em 1984, conquistou o mais importante prêmio do teatro brasileiro da época – o Molière – por sua interpretação do repórter Felipe na peça No Brilho da Gota de Sangue, escrita e dirigida por Domingos Oliveira. Sua carreira teatral também teve como destaque a peça Brida (1992).

No cinema, atuou em mais de dez filmes, porém seu grande desempenho, que lhe valeu prêmios internacionais, aconteceu em 1984, no filme Memórias do Cárcere, dirigido por Nelson Pereira dos Santos, no qual interpretou Graciliano Ramos. Por esse memorável trabalho, o ator recebeu vários prêmios, dentre os quais, o Pavão de Ouro, no 10º Festival Internacional de Cinema da Índia.

Foi casado com as atrizes Renata Sorrah e Xuxa Lopes. Tem três filhos, Larissa Vereza, com a artista plástica Delma Godoy; Diana, com a atriz e cantora Andréa Ferreira; e Luiz Sérgio.

Culto e inteligente, seu passatempo predileto é ler, tendo afirmado já ter lido 1,4 mil livros.

Filmografia

2014 :: Diminuta (Em Produção)
2010 :: Chico Xavier, O Filme
2010 :: Um Homem qualquer
2008 :: Mistéryos
2008 :: Bezerra de Menezes: O Diário de um Espírito
2006 :: Brasília 18%
2005 :: Epopeia Euclydeacreana (narração)
2002 :: As Três Marias
2001 :: Suicídio, Nunca! (CM)
2001 :: Aleijadinho, Paixão, Glória e Suplício
1998 :: O Primeiro Dia
1991 :: Os Cornos de Cronos (Portugal)
1984 :: Memórias de Cárcere
1977 :: Snuff, Vítimas do Prazer
1976 :: Aleluia Gretchen … Eurico
1975 :: O Esquadrão da Morte
1973 :: O Descarte
1969 :: O Bravo Guerreiro
1968 :: Massacre no Supermercado

:: Filmografia como Ele Mesmo ::

1977 :: O Frango Assado (CM)

:: Filmografia como Ele Mesmo ::

2017 :: Gabeira – Eu não fui preparado para a vida doméstica
2012 :: Garrafas ao mar: a víbora manda lembranças

Publicações

VEREZA. Carlos. Efeito Especial: estilhaços biográficos. Rio de Janeiro: Ibis Libris, 2012.
______. Meu fatal lado esquerdo: o teatro de Carlos Vereza. Rio de Janeiro: Editora Litteris, 2007.

Bibliografia

Livros:

SILVA NETO, Antonio Leão da. Astros e estrelas do cinema brasileiro. 2. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2010.

Internet:

CARLOS VEREZA. http://www.carlosvereza.com/
HISTÓRIA DO CINEMA BRASILEIRO. Carlos Vereza. Disponível no endereço: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br//carlos-vereza
WIKIPEDIA. Carlos Vereza. Disponível no endereço: http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Vereza

História do Cinema Brasileiro

História do Cinema Brasileiro

Qualquer interesse de envio de textos, dúvidas, opiniões, sugestões, acréscimos de conteúdo, relato de erros ou omissão de informações publicadas, entre em contato com a Coordenação Geral do História do Cinema Brasileiro pelo seguinte email: [email protected]

Artigos Relacionados

Um comentário em “Carlos Vereza

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.